PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

E a noite continuou rubro-negra

Conteúdo exclusivo para assinantes

juca kfouri

05/05/2010 23h47

Num Pacaembu enlouquecido, Jorge Henrique, com 5 minutos, teve a primeira chance de gol na partida.

Aos 7, Bruno evitou o gol de Ronaldo, meio sem ângulo.

Corinthians e Flamengo faziam, enfim, o jogo que se esperava.

Só aos 16, em contra-ataque, o Flamengo ameaçou.

Atarantado, o Flamengo permitia que o Corinthians mandasse no jogo e Bruno teve que se virar três vezes, em chutes de Roberto Carlos, Dentinho e Ronaldo.

O Corinthians, em 24 minutos, finalizou nove vezes contra duas do Flamengo e teve a bola em 63% do tempo.

Aí, Danilo, que jogava demais, enfiou para Ronaldo e Deivid desviou contra o próprio gol, em bola que resvalou na mão de Ronaldo: 1 a 0.

Prova do atordoamento rubro-negro.

Que teve uma bola de graça dada por Jorge Henrique e Vagner Love desperdiçou, sem saber se chutava ou passava.

No lance seguinte, Adriano dividiu com Felipe e, no contra-ataque, Dentinho pôs na cabeça de Ronaldo que fez 2 a 0.

Felipe voltava em grande estilo e, para completar, tirou um gol do pé de Vagner Love.

O Flamengo voltou com Kléberson no lugar de Vinicius Pacheco.

E Elias, há que se registrar, jogava uma barbaridade.

Mas, aos 4 minutos, Vagner Love fez o gol que dava a classificação ao Mengo.

O jogo passou a ser mais equilibrado, porque o Flamengo também jogava.

Chicão bateu falta rente ao ângulo de Bruno.

E depois de um lance  em que foi marcado um impedimento duvidoso de Vagner Love, por pouco Dentinho não fez 3 a 1.

Iarley e Jucilei entraram nos lugares de Jorge Henrique e Elias.

Adriano jogou fora o empate em lance de Love.

Em seguida, em novo contra-ataque, foi a vez de Kléberson perder o gol de empate.

O Corinthians dava sinais de cansaço.

Paulinho veio para a vaga de Alessandro.

Aos 31, por pouquíssimo, Love não empatou.

O Flamengo já jogava melhor, mas tirou Love para entrada de Fierro.

O primeiro classificado da primeira fase era eliminado pelo último que tinha seguidas chances de empatar.

E não se pode dizer que era injusto, embora, aos 35, Ronaldo tenha cabeceado no travessão.

Com quase três milhões de renda e 35 mil pagantes, o Pacaembu sofria, mas não tinha motivos para se envergonhar.

Aos 46, Bruno salvou gol certo de Chicão, em nova cobrança de falta.

Belo jogo!

O Mengo continua a ser a salvação do futebol carioca, numa noite em que Vasco e Flu saíram da Copa do Brasil.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri