Blog do Juca Kfouri

Furacão abala o Timão

Juca Kfouri

De repente, aos 38 minutos, uma jogada espetacular de Jonathan estremeceu a Arena Corinthians.

O líder invicto do Brasileirão já havia exigido duas defesas de Weverton, mas criava pouco, porque Fagner não estava acertando seus passes, Rodriguinho estava fora e, principalmente, Arana também estava ausente, o que fazia da saída de bola um problema.


Foi então que o lateral do Atlético Paranaense enfileirou a defesa alvinegra dentro da área para fazer um golaço e estabelecer, pela primeira vez no Brasileirão, uma desvantagem para o Corinthians.

Ele deu uma caneta em Moisés e, de quebra, livrou-se de mais três e fulminou.

Em seguida a Fiel viu Maycon quase empatar, mas Weverton impedir.

E viu Moisés, como se fosse Arana, cruzar na primeira trave para Jô, ainda aos 44, empatar: 1 a 1.


A Arena Corinthians, que havia estremecido para incentivar o time assim que tomou o gol, estremeceu de novo, mas de felicidade.

O susto tinha passado e havia todo o segundo tempo para buscar a vitória.

O Furacão, no entanto, dava trabalho como era de se esperar.

O Corinthians voltou para o segundo tempo muito mais organizado, menos ansioso e acertando mais os passes.


Foi exatamente assim, com calma que, aos 5, Jadson deu para Jô na área, o artilheiro deu para Maycon que foi à linha de fundo e devolveu para o centroavante, friamente, virar o jogo para o Corinthians: 2 a 1.

Aí, até tocar de calcanhar Romero andou tocando.

O problema passou a ser dos visitantes que passaram a contar com Nikão.

Aos 15 Fagner combinou com Jô e faria um gol de placa caso não tivesse finalizado por cima e Marquinhos Gabriel tentava, tentava, mas mais errava que acertava.

Douglas Coutinho teve a chance do empate aos 20, mas chutou por cima, diante de 41.450 torcedores que começaram a pedir a entrada de Pedrinho.

Pedrinho entrou no lugar de Marquinhos Gabriel, aos 30, como queria a Fiel.

O Furacão não desistia, mas não conseguia causar maiores danos na defesa do Timão e nem o assoprador de apito tinha muito trabalho.

Jadson, aos 34, foi fominha em contra-ataque e desperdiçou a chance de o Corinthians ampliar.

O castigo veio a cavalo quando Balbuena pôs a cabeça numa bola chutada de longe por Otávio e empatou o jogo sem que Cássio nada pudesse fazer, aos 36.

Dois minutos depois, no entanto, Cássio evitou o terceiro gol de Sidcley.

Aos 40 foi a vez de Weverton evitar o terceiro gol de Jô numa defesa sensacional.

Clayson entrou no lugar de Romero logo depois de uma bola desviada por Pedrinho quase surpreender Weverton.

O Corinthians seguia invicto, mas perdia mais dois pontos, como contra a Chape, que não estavam em seus planos.

Será o começo das dificuldades apontadas por Renato Portaluppi?

O blog voltará à normalidade na segunda-feira.