Blog do Juca Kfouri http://blogdojuca.uol.com.br Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Desde 2005, é colunista da Folha de S.Paulo e do UOL. Mon, 26 Sep 2016 17:44:07 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.2.5 Urge demitir o ministro da Justiça http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/urge-demitir-o-ministro-da-justica/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/urge-demitir-o-ministro-da-justica/#comments Mon, 26 Sep 2016 17:25:57 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82132 Na prisão de Antônio Palocci há duas surpresas: ter demorado tanto e a atuação do ministro da Justiça Alexandre de Moraes.

Ele a antecipou em Ribeirão Preto, cidade do detido, num comício eleitoral ao lado do candidato de seu partido, o PSDB, que perde nas pesquisas para o candidato do PDT.


Que o ministro da Justiça seja informado de ações espetaculares é normal, mas que as antecipe é um absurdo.

Agora o ministro, que já advogou para o PCC e para Eduardo Cunha, o que talvez explique por que o deputado cassado ainda está solto, quer nos convencer que foi só força de expressão e coincidência.

Além do mais nos trata como imbecis.

Convenhamos que diante de tal ministro da Justiça, discutir arbitragem de futebol no Brasil passa a não ter nenhuma importância.

Terá Michel Temer a coragem de demiti-lo?

]]>
26
Palmeiras lidera 10 quesitos do Campeonato Brasileiro de 2016 http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/palmeiras-lidera-10-quesitos-do-campeonato-brasileiro-de-2016/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/palmeiras-lidera-10-quesitos-do-campeonato-brasileiro-de-2016/#comments Mon, 26 Sep 2016 17:00:14 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82139 O Palmeiras não lidera por acaso e não apenas em pontos ganhos. 
Seus números até aqui impressionam e merecem respeito e aplausos.

Atribuir a liderança ao acaso ou a eventuais erros de arbitragem, que também aconteceram contra, é típico de quem vê futebol com o fígado ou não sabe perder.


– Pontuação (54 pontos ganhos)
 

– Vitórias (16 – empatado com o Flamengo)

 

– Menos derrotas (5)

 

– Gols marcados (47)

 

– Saldo de gols (22)

 

– Sequência invicta (10 jogos)

 

– Aproveitamento como visitante (6V/3E/4D – empatado com o Flamengo)

 

– Média de público (cerca de 33 mil – 65% sócio Avanti)

 

– Taxa de ocupação do estádio (75%)

 

– Renda bruta (R$ 29.439.062)

]]>
19
Temer já proibiu jornais e revistas nos estádios http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/temer-ja-proibiu-jornais-e-revistas-nos-estadios/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/temer-ja-proibiu-jornais-e-revistas-nos-estadios/#comments Mon, 26 Sep 2016 15:00:42 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82059 São Paulo tem sido, há anos, o Estado que trata pior a questão da violência nos estádi0s e, por isso, onde acontecem os problemas mais graves.

Não por acaso foi em São Paulo que surgiu a demagogia populista de um promotor de Justiça chamado Fernando Capez, hoje deputado e envolvido no escândalo da merenda, que usou o combate à violência para se tornar conhecido.

Também não é por acaso que São Paulo instituiu os clássicos de torcida única, ideia de um outro promotor incapaz, Paulo Castilho, embora proibido pela Constituição de 1988 de se candidatar a qualquer cargo sem se desligar do Ministério Público.

O então secretário da Segurança de São Paulo, Alexandre de Moraes, hoje ministro da Justiça, comprou a ideia e pronto: foi dado mais um passo para transformar os estádios paulistas em cemitérios, onde não são permitidos instrumentos musicais, bandeiras ou torcidas rivais.


O que não se sabe é que medidas burras e arbitrárias como as que vigoram hoje vêm de longe, de 1985, quando o secretário da Segurança paulista se chamava Michel Temer.

Ou seja, agora, o risco de nacionalizar a estupidez cometida em São Paulo é enorme:

RESOLUÇÃO 122 DE 24 DE SETEMBRO DE 1985
 

O Secretário de Estado dos Negócios da Segurança Pública, usando de suas atribuições legais, considerando:

– que toda e qualquer competição esportiva ou apresentação artística-cultural, realizada mediante ingresso pago equipara-se a espetáculo público;
– que, em espetáculos públicos há probabilidade de ocorrer ofensas físicas, danos materiais, desordens, tumultos e catástrofres por falta de normas preventivas proibitivas;
– que, a manutenção da ordem pública, da disciplina, do respeito, da segurança física e patrimonial, se insere na órbita do Poder de Polícia inerente ao Estado.
– que, mais do repressiva, compete a Polícia Militar exercer atividades predominantemente preventivas.
 
RESOLVE
 
Artigo 1º – Determinar que as autoridades policiais militares, no exercício da polícia de manutenção da ordem pública, somente forneçam policiamento ostensivo para espetáculos públicos, mediante prévia vistoria das instalações dos estádios, ginásios, teatros ou recintos onde serão realizados, expressa em relatório.
§ 1º – Do relatório constará exposições e parecer sobre as condições de segurança, para o espetáculo pretendido;
§ 2º – Em não sendo aprovadas as condições de segurança serão apontadas as modificações necessárias a sua adequação, se possíveis, ou solicitada a indicação de outro local para a realização do evento.
Artigo 2º – Determinar que as solicitações de policiamento sejam pleiteadas em documento circunstanciado, protocolado com 20 dias, no mínimo, de antecedência, na Organização Policial Militar responsável.
Artigo 3º – Proibir nas praças desportivas ou locais onde se realizarem espetáculos públicos sujeitos ao policiamento estadual a entrada e venda de:
a) bebidas alcoólicas;
b) substâncias tóxicas;
c) fogos de artifício e de estampido;
d) papel em rolo de qualquer espécie, jornais e revistas;
e) balões em geral;
f) materiais ou objetos que possam causar ferimentos;
g) armas de fogo e branca de qualquer tipo e espécie; e
h) vasilhames, copo de vidro ou qualquer outro tipo de embalagem, contendo bebidas ou refrigerantes de qualquer natureza que, direta ou indiretamente, possam provocar ferimentos em caso de esforço físico isolado ou generalizado.
Parágrafo Único – O comércio de cerveja, chope, sucos, águas e refrigerantes será livre, desde que servidos em copo de papelão.
Artigo 4º – Determinar que em espetáculos esportivos, em que se façam presentes torcidas organizadas, seus dirigentes mantenham contato com a autoridade policial militar, competente, antes do início do espetáculo, a fim de receberem orientação sobre procedimentos.
Artigo 5º – Determinar que a autoridade policial militar competente adote as providências complementares relativas a segurança nos recintos e imediações onde se realizarão os espetáculos, contactando com as Autoridades Públicas e pessoas jurídicas ou físicas diretamente responsáveis pelo evento.
Artigo 6º – Determinar que os espetáculos e apresentações públicas com ingresso gratuito, sujeitem-se ao dispositivos desta Resolução, desde que solicitado policiamento ostensivo.
Artigo 7º – A infração de qualquer dispositivo da presente Resolução sujeitará o infrator às sanções penais, bem como as previstas na Resolução SSP/36 de 13 de maio de 1985.
Artigo 8º – Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, ficando revogada as disposições em contrário.
 
MICHEL TEMER
SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA

]]>
3
O Brasileirão está quente para 15 times http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-brasileirao-esta-aberto-para-15-times/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-brasileirao-esta-aberto-para-15-times/#comments Mon, 26 Sep 2016 09:55:18 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82121 O Galo, como sempre, diz que acredita.

E bateu no Inter num belo jogo para se manter a cinco recuperáveis pontos do líder Palmeiras.

Já o Flamengo acredita mesmo.

Tanto que virou no fim um jogo que perdia para o Cruzeiro, para ficar a apenas um ponto do Palmeiras.


E o Palmeiras?

Bem, o Palmeiras não acredita nem desacredita.

O Palmeiras simplesmente lidera e pela 18ª vez o Brasileirão de 2016!

O campeonato está simplesmente pegando fogo, com três times, Palmeiras, Flamengo e Atlético Mineiro, na luta pelo  título.

Mais cinco times, Santos, Fluminense, Atlético Paranaense, Corinthians e Grêmio, disputam o quarto lugar, embora o Corinthians despenque a tal ponto que apenas 18.838 torcedores foram vê-lo perder em casa para o Fluminense, o pior público da recente história de Itaquera.

E nada menos que sete times brigam para escapar do rebaixamento: São Paulo, Sport, Coritiba, Vitória, Figueirense, Cruzeiro e Inter, com estes dois últimos já entre os quatro últimos, com o perdão da redundância.

Fez as contas?

Nada menos que 15 dos 20 times têm muito por que jogar.

A 27ª rodada teve 23 gols, média de público de 12.900 pagantes por jogo, nenhum empate e apenas uma vitória de visitante, a do Fluminense.

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira, 26 de setembro de 2016, que você ouve aqui.

]]>
13
O dia em que descobri que Luis Fernando Veríssimo é um mentiroso http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-dia-em-que-descobri-que-luis-fernando-verissimo-e-um-grande-mentiroso/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-dia-em-que-descobri-que-luis-fernando-verissimo-e-um-grande-mentiroso/#comments Mon, 26 Sep 2016 03:00:09 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82087 Verissimo completa hoje 80 anos. 

Trata-se de gênio da raça e, à guisa de homenageá-lo, republico, com pequena supressão, o que certa vez escrevi a seu respeito:*


“Na Copa da Espanha, em 1982, um grupo formidável jantava quase diariamente em Sevilha, depois em Barcelona, depois em Madri. Luis Fernando Verissimo, Ruy Carlos Ostermann, Sérgio Cabral, o pai, João Ubaldo Ribeiro, Nelson Motta e eu. Com defecções e acréscimos, as noitadas se repetiram em Guadalajara, no México, quatro anos depois.

João Saldanha, por exemplo, às vezes dava o ar de sua graça, assim como o impagável Paulo Sant’Ana, do Zero Hora. Eram jantares intermináveis e inesquecíveis. Eu ficava rouco de tanto ouvir, de tanto rir, de tanto aprender. Cada um era melhor contador de casos do que o outro, e invariavelmente, ao fim dos jantares, Verissimo saía de seu mutismo e nos deliciava com suas histórias.

Uma bela noite em Guadalajara, Verissimo e eu nos encontramos no saguão do hotel, e, depois de muito esperarmos, nos demos conta de que havíamos sido abandonados. Ninguém apareceu. Preocupado com o mutismo do companheiro e com a longa matéria que teria de escrever ao voltar, propus que fôssemos a um restaurante perto do hotel, jogo rápido, a pé.

Verissimo também tinha de escrever sua coluna dominical e topou na hora. Lá fomos nós, calados, como convinha. Fui pensando em como começar uma conversa e, depois de pedir o jantar, perguntei, pedindo que fosse bem honesto, se ele acreditava no chavão que nos ensinaram desde criança, de que o trabalho é quase sempre 90% de transpiração e apenas 10% de inspiração (coisa que, no caso dele, não me parecia verdade mesmo!).

Monossilabicamente, Verissimo respondeu que sim, que tinha de se esforçar muito para escrever, que sofria no ato de redigir. Jantamos praticamente em silêncio. Nos despedimos nas portas de nossos quartos, parede a parede. Pus papel na máquina de escrever e fiquei contemplando aquele branco angustiante – embora as laudas nunca tenham sido propriamente brancas, mas, sim, amareladas.

Eis que, incontinenti, ouço um disparar de teclado no quarto ao lado. Era mesmo como se fosse uma metralhadora. Foi coisa de dez minutos ininterruptos, ao cabo dos quais pude ouvir o barulho de uma torneira aberta e da escova de dentes batida na pia. Dei um tempinho, bati na porta do quarto de Verissimo, e ele a abriu, já de pijama.

Não tive dúvidas. Chamei-o de mentiroso e prometi que ele teria muita dificuldade para dormir, porque eu batucaria na máquina até umas quatro da matina. Ele tentou se desculpar, disse que não tinha mentido nada, que na verdade ficava tão calado porque vivia escrevendo mentalmente, razão pela qual, quando se sentava diante da máquina, o texto fluía com aparente facilidade.

Eu não acredito. E até hoje o tenho na conta de mentiroso. Genial mentiroso.

Escrevi até as cinco”.

*(Extraído do livro “Meninos, eu vi”, de Juca Kfouri, editoras DBA/Lance!)


]]>
5
Galo vivo, Colorado agonizante http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/galo-vivo-colorado-agonizante/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/galo-vivo-colorado-agonizante/#comments Sun, 25 Sep 2016 23:29:51 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82115 O Galo deu a impressão de que golearia o Inter, no Horto.

Fez 2 a 0 rapidamente com Fred e Clayton e sobrava em campo, com Robinho no papel de maestro.

Mas o Colorado teve a sorte de achar um gol logo após o segundo atleticano, ainda no primeiro tempo e equilibrou o jogo no segundo, ao jogar bem.


Quando tudo poderia acontecer, aconteceu tudo que não poderia acontecer com o time gaúcho.

Lucas Pratto fez o terceiro gol e liquidou a fatura.

O que manteve o Galo a descontáveis cinco pontos da liderança e o Colorado na antepenúltima colocação, já a quatro pontos do Figueirense, o primeiro fora da ZR.

Dos cinco times que jamais cairam no Brasileirão, apenas o Flamengo e o Santos não correm riscos.

O São Paulo está a quatro pontos da ZR e Cruzeiro e Inter estão nela.

E o Galo?

Bem, o Galo acredita!

]]>
5
O Flamengo vira e não descola do líder http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-flamengo-vira-e-nao-descola-do-lider/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/o-flamengo-vira-e-nao-descola-do-lider/#comments Sun, 25 Sep 2016 21:05:49 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82104 Pareceu que o Palestra mineiro ajudaria o Palestra paulista.

Aos 29 minutos do segundo tempo, num jogo equilibradíssimo e bem disputado, Rafinha fez belo gol e pôs o Cruzeiro na frente do Flamengo, então a quatro pontos do Palmeiras.

Daí, bateu o coração da Nação em Cariacica e no país inteiro.


Guerrero chutou de virada de fora da entrada da área, a bola desviou na zaga e encobriu o goleiro Rafael, aos 40.

O Cruzeiro, então, teve duas chances claríssimas, com Ábila, a primeira evitada por Alex Muralha, a segunda jogada por cima.

Quem não faz toma e o Cruzeiro tomou para voltar à ZR.

O Flamengo desceu, Diego deu para Alan Patrick e ele viu Mancuello entrando livre pela direita para pegar um belíssimo chute e virar o marcador para manter o Mengão a um ponto do Palmeiras.

Vitória de campeão!

]]>
17
Flu vence no fim e encontra a justiça contra o Corinthians http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/flu-vence-no-fim-e-encontra-a-justica-contra-o-corinthians/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/flu-vence-no-fim-e-encontra-a-justica-contra-o-corinthians/#comments Sun, 25 Sep 2016 20:54:39 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82100 Hoje o Fluminense tem por que reclamar.

Num primeiro tempo em que foi melhor que o Corinthians, fez o goleiro Walter operar ao menos um milagre e bateu escanteios atrás de escanteios além de um sem-número de bolas alçadas na área em cobrança de faltas na altura da intermediária, aos 36, Marcos  Júnior foi agarrado na área por Marquinhos Gabriel e o assoprador de apito fingiu que não viu.

Se o lance não foi pênalti é porque não existe mais pênalti no futebol.


O Corinthians, em casa, foi perigoso apenas uma vez e se viu dominado pelo visitante, que apenas não foi capaz de transformar sua superioridade em gols, também porque não lhe deram a chance de cobrar uma penalidade máxima.

Impressionante como Fagner caiu de produção desde que chegou à Seleção.

Nem bem o segundo tempo começou e Marcos Júnior, de novo, obrigou uma excelente defesa de Walter, que começou como titular porque Cássio está machucado.

Só de fora da área o Corinthians fazia o goleiro Júlio César, no lugar do também machucado Diego Cavalieri.

Marquinho no lugar de Douglas e Richarlison no de Marco Júnior aos 22.

À altura do 25º minuto era difícil dizer quem jogava pior, se os paulistas alvinegros ou os cariocas tricolores.

Magno Alves entrou e Pierre saiu, assim como Lucca substituiu Marlone, aos 32.

Aos 34, de bicicleta, Romero quase abriu o placar. Seria uma ironia sem tamanho…

Giovanni Augusto saiu para entrar Gustavo que, em seu primeiro lance, levou cartão amarelo.

E Gum, quase marcou contra o Flu, não fosse por Júlio César que desviou no travessão.

Se o Flu foi melhor no primeiro tempo, no segundo o Corinthians dava as cartas.

Mas, aos 42, em contra-ataque, Gustavo Scarpa perdeu gol feito.

E, no penúltimo lance do jogo, Cícero fez o gol que o Flu mereceu no primeiro tempo, pôs o Tricolor em quinto lugar e derrubou o Corinthians para o sétimo.

Gum, que deu o passe de cabeça, estava impedido.

Disso o Flu não reclamará.

Atualização às 22h15: ao rever todos os lances, acrescente-se que também houve um pênalti de Pierre em Balbuena e que a falta que originou o gol do Flu não aconteceu, porque o desarme de Lucca é na bola.

A favor do assoprador de apito deve-se dizer que todos os lances que prejudicaram o Corinthians foram mais difíceis que o facílimo que prejudicou o Flu, este sim, inadmíssivel.

A favor do presidente e do técnico do Corinthians o fato de eles não terem feito o carnaval que fizeram o presidente e o técnico do Flu no meio da semana.

]]>
56
No alvo http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/no-alvo/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/no-alvo/#comments Sun, 25 Sep 2016 15:42:38 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82084 No diario “Lance!” de hoje:

]]>
11
Santos se despede do título na Ilha do Retiro http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/santos-se-despede-do-titulo-na-ilha-do-retiro/ http://blogdojuca.uol.com.br/2016/09/santos-se-despede-do-titulo-na-ilha-do-retiro/#comments Sat, 24 Sep 2016 23:29:41 +0000 https://blogdojuca.uol.com.br/?p=82071 Nos primeiros 10 minutos na Ilha do Retiro o Santos parecia em férias e o Sport com o diabo no corpo.

O rubro-negro pernambucano criou e perdeu duas chances claríssimas de gol, ambas evitadas pelo goleiro Vanderlei até que, na terceira Rogério fez 1 a 0.


O time santista havia perdido Gustavo Henrique logo no começo do jogo, machucado trocado por David Braz.

Mas isso não explica nada.

Aos 23 foi a vez de Everton Felipe perdeu mais um gol inacreditável para ampliar.

Aos 36, Vitor Ferraz salvou na linha o segundo gol.

Parecia um jogo de adultos contra crianças, mas, enfim, depois dos 35, os paulistas conseguiram fazer dois ataques perigosos.

Com Rodrigão, que acertou a trave pernambucana, no lugar de Ricardo Oliveira, machucado, o Santos simplesmente inexistia e perdia pela oitava vez fora de casa, em seu 14º jogo como visitante, com apenas quatro vitórias, campanha que não permite nem sonhar com título.

Aos 39, Copete tentou de letra e errou na cara do gol.

Também na cara do gol, aos 41, Gabriel Xavier furou de maneira imperdoável.

Além do mais, o Santos estacionava em quarto lugar, onde permanecerá mesmo que o Corinthians vença o Fluminense, mas a apenas um ponto.

Pior: caso o Galo ganhe do Inter, livrará quatro pontos do Santos.

Quando o primeiro tempo acabou o placar moral era de 5 a 1 para o Sport, mas, na batata, estava só 1 a 0.

Dorival Júnior teria muito trabalho no intervalo e Oswaldo de Oliveira apenas pediria para seu time perder menos gols.

Só que quem passou a criar oportunidades foi o Santos com Jean Mota no lugar de Rodrigão.

O Santos parecia o Sport dos 10 minutos iniciais.

Duas vezes, antes do 10º minuto, o goleiro Magrão, 600 jogos hoje,  evitou gols de Vitor Bueno, que se machucou e foi trocado por Elano.

Aos 15 a chance foi de Copete e Magrão interveio novamente.

Dorival Júnior estava se dando melhor que Oswaldo de Oliveira, que trocou Neto Moura por Paulo Roberto.

O empate era iminente e o Sport pagava pelos gols perdidos. Mas resistia.

Aos 25, saiu Gabriel Xavier e entrou Vinicius Araújo, quem sabe se capaz de fazer pelo menos um dos gols perdidos pelo companheiro.

Aos 30, no entanto, a surpresa: o experiente Elano recebeu o cartão amarelo e, em seguida, o vermelho.

Por reclamação!

O que ele terá dito ao assoprador de apito?

Aparentemente, para quem viu apenas sua expressão, nada demais, só pediu, duas vezes, para que fosse mostrado o cartão amarelo para o autor de faltas seguidas.

Mas, vai ver, delicadamente, ele disse, primeiramente, para o assoprador ir pra aquele lugar e, depois, perguntou por onde andava a mãe de Sua Senhoria.

Onze contra 10, Oswaldo de Oliveira lançou Apodi no lugar de Rogério.

Incrível que o jogo estivesse 1 a 0 com tantas chances criadas, tantas bolas chutadas ao gol e, justiça se faça, tantas intervenções dos goleiros.

Nove pontos a menos que o líder Palmeiras, o Santos pode esquecer do título e talvez reclame de uma mão na bola na área do Sport no começo do segundo tempo, mas foi mesmo, no máximo, bola na mão.

Cinco pontos acima da ZR, o Sport respira mais aliviado, embora ainda dependa dos resultados de quem está abaixo dele.

Resta uma pergunta: que fim levou Lucas Lima?

]]>
34