Blog do Juca Kfouri

Timão ganha como sempre

Juca Kfouri

O Corinthians começou sua campanha em busca de ser o primeiro octocampeão brasileiro desde que o campeonato, em 1971, tem esse nome ao seu estilo de sempre.

Busca um gol sem correr riscos, obtém e administra a vantagem.

Assim foi em Itaquera no primeiro tempo.

Na única chance que teve, aos 45 minutos, Rodriguinho, outra vez de cabeça, aproveitou cruzamento de Romero e fez 1 a 0.

O que o time não esperava era ver o Fluminense empatar logo aos 4′ do segundo tempo, numa tabela de cabeça dentro da área, depois de cobrança de lateral, que acabou nos pés de Richard: 1 a 1.

O Tricolor que havia sido tímido no primeiro tempo, tratou de ser mais agressivo no segundo.

Que ficou muito mais interessante que o primeiro.

Com o Fluminense mais perigoso.

Aos 22, saiu Matheus Vital e entrou Emerson Sheik.

No minuto seguinte, Maycon substituiu Renê Júnior.

Estava feliz o técnico Fábio Carille?

Abel Braga tinha motivo para estar mais, mas também trocou Pedro por João Carlos, aos 30.

Aliás, por contusão no primeiro tempo, já tinha trocado Ibañez por Frazan.

Pedrinho foi a última mudança alvinegra, no lugar de Romero, aos 33.

Os anfitriões dominavam, mas não levavam perigo aos visitantes.

Até que, como já está se ficando monótono, Maycon enfiou para o Sheik, ele foi à linha de fundo e deu para Rodriguinho fazer mais um gol: 2 a 1, aos 40.

Marcos Júnior foi para o jogo no lugar de Renato Chaves, tudo ou nada, atacante no lugar de zagueiro.

A estrela que brilha é de Carille.

E o Corinthians mantém sua maneira de ser, diante de 29 mil torcedores.

Irritantemente eficaz.