Blog do Juca Kfouri

Inter vira com justiça

Juca Kfouri

Aos 4 minutos de jogo, no Beira-Rio, Romero achou Matheus Vital, depois de 28 passes e quase 90 segundos de posse de bola, e o Corinthians abriu o placar contra o Inter.

Foi a única finalização alvinegra em todo o primeiro tempo, mas suficiente para ir para o intervalo com 1 a 0 no placar.

Porque o Colorado mostrou-se industrialmente incapaz de empatar, apesar de dominar absolutamente a partida.

O segundo tempo começou igual.

Os gaúchos dominando e os paulistas se defendendo.

O Corinthians chegava aos mesmos 14 pontos do líder Flamengo, que ontem havia sido dominado pelo Galo, mas saíra vitorioso por 1 a 0 no Horto.

Pobre futebol brasileiro de resultados.

Em busca de virar, o Inter trocou seu lateral Iago pelo atacante Nico Lopez.

Aos 18 minutos, enfim, Leandro Damião, recebeu o cruzamento pela esquerda de Lucca, emprestado pelo Timão, e empatou 1 a 1.

Um gol muito parecido com o de Matheus Vital.

Para piorar a vida alvinegra, Romero se machucou e Júnior Dutra o substituiu.

Damião fez seu 99º gol pelo Inter, tirou a camisa para comemorar e está suspenso.

A cara do jogo indicava a virada.

O empate ainda estava de bom tamanho para os visitantes.

A tal ponto que só aos 30 minutos, com Jadson, chutaram pela segunda vez ao gol.

Verdade que, em seguida, não fosse por ótima defesa de Danilo Fernandes, Vital teria feito o segundo gol.

Walter fez milagre para evitar a virada dos pés de Moledo.

Pedrinho substituiu Vital e Lucca saiu para entrada de Juan, como Potker havia saído para Rossi jogar.

Walter se transformava no nome do jogo e por pouco Damião não fez seu 100° gol de bicicleta, embora tenha feito em rebote do goleiro corintiano, mas em impedimento.

Os minutos finais foram eletrizantes e Jadson saiu para Marquinhos Gabriel jogar.

O Inter merecia melhor sorte.

E Rossi a obteve num presente de Mantuan já nos acréscimos.

Pareceu o goleiro do Liverpool…

Mas o Inter mereceu.

Enquanto o Inter inteiro comemorava com Rossi, o Corinthians todo consolava o menino Mantuan.

O nível do Brasileirão é tão pedestre que qualquer um pode ser o campeão.