Blog do Juca Kfouri

Koff ganhou o Gre-Nal

Juca Kfouri

Os dois momentos mais impressionantes do primeiro tempo do Gre-Nal , no estádio gremista, tomado aconteceram antes de o jogo começar e numa bola fora de campo.

O minuto de silêncio em homenagem a Fábio Koff foi impressionante minuto de aplausos da massa presente nas arquibancadas.

Difícil lembrar de outro tão tocante para homenagear qualquer cartola brasileiro.

Depois, em bola saída pela lateral, Renato Portaluppi de uma matada na redonda de matar de saudades.

Porque o jogo em si decepcionou.

O Grêmio ficou 69% com a bola, mas não criou nenhuma situação de gol.

O Inter só se defendeu e também não criou nada.

Houve um lance em que Fabiano faz pênalti em Cortez, mas o assoprador fingiu não ver.

A diferença entre os dois times é tal que o Colorado não se envergonha em jogar como se fosse pequeno.

Já no segundo tempo, com 90 segundos, André perdeu um gol imperdível, daqueles que Jael faria.

Era óbvio: o Colorado festejaria o empate, o Imortal choraria o empate e os vermelhos comemorariam uma vitória como se fosse título mundial.

Para os azuis seria mera obrigação.

Patrick derrubou Luan na área e o assoprador, em cima do lance, teve a coragem de não apitar.

Prejudicado contra o Palmeiras, o Inter estava no lucro contra o maior rival.

Rossi saiu e Juan entrou no Inter, aos 17 minutos.

Gabriel Dias substituiu o estreante Zeca, machucado, dez minutos depois.

O 0 a 0 insistia diante de 51.870 torcedores.

O Grêmio trocou André, zero à esquerda, por Tony Anderson.

Aos 35′, enfim, Danilo Fernandes salvou o Inter em cabeçada à queima-roupa de Madson.

Leandro Damião deu lugar a Brenner, Arthur a Cícero e Everton a Lima.

Mas o 0 a 0 ficou num Gre-Nal cujo maior vitorioso foi mesmo Fábio Koff.