Blog do Juca Kfouri

Timão só empata em casa com a brava Chape

Juca Kfouri

A Chapecoense chegou em Itaquera disposta a surpreender o Corinthians.

E conseguiu. 

Foi para cima desde o apito inicial e carimbou a trave alvinegra logo aos 5 minutos.

Só cinco minutos depois o Corinthians conseguiu responder com uma cabeçada de Rodriguinho que não bateu na trave, mas arrancou lasca dela.


O jogo estava franco, bem disputado e leal até que Fagner deu para Rodriguinho achar Jô no meio da zaga catarinense e o centroavante não desperdiçar, aos 21: 1 a 0.

Curiosamente daí para frente o jogo ficou menos franco, embora ainda agradável de se ver.

Já o segundo tempo começou quente, lá e cá até que, aos 10, Arthur Caike ganhou de Fagner pelo alto e acertou o travessão, para Wellington Paulista pegar o rebote e estufar a rede paulista: 1 a 1.

Aí pegou fogo mesmo.

O Corinthians havia perdido Pablo por problema muscular, trocado por Pedro Henrique no fim do primeiro tempo, e sofria com as bolas alçadas em sua área.

A brava Chape dava trabalho, longe de se intimidar e Fábio Carille trocou Romero por Léo Jabá, aos 23, diante de 31 mil torcedores.

Osman Júnior substituiu Wellington Paulista aos 30, porque Vagner Mancini também queria vencer.

O Paulistinha acabou, a dureza começou e o Alvinegro continua a se dar melhor fora do que em casa.

Kazim entrou no lugar de Gabriel, meio na base do tudo ou nada, duas torres na área verde.

Fagner e Jadson não estavam numa noite exatamente feliz, para não dizer que estavam mal, muito mal.

O 1 a 1, como entre Flamengo e Galo, ficou justo, mas com um peso diferente, porque era jogo que, em tese, o Corinthians tinha obrigação de vencer.