Blog do Juca Kfouri

O presidente da CBF não errou. Ele é o próprio erro

Juca Kfouri

O coronel Nunes, que preside a CBF porque era o vice-presidente mais velho, não votou errado em Marrocos por acaso.

Acaso teria sido se tivesse acertado e votado, como ficou acordado entre os membros da Conmebol, na candidatura EUA/México/Canadá.

Mas Nunes se confundiu ao votar, como trocou o Mar Negro pelo Vermelho como você pode ler AQUI.

Teorias da conspiração já pululam nos bastidores do futebol, como pelos corredores da Federação Paulista de Futebol, onde se garante que o voto foi proposital e por vingança da investigação do FBI sobre os três ex-presidentes da CBF.

Tudo é possível, mas traição para perder é de tamanha burrice que é melhor aceitar a tese do erro mesmo, embora o coronel não escondesse sua simpatia por Marrocos, “que nunca sediou uma Copa”.

Ontem houve vários erros, hoje mais um e amanhã e depois haverá outro e outro e outros enquanto durar, até abril do ano que vem, o folclórico mandato do fabuloso coronel Nunes.

Pelo menos, ao contrário de Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero, ele diverte a patuleia.