Blog do Juca Kfouri

A fala do secretário-menor da CBF na ESPN Brasil

Juca Kfouri

Walter Feldman, o secretário-menor da CBF, que começou sua carreira no PCdoB e a termina na CBF, com passagens pelo PMDB, PSDB e PSB, deu hoje uma patética entrevista para ESPN Brasil.

Inquirido pelos jornalistas Celso Unzelte e Leonardo Bertozzi, disse que a emissora ficou contra a postura da CBF de querer cobrar dos clubes a implantação da vídeo-arbitragem (VAR) por “motivos ideológicos”.

Difícil entender o que quis dizer.

Será porque a ESPN é ideologicamente a favor da justiça no resultado dos jogos e por considerar que a CBF deveria ser a mais interessada em promovê-la?

Disse ainda que a negativa da entidade em arcar com os custos da VAR se dá porque não há previsão de recursos que a financiem.

Curioso, porque, no ano passado, o então presidente, hoje afastado por corrupção pela FIFA, o Marco Polo que não viaja, quis implantar o sistema de uma semana para outra.

Então, não fez nenhuma referência à questão do financiamento.

O secretário-menor, acuado por perguntas que não sabe responder, preferiu fugir do debate e se despediu de sopetão.

Porque os repórteres quiseram saber, diante da informação dele de que o Campeonato Brasileiro dá prejuízo à CBF, por qual motivo não entrega o torneio para uma Liga dos clubes.

Ele deixou claro que o Brasileirão não é prioridade para CBF, mais preocupada em fomentar o futebol feminino de base.

Feldman, uma biruta ideológica como sua vida pública demonstra exaustivamente, agarrado ao que ganha na CBF, só não disse que a VAR é um instrumento subversivo, de inspiração albanesa, um dia defendida por ele.