Blog do Juca Kfouri

O Santos não quer ser campeão?

Juca Kfouri

O panorama antes de Santos x Vitória no Pacaembu, com menos torcida do que se esperava, 19.007 torcedores era o seguinte:

o Santos vinha de 24 jogos sem perder no estádio, com 22 vitórias;

o Santos jamais perdera como mandante para o time baiano em Brasileirões;

o Vitória vinha de cinco vitórias como visitante, contra Flamengo, Corinthians, Coritiba, Galo e Botafogo.

Um triufo poria o Santos a sete pontos do primeiro lugar.

O Vitória jogava para ser o 10°.

E o time baiano começou atrevidamente para cima do santista.

Dava a impressão de que o Santos tinha certeza de que faria o gol quando resolvesse, porque, quando o 15º minuto chegou, o time estava letárgico.

Talvez por esperar um Pacaembu com clima mais caloroso na noite fria da primavera paulistana.

Daí, aos 23, Copete errou passe fácil na intermediária rubro-negra, o contra-ataque saiu veloz e culminou nos pés de David depois de troca perfeita de passes, e o atacante teve frieza para driblar o goleiro Vanderlei: estava aberto o placar e o 1a 0 era justíssimo.


E o segundo gol só não saiu aos 28 porque Vanderlei evitou.

O Santos seguia preguiçoso e a torcida se enervava com os acertos da arbitragem.

Mas. aos 36, Zeca cruzou na área para Ricardo Oliveira que não alcançou, o que Jean Mota fez para empatar 1 a 1.


O Santos acordou e o Vitória não se acovardou, num jogo movimentado, que foi para o intervalo com o empate fruto de gol procurado pelos visitantes e bem achado pelos anfitriões, embora, aos 46, Ricardo Oliveira temha tirado tinta da trave em cabeçada fulminante.

O segundo tempo prometia, mas Bruno Henrique, machucado, fazia muita falta ao Santos.

De cara, Ricardo Oliveira perdeu duas vezes o gol da virada, na cabeça e no rebote do goleiro Caique.

A resposta não tardou e Neílton carimbou o travessão do Santos, quando o segundo pareceu decretado, aos 10.

Copete e Matheus Jesus saíram e Vechio e Serginho entraram porque Levir Culpi não podia estar feliz, aos 15.

E ficou mais infeliz quando Wallace subiu mais que David Braz e fez 2 a 1, aos 20.


Uma perguntava se impunha: o Santos não quer ser campeão, não está a fim de apertar o Corinthians?

Quem respondeu foi o zagueiro Ramon que marcou contra de cabeça, aos 23: 2 a 2.

Mas o empate mantinha o Grêmio na vice-liderança, nove pontos atrás do líder, embora com a chance de diminuir para seis já depois de amanhã.

O Vitória completava, sob Vagner Mancini, o sétimo jogo seguido sem perder, com dois empates.