Blog do Juca Kfouri

Um bom empate ruim para os dois

Juca Kfouri

Lá e cá, Corinthians e Santos disputaram 45 minutos iniciais em alta velocidade, com os anfitriões pecando na hora de definir e os visitantes explorando os contra-ataques, sem se atemorizar.

Mas chances de gol mesmo só uma na Arena Corinthians com apenas 27.586 pagantes.

Claríssima!

Só que o ex-Gabigol, embaixo do travessão, conseguiu perder dos gols mais feitos deste Brasileirão, com o joelho esquerdo depois de cobrança de escanteio pela direita.

O 0 a 0 não resolvia a vida de ninguém, mas não tinha cara de que permaneceria até o fim.

No começo do segundo tempo, porém, Gabinãogol perdeu outro, menos escandaloso, mas ainda assim imperdoável.

E aí, aos 6 minutos, a vale máxima do futebol prevaleceu: quem não faz toma.

O Santos tomou em jogada de Pedrinho com um toque sutil para Rodriguinho e dele, cruzado, rasteiro, para Roger fazer o que o centroavante praiano tem sido incapaz: o gol.

Corinthians na frente, 1 a 0.

Em seguida, Renato matou a bola com o braço dentro da área e o assoprador de apito não deu o pênalti para o Corinthians.

O jogo que vinha equilibrado até ali passou a ser do Santos, que alugou o campo corintiano e não saía dele.

Não levava perigo, é verdade, mas criava a expectativa de que poderia empatar.

Era um escanteio em cima do outro e o domínio santista lembrava o do Flamengo, no domingo passado, que acabou por resultar na vitória carioca.

Foi então que Pedrinho quase fez gol de placa, ao se livrar de três santistas e Vanderlei fazer bela defesa.

Mas Vitor Ferraz, aos 29′, de cabeça, aparou cruzamento da esquerda, livre porque Rodriguinho desistiu de marcá-lo, e empatou, como era de se esperar: 1 a 1.

Rodriguinho, aliás, desde que apareceu na lista de Tite desapareceu ao contrário de Diego, do Fla, que passou a jogar o fino.

O Santos seguiu melhor e Walter impediu a virada em linda jogada do menino Rodrygo.

Emerson Sheik, Matheus Vital e Leo Cittadini foram para o jogo nos lugares de Roger, Pedrinho e Gabinãogol e Bruno Henrique substituiu Sasha.

Que logo fez uma jogadaça e por pouco não fez o 2 a 1.

Copete ainda entrou nos acréscimos no lugar de Rodrygo.

O jogo agradou, mas o resultado, ao contrário, acabou ruim para os dois times e injusto , tecnicamente, para o Santos, embora o Corinthians possa reclamar do pênalti não marcado de Renato.

E Osmar Loss insistiu em tirar Pedrinho, para irritação da Fiel.