Blog do Juca Kfouri

Quem pára o Corinthians?

Juca Kfouri

Antes que você corrija o título, reitere-se que o blog não segue as bobagens da tal reforma ortográfica que não distingue mais o verbo parar da preposição para.

A pergunta é se existe alguém que possa parar o líder do Brasileirão e não se vem mais algum jogador para o time.

Dito isso, vamos ao jogo entre Timão e Macaca.

A Ponte Preta foi melhor que o Corinthians durante os primeiros 30 minutos de jogo.

Não deixava nem Rodriguinho nem Jadson jogarem e ainda ameaçava com Emerson Sheik, constantemente derrubado pela defesa corintiana, além de ter dado um chute perigoso com Lucca.

Aos poucos os donos da casa equilibraram e, a partir dos 35 minutos, tomaram conta, com a criação de três boas oportunidades de gol, a melhor delas em cabeçada de Romero que Aranha defendeu, na melhor defesa até então.


Aos 46, Aranha fez foi milagre, em cabeçada de Jô. Mas Arana pegou o rebote e a bola sobrou para Jadson, com uma frieza incrível, botar a bola pelo alto, na bochecha da rede para abrir o placar da Arena Corinthians.

O líder invicto ia para o vestiário com a vantagem de 1 a 0.

E o Corinthians na frente…

Com 90 segundos do segundo tempo, Jadson lançou Rodriguinho pela direita, o meia achou Jô na área e o centroavante bateu seco, sem defesa para Aranha: 2 a 0.


Se o Corinthians competiu com a Ponte durante 50 minutos, a partir do segundo gol tratou de tentar impedir que ela entrasse em sua área, o que conseguiu até o 19º minuto, quando Emerson Sheik foi derrubado dentro dela por Arana e o pênalti foi marcado, com os corintianos reclamando de uma falta anterior em Balbuena.

Para quem reclama da arbitragem por vídeo, sem esta o pênalti demorou seis minutos para ser cobrado.

Lucca bateu e adivinhe o que aconteceu?

Sim, o gigante Cássio defendeu!

A bola vai pouco ao gol corintiano, mas quando vai, encontra uma barreira, como em 2012 e 2015.


Por precaução, já pensando no Dérbi, porque Jô tem dois cartões amarelos foi sacado por Fábio Carille e Kazim entrou no jogo.

Maycon também saiu para dar lugar a Camacho, mas a pedido.

Em mais uma noite festiva em Itaquera, era justo que o novo xodó da Fiel participasse, e Pedrinho, o garoto herói da vitória anterior, contra o Botafogo, substituiu Jadson.

Aos 40, Sheik teve a chance do gol quando Lucca o deixou cara a cara com Cássio, que fez ótima defesa ao sair nos pés do ídolo corintiano autor, cinco anos atrás, dos dois gols que derrotaram o Boca Júniors na final da Libertadores, ganha de maneira invicta, como invicta está a equipe corintiana no Brasileirão.

Impressionante, o Corinthians.

Para alegria de 32.877 pagantes, houve ainda oito minutos de acréscimos, por conta da absurda paralisação antes da cobrança do pênalti.

Ah, a resposta para o título desta nota: o Palmeiras, na sua casa, na quarta-feira que vem.

Também , se não parar…

E parar, aí, é sinônimo de derrotar, porque o empate será ótimo resultado para o líder visitante.