Blog do Juca Kfouri

Barça x Madrid: salvaram-se todos

Juca Kfouri

Uma das delícias das férias e você poder escolher o que quer fazer, independentemente daquilo que é mais importante.

E do mesmo modo que jogador de futebol não sai de campo em suas férias, jornalista também não deixa de ver jogos.

Hoje à tarde, por exemplo, com uma rodada cheia do Brasileirão, entre o que seria obrigação e prazer, a escolha foi ver Barcelona e Real Madrid, no Camp Nou, o derradeiro para Andrés Iniesta.

Valeu.

Para o Barça interessava não perder para seguir em busca do inédito título invicto.

Para o Madrid, quebrar a invencibilidade do rival era como o Santo Graal.

Quem saiu na frente foram os anfitriões blaugranas, com Suárez, aos 9 minutos.

Mas em seguida, aos 14′, Cristiano Ronaldo empatou e por pouco não virou.

Sergi Roberto foi expulso ao fim do primeiro tempo e a situação se complicou para o Barça, mesmo porque Bale também deveria ter levado o cartão vermelho e não levou.

O CR7 não voltou para o segundo tempo, machucado, nem Philippe Coutinho, trocado por Semedo.

E logo aos 7′, Suárez roubou bola de Varane, com falta, e deu para Messi fazer 2 a 1.

Ovacionado, Iniesta deu lugar para Paulinho.

O jogo, que teve momentos que beiraram a deslealdade no primeiro tempo, era disputado como sempre, no andar de cima, num patamar de excelência que deixamos de ver no Brasil.

Quando o time merengue parecia conformado, Asensio deu uma enfiada genial para Bale arrematar de fora de área e empatar 2 a 2, aos 72′.

A invencibilidade catalã voltava a correr sérios riscos, com um jogador a menos.

Para sorte de Jordi Alba, o assoprador de apito, muito ruim, não marcou pênalti dele em Marcelo.

A não expulsão de Bale nos acréscimos do primeiro tempo, a falta de Suárez no segundo gol catalão e o pênalti em Marcelo, são erros que El Clasico não merece, mas o embate entre o goleiro Keylor Navas e Lionel Messi compensava os erros do assoprador.

À medida que o jogo se aproximava do fim o empate ficava de bom tamanho para os campeões espanhóis.

No começo, os madridistas não fizeram, o pasillo, o corredor para receber os campeões e, no fim, com Suárez, machucado, não quiseram saber de fair play.

O Real Madrid segue na frente com 95 a 93 vitórias no clássico e 50 empates e vai de moral alto para a decisão da Liga dos Campeões contra o Liverpool.

E o Barça tem três jogos ( Villarreal, em casa, Levante, fora, e Real Sociedad, em casa) para acabar o Campeonato Espanhol invicto.