Blog do Juca Kfouri

Desfalcado, Grêmio ganha como campeão

Juca Kfouri

Pode haver um primeiro tempo sem gols e sem emoção ser interessante?

É difícil, mas pode.

Principalmente para quem gosta de xadrez.

Que foi o jogo que Mano Menezes e Renato Portaluppi propuseram a quem acompanhou Cruzeiro e Grêmio, no Mineirão (15.446 pagantes,

19.285 presentes) na abertura do Brasileirão.

O Grêmio ficou quase 70% do tempo com a bola num jogo em que houve apenas 14 faltas e se revelou embate entre as intermediárias, com os mineiros mais insinuantes e os gaúchos com controle das ações.

Geromel fez falta atrás e Luan muita falta na frente do Tricolor.

Como Raniel, já que Fred só no fim do ano, no ataque do campeão mineiro.

Nem Fábio nem Grohe tiveram o menor trabalho e como Sóbis não funciona como centroavante, o Cruzeiro voltou com Sassá.

Aos 9 minutos, num segundo tempo mais aberto, Ramiro desceu pela direita e cruzou na cabeça de Everton que desviou para o estreante André não perdoar: 1 a 0.

Em seguida Marcelo Grohe trabalhou pela primeira vez e muito bem, para evitar o empate dos pés de Thiago Neves.

Mas Fábio não ficou atrás, porque em jogadaça do valioso Everton, ao deixar o Dedé no chão e chutar no canto, o goleiro evitou o 2 a 0.

Acabou o xadrez, tínhamos bom futebol, já com Mancuello no lugar de Ariel Cabral.

O visitante campeão da Libertadores se impunha, desfalcado, sobre o campeão da Copa do Brasil, doce revanche do ano passado.

Aos 27′, o argentino Kannemann acabou expulso por evitar que o uruguaio Arrascaeta pudesse empatar e André saiu para entrada de Bressan.

Rafael Marques substituiu Robinho.

O jogo ficou parado por quatro minutos e pegou fogo.

Michel entrou para ajudar a fechar no lugar de Everton.

Nos acréscimos, Arrascaeta tirou tinta da trave gaúcha e Mancuello exigiu grande defesa de Marcelo Grohe.

Se terminasse 1 a 1 não seria injusto, mas fato é que o Grêmio ganhou feito campeão.

Arthur, por exemplo, joga tanto que quando erra um passe, coisa rara, chama a atenção.

Com um pouco mais de velocidade, e intensidade, teria sido um jogo à inglesa.

Valeu!