Blog do Juca Kfouri

Real Madrid afasta a zebra do século

Juca Kfouri

Um goleiro surpreendente, Al Khaseif, que fez sete defesas, cinco delas improváveis, nos primeiros 20 minutos de jogo.

Um gol anulado pela vídeo arbitragem de Casemiro, por impedimento de Benzema.

Três contra-ataques do Al-Jazira, o último deles armado e concluído com sucesso por ele, o predestinado Romarinho e pronto!

Fim de primeiro tempo com Al-Jazira 1, Real Madrid 0.

Era para estar, no mínimo, 4 a 1 para os espanhóis, tamanho o massacre.

Mas eram os árabes que estavam na frente.

O futebol exagerava em sua capacidade de surpreender.

Um verdadeiro espanto!

É claro que tudo indicava a virada e até por goleada. Mas quem garantia?

Começa o segundo o tempo, o Real se manda inteiro, sai novo contra-ataque puxado por Romarinho que dá a bola para Boussoufa na área e ele faz 2 a 0, mas o gol é invalidado por impedimento milimétrico pela vídeo arbitragem.

O incrível Al Khaseif se machuca e tem de sair…

No primeiro chute ao gol depois da saída dele, por Cristiano Ronaldo, cruzado, 1 a 1.

O massacre recomeçou.

Benzema teve o segundo gol nos pés, mas foi a vez do reserva Al Senaani evitar, em ótima defesa.

Incrível como o Real Madrid permitia os contra-ataques, o que certamente não fará contra o Grêmio, se conseguir a classificação.

Sim, se conseguir…quem diria?

Aos 20, Benzema carimbou a trave árabe.

Zinedine Zidane, tão surpreso como o mundo, sacou Isco e Kovacic e pôs Asensio e Lucas Vásquez.

Outra vez, Benzema mandou na trave, o que não altera o placar, aos 24.

A virada amadurecia a cada minuto, mas, vai que saísse novo contra-ataque…

A dificuldade madridista dava razão aos que defendem que Mundial tem de ter times de todos os continentes.

Por outro lado, comprovava como o mata-mata não define, necessariamente, o melhor.

Ou alguém duvida que o Real Madrid é melhor que o Al Jazira?

Faltavam 10 minutos para o jogo terminar e o 1 a 1 não saía do placar.

Romarinho jogava demais, atrás e na frente.

Benzema saiu e Bale entrou aos 35. É até covardia.

Entrou e em seu primeiro toque na bola fez 2 a 1.

Estava afastada o que seria a maior zebra do século 21 no futebol mundial e definida a final que todos esperam, entre Real Madrid e Grêmio.

Grêmio que sabe ser inferior, mas que viu de perto, em Abu Dhabi, que vencer é possível.