Blog do Juca Kfouri

Grêmio vira e festeja depois do susto

Juca Kfouri

Futebol é futebol e contra time argentino, por menor que seja, futebol é sempre mais futebol.

Os hermanos dizem o mesmo a nosso respeito.

Fato é que o Grêmio tomou um baita susto, aos 14 minutos, quando Correa acertou um tirambaço, com o peito do pé, do meio da rua,  no meio do gol gaúcho,  pelo alto,  e Marcelo Grohe, com mãos de alface, não defendeu.


o goleiro já havia evitado dois gols dos argentinos que começaram o jogo no ataque.

1 a 0 levava a decisão da vaga na quartas de final da Libertadores à marca do pênalti.

O Grêmio já jogava melhor, tinha o domínio da jogo, acertara a trave com Luan, mas se valeu também  de uma falha do goleiro rival para empatar com Pedro Rocha, aos 28.

Luan chutou da direita, o goleiro bateu roupa, Barrios pegou o rebote e deu para Pedro Rocha empatar.


Alívio e respiro para o Grêmio voltar a se impor e conduzir o jogo ao seu estilo.

Para o segundo tempo o Grêmio não deixou os argentinos fazerem o que fizeram no começo do primeiro, por mais que eles precisassem de um gol.

Luan barbarizava, como quase sempre, mas o clima não era o da esperada festa, porque o jogo seguia indefinido.

Até os 14 minutos…

Porque Geromel puxou o contra-ataque ao roubar a bola, dá-la para Luan, deste para Barrios que chutou na trave e viu Pedro Rocha pegar o rebote e virar: 2 a 1.

A Arena Grêmio podia fazer rolar a festa.

O famoso “toco y me voy” argentino era tricolor.

Nos acréscimos, Michel foi expulso e não jogará contra o Botafogo ou Nacional de Montevidéu.

O Grêmio segue vivíssimo em busca do tri continental.

Mais vivo estará se Luan, que teve o nome cantado depois do jogo, ficar.

Improvável, mas não custa sonhar.