Blog do Juca Kfouri

Timão frustra a Fiel de novo

Juca Kfouri

Tinha um sol para cada um em Itaquera.

E teve, talvez, o gol mais bonito da curta história de quatro anos do estádio.

Se você lembra de algum melhor, por favor, refresque a memória do blog.

Porque aos 8 minutos, Elton, na intermediária, levantou de letra a bola para Wescley e o atacante do Ceará encheu o pé para encobrir Cássio.

Primeiro gol cearense no Brasileirão, mas desses que deveriam valer dez.

Valeu só um e o Corinthians foi à luta para tentar o empate, mas só Pedrinho, pela direita, revelava lucidez.

Já, pela esquerda, Marquinhos Gabriel era o de sempre: praticamente nada.

O Corinthians errava passes, o Ceará se defendia, Danilo teve de sair com problema muscular, Jadson o substituiu aos 28′, e, dez minutos depois, bateu escanteio na cabeça de Henrique, que empatou.

O segundo tempo começou em ritmo de polêmica.

O Corinthians reclama, em menos de cinco minutos, de dois pênaltis: um que teria sido cometido por Luís Otávio sobre Jadson, discutível; outro de Richardson sobre Pedrinho, indiscutível, mas que ainda lhe valeu cartão amarelo por simulação, porque o assoprador de apito além de incompetente é autoritário.

Fábio Carille deixou Marquinhos Gabriel jogar até os 12 minutos, quando resolveu pôr Matheus Vital, porque não há paciência que aguente.

Na primeira participação do ex-vascaíno ele passou para Maycon quase desempatar, mais do que Marquinhos Gabriel havia feito em todo jogo.

Roger estreava se movimentando bem, mas com apenas uma chance de gol, desperdiçada de cabeça em passe de Jadson, que o encontrou livre quase na pequena área.

Melhor jogador em campo, Pedrinho, aos 35′, por não suportar mais, deu lugar a Emerson Sheik, 39, com idade para ser pai do garoto, de 20.

O Corinthians frustrava a Fiel, com 40 mil presentes, mais uma vez e perdia dois pontos para uma equipe que lutará para não cair.

O elenco curto não pode muito mais que isso.

O jeito será apostar, no máximo, na Copa do Brasil.