Blog do Juca Kfouri

Escândalo da Fifa: todos negam

Juca Kfouri

Os acusados de hoje na Corte de Nova Iorque que julga o escândalo da Fifa ou negam as acusações ou se escondem.

No que diz respeito ao Brasil, a TV Globo não só nega ter pago propinas aos cartolas como informa ter feito sindicância interna e ouvido de seu ex-executivo na área, Marcelo Campos Pinto, que jamais pagou um tostão fora dos contratos, além de se colocar à disposição da Justiça americana, “por uma questão de honra”.

Campos Pinto não foi achado hoje pelo “Jornal Nacional”, assim como Ricardo Teixeira.

A Fox Sports, também denunciada, ainda não se pronunciou.

José Maria Marin tem alegado inocência desde que foi preso há mais de dois anos e, agora, diz que era um presidente decorativo na CBF, comandada de fato por Marco Polo del Nero, o que, se não o inocenta, é, de certa forma, verdade.

Del Nero, por sua vez, em nota da CBF, alega inocência e como o executivo argentino Alejandro Burzaco, que delatou o esquema de propinas, falou em presidentes da Conmebol, membros de seu comitê executivo, vice-presidentes e presidentes de federações nacionais entre 2006 e 2015, tenta esclarecer: “Igualmente, o que ali ficou apurado foi que os contratos sob suspeita não foram por ele assinados nem correspondem ao período de sua gestão na presidência da CBF. Esclarece, ainda, que jamais foi membro do Comitê Executivo da Conmebol, mostrando-se também falsa essa informação”

Marco Polo parece ter esquecido que assumiu a CBF em abril de 2015, portanto dentro do período indicado pelo delator argentino, e que não está citado necessariamente como membro do comitê executivo da Conmebol, mas que cabe perfeitamente na citação aos presidentes de federações nacionais.

Enfim, Temer nega, Aécio nega, Gedel nega, Padilha nega, Moreira Franco nega e Lula também nega.

Em quem acreditar?

No Brasil, protela-se.

Nos Estados Unidos, não.