Blog do Juca Kfouri

Um bom empate ruim no Mineirão

Juca Kfouri

De Cruzeiro e Santos espera-se um jogo franco, em busca do gol.

Tradição que vem dos anos 1960, anos dourados de Tostão e Pelé.

É verdade que era o que o Cruzeiro queria hoje no Mineirão, mas o Santos tinha outra ideia.


Uma ideia pouco original, diga-se, porque usada, em regra, pelos visitantes neste Brasileirão: deixar o anfitrião com a bola  e cutucá-lo em contra-ataques.

Foi o que o time de Levir Culpi fez e por pouco, em duas cutucadas, não marcou, assim, dois gols com Bruno Henrique.


Marcou só um, aos 20, ao se aproveitar, de cabeça, de um passe de Copete que havia recebido uma cavada brilhante de Lucas Lima.

No fim do primeiro tempo, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira tabelaram de cabeça, mas na tentativa de encobrir Fábio que saía do gol, Bruno tocou mais forte do que precisava.

O Cruzeiro não conseguia penetrar na defesa praiana e o intervalo chegou com 1 a 0 para o Santos.


Nos dez primeiros minutos do segundo tempo o time mineiro seguiu tentando, até que Lucas Silva imitou o xará Lima e enfiou uma bola rara para Rafinha desviar na saída de Vanderlei, com pouco ângulo: 1 a 1.


Dois gols que Dirceu Lopes e Mengálvio aplaudiriam.

Mas Mano Menezes queria mais e trocou Thiago Neves por Arrascaeta.

Se Bruno Henrique perdeu seu segundo gol, Rafinha também perdeu o dele, salvo por outro Lucas, o Veríssimo, na linha fatal, em lance irregular, mas que valeu, aos 21.

O jogo estava mais franco do que nos 45 minutos iniciais.

Kayke substituiu o capitão Ricardo Oliveira.

O empate era bom para os visitantes?

Nada disso! E ficou claro que não quando Nilmar foi para o jogo, no lugar de Copete, aos 29.

Mas o Cruzeiro parecia mais perto da vitória.

Machucado, Lucas Silva saiu e Nonoca entrou, aos 37.

Élber entrou no lugar de Rafinha e Cittadini substituiu Renato, aos 40, no duelo particular entre os técnicos. 

Sassá ainda teve a chance da virada, mas Vanderlei, sempre ele, evitou.

O Santos perdia a chance de ficar a dez pontos do Corinthians e tentar diminuir para sete no clássico da Vila Belmiro na próxima rodada. Ficou a 12.

E o Cruzeiro pode perder o sexto lugar para o Sport, caso o time pernambucano vença o Grêmio, em Porto Alegre, no sábado que vem.

Em resumo: empate ruim para os dois num bom jogo de futebol diante de apenas 12 mil torcedores.