Blog do Juca Kfouri

Livro de Esther

Juca Kfouri

Por ROBERTO VIEIRA

Era dia de sol em Recife.

O Brasil era o país do futebol

A jovem tenista desceu pelas escadas do avião.

Aeroporto dos Guararapes.

Virou manchete de jornais.

Como se fosse Marta Rocha, Pelé.

O Brasil do improvável basquete.

Brasil do improvável Ademar Ferreira da Silva.

O Brasil também era a pátria do tênis.

Campeão no sagrado piso de Wimbledom.

Mais incrível ainda.

Campeão com uma moça de dezenove anos.

Claro que o tênis não virou coqueluche no país.

Claro que quadras não brotaram pelas periferias.

Maria Esther era rainha sem tantos súditos assim.

Muito mais orgulho nacional que preferência.

Mas pra quem curtia tênis.

Para os Kochs e Mandarinos de Pindorama.

Maria Esther foi muito mais que uma princesa descendo daquele avião.

Pisando o chão do Brasil no aeroporto dos Guararapes.

Maria Esther foi o livro de bolso de quem sonhava com raquetes.

Meligeni, Guga e tantos outros.

Leram seu futuro no livro de Esther.

Esther que nos deixou mas nunca vai dizer adeus…