Blog do Juca Kfouri

Flamengo joga pouco, o suficiente para derrotar o Vasco

Juca Kfouri

Quer saber como foi o jogo em São Januário no primeiro tempo?

Todos gostariam de saber.

18.328 pagantes inclusive.

Porque não teve jogo, mas uma pelada de quinta.

E como foram os goleadores Luís Fabiano e Guerrero?

Não foram.

O rubro-negro recebeu cartão amarelo aos 3 minutos e o cruzmaltino aos 30.


Foi tudo e foi só, além de duas trocas por lesão: no Flamengo saiu o zagueiro Rhodolfo e entrou Léo Duarte e no Vasco saiu o volante estreante Bruno Paulista e entrou Andrey.

Do Vasco não se pode exigir mais, ao contrário do que acontece com o Flamengo.

No segundo tempo o panorama não mudou o que mudou foi o ataque rubro-negro, que perdeu Guerrero com enorme galo na cabeça e foi trocada por Leandro Damião.


Em seguida, Diego teve a primeira chance de gol e, logo depois, Everton, de cabeça, aproveitou belíssima jogada e cruzamento do xará Ribeiro.

Começou, enfim,  o jogo, o Clássico dos Milhões.

De voleio, Luís Fabiano quase empatou não fosse a boa defesa de Thiago.

Pikachu saiu e Manga entrou no Vasco e Rômulo substituiu Léo Duarte, por lesão, no Flamengo.

O Flamengo ainda criou nova chance para ampliar, mas a zaga bloqueou na hora h.

O Vasco perdia sua segunda partida em casa e o Flamengo ocupava a vice-liderança, pelo menos por uma noite, porque é muito improvável que o Grêmio não a recupere.

Revoltada, a torcida vascaína tentava invadir o gramado e jogava tudo o que tinha nas mãos no gramado, além de fogos de artifício.

Os jogadores do Flamengo permaneciam no centro do gramado, sem poder ir para o vestiário.

É o que a impunidade produz.

Se houver um mínimo de juízo, São Januário será interditado.

Mais cedo, em Goiânia, o Vitória ganhou do Atlético Goianiense por 2 a 1 e deixou o time da casa com a lanterna na mão diante de apenas 1.738 testemunhas, para uma renda de R$ 35.660,00, prova provada de que o time do Brasil Central não tem nada a fazer na Série A.