Blog do Juca Kfouri

Caça aos odientos

Juca Kfouri

Como se sabe as redes antissociais são o lugar ideal para esconder a covardia e a miséria humanas.

Como não as frequento sei apenas por tabela das barbaridades que acontecem nelas.

Ofensas, ameaças, estupidezes sem fim.

Mas o exercício dos odientos pode estar começando a acabar.


Porque o colega Mauro Cezar Pereira resolveu levar ao Ministério Público uma coleção deles e o procurador de Justiça Paulo Marco Ferreira Lima, coordenador do Núcleo de Combate ao Crime Cibernético, oficiou à Delegacia de Polícia de Repreensão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva que há indícios de práticas delitivas de um crime contra a honra e ameaça por meio eletrônico.

Mauro Cezar está disposto a acionar na Justiça os mais violentos para dar o exemplo e desestimular novos ataques, medida didática em busca de civilidade nas redes.

Não tenho, como já disse, nem Twitter, nem Facebook, nem Instagram, nada. O UOL alimenta os dois primeiros do blog.

Mas conto apenas dois casos acontecidos nos comentários do blog para que você tenha a ideia do tamanho da covardia.

Tempos atrás via constantemente, nos comentários postos no lixo pelo moderador do blog, Rafael Belattini,  um ataque por suposta proteção que eu daria a um cartola do São Paulo. Um cartola por quem não tenho o menor respeito, hoje na CBF.

Pedi ao UOL o e-mail do comentarista e descobri que ele é professor de uma faculdade no norte Paranaense.

Escrevi para ele e o informei que o próximo comentário que fizesse seria publicado como nota e tornaria público seu nome e função, o que certamente o desmoralizaria na comunidade acadêmica.

Pois eis que ele nunca mais apareceu.

Mais recentemente, e por outro motivo parecido, identifiquei novo odiento, dono de uma pousada no litoral paulista, mais exatamente no Guarujá.

Também o informei saber quem ele é.

Eis que foi outro que tomou chá de sumiço.

O curioso é que ninguém tem coragem para fazer abordagens nas ruas, restaurantes, cinemas ou palestras que faço, ao contrário, as aproximações são sempre amigáveis.

Ontem mesmo recebi mais uma prova disso, quando cerca de 400 pessoas foram ao lançamento de meu novo livro.

Este blog é frequentemente acessado por 100 mil visitantes únicos, ou mais, num só dia.

O número de comentários é incomparavelmente menor e, curioso, cerca de 30% para xingar, ou por motivos futebolísticos ou políticos, todos devidamente vetados.

A moderação tem esta função: a de respeitar a esmagadora maioria que não merece ser alvejada por odientos.

Digo sempre que admiro uma jornalista de Israel que um dia escreveu que só dorme feliz quando atacada por árabes e judeus.

Pois eu gosto quando os ataques vêm de corintianos e palmeirenses, de direitistas histéricos ou esquerdistas fanáticos, que não entendem que eu entreviste Lula ou Romário.

Primeiramente porque acessam o blog e o mantém com alta audiência.

E depois porque usam este espaço para extravasar seus traumas, recalques, falta de espírito esportivo, mau humor e indigência política.

O blog passa a ter função terapêutica…

\