Blog do Juca Kfouri

Botou fogo!

Juca Kfouri

O Corinthians jogou o primeiro turno como campeão e tenta jogar o segundo feito um gerentão, para administrar a sua vantagem.

No primeiro tempo, de bom jogo, o Botafogo foi mais perigoso e só não saiu na frente porque Cássio impediu uma vez e Balbuena  outra, quase sempre em contra-ataques que, estranhamente, o Corinthians, como visitante, permitia aos anfitriões.

Jadson errava passes fáceis e difíceis, Arana não existia e Marquinhos Gabriel, aos 15 minutos, acertou o travessão carioca.

Para a etapa final o Corinthians voltou com Romero em lugar de Jadson, para, ao menos, marcar.

Mas tomou o gol de Brenner, aos 7 minutos, sozinho na segunda trave depois de escanteio pela esquerda.

O gerentão se dava mal e via a vantagem de nove pontos virar apenas seis, ao faltarem oito rodadas.

Errava passeses em cima de passes até que Jô, sempre ele, recebeu uma bola de Arana que não era para ele, mas para Romero, e empatou: 1 a 1

O gerentão voltava a ficar sete pontos adiante de Palmeiras e Santos.

E Guilherme substituiu Pimpão, aos 19.

Balbuena, outra vez, salvou o gol do Glorioso , aos 26.

Valença substituiu Marcos Vinicius.

A lentidão corintiana na recomposição é outro aspecto negativo. O time virou o fio?


O Botafogo não tem nada com isso e, em novo escanteio, fez 2 a 1,com Igor Rabelo, aos 30, diante de mais de 8 mil torcedores.

Clayson entrou no lugar de Gabriel e Brenner deu lugar a Gilson.

Até Kazim foi para o jogo, aos 42, no lugar de Marquinhos Gabriel, porque desespero pouco é bobagem.

O time chutou duas bolas no gol: uma na trave e a outra dentro.

No derradeiro minuto, Jô foi agarrado e derrubado na área, mas o assoprador de apito mandou o jogo seguir.

O Botafogo deixava o Flamengo para trás e, de fato, botava fogo no Brasileirão.