PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Vitória com susto

juca kfouri

15/06/2010 17h18

Aos 25 minutos pedi a Tostão, ao meu lado na tribuna de imprensa, que aquecesse.

E  que entrasse no lugar de Kaká, por incrível que pareça o pior brasileiro em campo, atrapalhando o time muito mais que ajudando.

A Seleção Brasileira nem dava sinais de ansiedade pela estreia e, com Maicon pela direita e Robinho pela esquerda, procurava botar os coreanos em seu lugar, embora eles se defendessem organizados e atacassem esporadicamente.

Robinho jogava bem, mas com pouca ajuda.

O Brasil não estreava melhor que outros papões, exceção feita aos alemães, e foi vaiado para o intervalo.

Sem que a Coreia do Norte desse o contra-ataque, a Seleção não conseguia entrar na defesa, insistindo demais pelo meio.

Tostão aqueceu, mas não quis entrar.

Talvez Júlio Baptista fosse uma boa…

E o segundo tempo começou com Luís Fabiano também mostrando que está sem ritmo, ao não dominar uma bola que poderia levar perigo.

Em seguida o árbitro inventou uma falta em Kaká e Michel Bastos quase fez na cobrança.

Seja como for, como era obrigatório, só dava Brasil.

E Maicon concluiu brilhantemente um lançamento de Elano, sem ângulo, para abrir o placar, aos 10, como se fosse o Josimar da Copa de 1986.

Era pouco, mas era justo.

E, é claro, os contra-ataques começaram.

Num deles, Luís Fabiano perdeu gol feito.

A Seleção, mesmo sem brilho,  mandava no jogo.

E, aos Robinho, aos 27, deu na medida para Elano fazer 2 a 0, lembrando os tempos de Santos mais uma vez e até com dança.

Fatura liquidada.

Restava golear.

Daniel Alves entrou no lugar de Elano e Nilmar no de Kaká.

Diante de mais de 54 mil torcedores, a Seleção estreava como Dunga queria: ganhando, embora com susto.

E Ramires ainda entrou no lugar de Felipe Melo.

Aí, para surpresa até da Coreia, no fim, Yun Nam diminuiu.

Dunga dirá que foi pela ausência de Felipe Melo?

Notas:

Júlio César, pouco trabalho, mas tomou o gol, 6;

Maicon, o melhor, 8,5;

Lúcio, falhou no gol e foi muito ao ataque, 5,5;

Juan, firme, 7 ;

Michel Bastos com altos e baixos, 6,5;

Gilberto Silva na guarda, sem precisar,. 6,5:

Felipe Melo como sempre,. médio, 6;

Elano, o melhor do meio campo, 7,5;

Kaká, esforço, tentativa e erro, 4;

Robinho começou muito bem, caiu, subiu e leva 7;

Luís Fabiano deveu, 5;

Daniel Alves, Nilmar e Ramires dão mais qualidade ao time: 6,5

Dunga tem um time, mas não é o que começou a Copa, 6,5.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri