Blog do Juca Kfouri

Roger Guedes e a falta que um psicólogo faz

Juca Kfouri

Quem tinha olhos para ver via um menino promissor no time do Criciúma.

O Palmeiras viu e trouxe o gaúcho Roger Guedes para Academia.

Com 20 anos ele chegou ao Verdão e se deslumbrou, criou casos e não encontrou quem soubesse colocá-lo nos eixos porque no futebol brasileiro é assim: gastam-se fortunas com técnicos e jogadores, mas ninguém investe um salário de mercado em psicólogos esportivos.

Tanto bastou para o Palmeiras emprestá-lo ao Galo em troca de Marcos Rocha.

O rapaz, agora com 21 anos, pôs a cabeça no lugar e hoje é o artilheiro do Brasileirão, com oito gols.

Alguns deles de altíssima categoria, como os dois feitos contra o Fluminense.

Além dos passes para gol que tem dado.

O Atlético Mineiro, vice-líder do campeonato, desfruta do que o Palmeiras não soube aproveitar.

Pena que, segundo se diz, deva ir embora do país depois da Copa.

Melhor seria se amadurecesse de vez por aqui.