Blog do Juca Kfouri

Uma semana para pensar no Lanús

Juca Kfouri

O Grêmio batalhou com todas as suas força numa noite em que não conseguiu jogar o seu futebol e acabou ganhando do Lanús por 1 a 0, gol de Cícero com passe de Jael, dois jogadores que vieram do banco para dar a vitória no jogo de ida da decisão da Libertadores, diante de 55 mil torcedores na Arena Grêmio.

Agora o Tricolor gaúcho tem uma semana para pensar no jogo da volta, no estádio de La Fortaleza, do Lanús, na província de Buenos Aires.

Vai ser uma guerra.

Se em Porto Alegre, no seguro estádio gremista, o assoprador de apito chileno não teve coragem de marcar um pênalti claríssimo para o time brasileiro no derradeiro minuto de jogo, imagine no velho estádio do Lanús, de 88 anos, para 47 mil torcedores.

Pênalti, diga-se, assim descrito pelo jornal portenho Olé: “a péssima arbitragem não viu um pênalti para o Grêmio no final”.

É claro que o “não viu” aí é modo de dizer, porque o assoprador de apito viu, tanto que levou o apito à boca, só não teve foi coragem de marcar.

O Grêmio não terá seu xerife argentino Kannemann na finalíssima, injustamente punido com um cartão amarelo que o tira do jogo.

Mais que nunca vai precisar de sua alma copeira para ganhar o tricampeonato.

Porque nem será necessário um esquadrão de drones, mas só um pouco de imaginação para prever o clima que encontrará.

Comentário para o Jornal da CBN desta quinta-feira, 23 de novembro de 2017, que  você ouve aqui.