Blog do Juca Kfouri

Nuzman é só a cara do Brasil

Juca Kfouri

Só em barras de ouro Carlos Nuzman escondeu 16 quilos do precioso metal.

Cada medalha de ouro olímpica pesa 500 gramas, embora com apenas 6 gramas de ouro.

Nuzman sozinho tinha o equivalente a 32 medalhas, quantidade apenas inferior ao que os Estados Unidos ganharam na Rio-16.


Mas Nuzman, como João Havelange, seu ídolo e de tanta gente, como Ricardo Teixeira, José Maria Marin e o Marco Polo que não viaja, são apenas os representantes de um estrutura podre, falida, corruptora e corrompida, que há décadas nos assola.

Ou mudamos a estrutura ou mudarão apenas as moscas, na mesma medida em que urge fazer a reforma política no Brasil para não termos um Congresso Nacional e os demais poderes movidos à custa do dinheiro.

Articula-se neste momento um sucessor para Nuzman no COB.

Alguém que faça parte da quadrilha.

Enquanto não democratizarmos o acesso ao poder, sem cláusulas de barreira, com o voto proporcional dos atletas, com novos modelos de gestão, seguiremos na mesma toada.

A desgraça e a humilhação porque passam Nuzman e seus cúmplices não devem fazer a felicidade de ninguém a não ser pelo fato de a Justiça estar sendo feita.

Mas nenhum dos presidentes da República, governadores de Estados, prefeitos, ou veículos e jornalistas que tabelaram com ele, ou com os cartolas da CBF, desconheciam com quem tratavam.

E, assim mesmo, trataram.

Eis a miséria nacional, da promiscuidade, do compadrio com o malfeito, do fechar os olhos e abrir os bolsos.

Daí a conclusão óbvia: estamos perdendo de goleada.