Blog do Juca Kfouri

A estrela maior do tênis brasileiro

Juca Kfouri

Era uma vez um menino que antes de completar dez anos acordava cedo para pegar o jornal na porta de casa só para saber o resultado do jogo de Maria Esther Bueno.

Ele não entendia nada de tênis, mas compreendia a importância dela, campeã em Wimbledon, no Aberto do Estados Unidos, melhor tenista do mundo.

Como Pelé era o melhor jogador de futebol, como Éder Jofre era o melhor peso galo, Manoel dos Santos o recordista mundial dos 100 metros nado livre, Amaury Pasos e Wlamir Marques bicampeões mundiais de basquete, no Brasil da bossa nova e da construção de Brasília.

Até na Caça Submarina o Brasil tinha em Bruno Hermanny o bicampeão mundial.

Maria Esther era a única mulher com sua aparência frágil e seu estilo de ferro.

O menino cresceu e a entrevistou para o “Jornal Nacional”, quando houve a restauração de sua estátua que ficava na Praça Charles Miller, em frente ao estádio do Pacaembu.

Ontem, na Rússia, antes de dormir, soube que a estrela maior do tênis brasileiro havia morrido.

Acorda triste, mas sabe que Maria Esther Bueno é imortal.