Blog do Juca Kfouri

Grêmio copeiro, outra vez

Juca Kfouri

Cinco horas de fuso horário não impediram que eu tentasse ver o mau primeiro tempo do misto do Grêmio sem, entre outros, Arthur, Luan e Maicon, na Venezuela, do fraco Monagas e do péssimo gramado de Maturín.

Já classificado para as oitavas de final da Libertadores, o Tricolor jogava mais para honrar o título continental, mas não jogava bem e o sono falou mais alto ainda no primeiro tempo.

Acordei com o grito de gol de Ramiro, que só vi no repeteco, e pareceu falha do goleiro, já com o segundo tempo indo para o fim.

Aí o Grêmio foi o Grêmio copeiro, candidatíssimo a ser o primeiro brasileiro tetracampeão do torneio.

Porque tomou o empate nos acréscimos em gol contra de Kannemann e foi à luta até Cícero ser atropelado na área e Jailson desempatar ao bater o pênalti como último ato do jogo: 2 a 1.

Bem desperto, de quebra, ainda vi a nova vitória (107 a 94) do Celtics sobre o Cavaliers, 2 a 0 na série, por mais que LeBron James marcasse outra vez mais de 40 pontos — 42 para ser exato, além de dez rebotes e 12 assistências.