Blog do Juca Kfouri

Mengão escapa, Sport sobra

Juca Kfouri

Depois de um primeiro tempo deprimente na Arena Condá, com 9.716 pagantes, sem gols e sem emoção, o segundo seguiu ainda sem gols, mas com algumas emoções, as duas maiores proporcionadas pela Chape na perda de dois gols daqueles que a avó da gente faria.

O Flamengo também tentou, mas, em regra, de longe.


O 0 a 0 é, como se sabe, o melhor empate para quem faz o primeiro jogo em casa.

Se na volta, na Ilha do Urubu, a Chapecoense puser o pé na forma e fizer um golzinho, pode complicar o Flamengo de Rueda que, estranhamente, deixou Éverton Ribeiro no banco até os 41 minutos do segundo tempo.

Ainda não nasceu um treinador que me convença de que ele e Diego não possam jogar juntos.


Já na Ilha do Retiro, com apenas 6.254 pagantes, o Sport foi muito superior à Ponte Preta e ganhou de 3 a 1, com 2 a 0 já no primeiro tempo, gols de Ronaldo Alves, aos 7, e Rithely, aos 44.

Chegou a fazer 3 a 0, com André, aos 30 do tempo final, para praticamente assegurar a vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana, mas sofreu um gol aos 37, de Felipe Saraiva, e deixou a Macaca ainda viva.

O Sport sabe bem disso.

Quando ganhou sua Copa do Brasil, em 2008, perdeu para o Corinthians por 3 a 1 e venceu no Recife por 2 a 0 para ser o campeão.

No Morumbi, aos 37 do segundo tempo, Enílton fez o gol que deu aos pernambucanos a certeza de que o título não escaparia.