Blog do Juca Kfouri

O verbo Neymar

Juca Kfouri

Por ROBERTO VIEIRA 

A crônica esportiva do futebol é histórico instinto.

Estatisticamente descrente.

Números nada dizem.

O que importa é o feeling.

Morris Albert.

Um idiota da objetividade mostra os fatos.

Os subjetivos profetas do pretérito suprimem.

Quem mais chutou em gol na primeira fase?

Neymar.

Quem mais driblou com sucesso?

Neymar.

Quem mais ficou com a bola no pé?

Neymar!

Quem mais apanhou?

Neymar, meus amigos.

Mas de que adianta a realidade?

A subjetividade dá manchete.

Lidar com número é um tédio.

Futebol não se explica com algarismos.

E eis que Neymar virou verbo.

Futuro verbete do Aurélio.

Porém, o verbo é apenas princípio bíblico.

O craque sempre pode reescrever o apocalipse.

E então?

Os mesmos profetas e a mesma torcida irão proclamar:

Quem mais chutou em gol?

Neymar.

Quem mais driblou com sucesso?

Neymar.

Quem mais ficou com a bola no pé?

Neymar!

Quem mais apanhou?

Neymar, meus amigos.

Pois, quem sabe, com a taça nas mãos.

Neymar deixe finalmente de ser verbo.

Voltando a ser substantivo próprio.