Blog do Juca Kfouri

Os filhos de dona Rosane

Juca Kfouri

Por MARCELO TORRES*

Um pai e uma mãe foram ao estádio neste domingo.

Era Dia das Mães.

Dona Rosane e seu Denilson foram ver seus filhos.

O jogo era Vasco x Vitória.

Paulo Vítor é do Vasco; Denílson, do Vitória.

Ambos estavam relacionados para a partida.

Eles devem ter combinado duas coisas para o jogo.

Uma: “No intervalo nós trocamos de camisa”.

Outra: “Quem vencer presenteia a mamãe”.

Antes do jogo, vimos pela TV uma homenagem às mães.

Representadas por doze mulheres que têm filhos desaparecidos.

Foi uma ação bonita, o público aplaudiu.

E o primeiro ato terminou empate em 1 a 1.

Aí os irmãos trocaram de camiseta.

Um fato curioso e bonito no futebol.

Voltaram, obviamente, com novas camisetas.

Saíram mais três gols no segundo ato.

Vitória da equipe visitante: 3a2.

O Vitória de Denilson.

Que foi às sociais presentear a mãe com a camiseta.

Alguns torcedores vascaínos hostilizaram a família.

Se não sabiam que era filho e mãe, foram estúpidos.

Se sabiam, foram mais estúpidos ainda.

Um visitante não pode presentear ninguém na torcida anfitriã?

Hostilizado, Denilson saiu para o vestiário.

Paulo Vítor foi às sociais explicar a situação.

A hostilidade diminuiu, porém não cessou.

Após ouvir o que ouviu, Paulo Vítor saiu chorando.

E Dona Rosane também chorou.

Chorou, passou mal, precisou de atendimento médico.

Detalhe: a família é negra e os “protestantes” são brancos.

Talvez (é uma hipótese) tenha havido injúria racial.

Paulo Vítor chorou.

Dona Rosane chorou.

E com eles chorou o futebol.

*Marcelo Torres é jornalista, baiano, torcedor do Vitória, mora em Brasília.