Blog do Juca Kfouri

Em Alagoas apareceu o Peru da Copa de 1978

Juca Kfouri


Em 1978 na Copa do Mundo de Futebol realizada na Argentina, uma história assombrou o mundo. A suspeita de manipulação de um resultado colocou em xeque  a bela conquista da Argentina dentro de casa. A seleção da casa tinha uma situação desconfortável e precisava vencer a Seleção do Peru por quatro gols de diferença para avançar de fase e eliminar a Seleção Brasileira da decisão da Copa. Os argentinos venceram por 6 a 0.

Em Alagoas, uma história de manipulação caiu como uma bomba neste final de semana. Estamos falando do Campeonato Alagoano Sub20 e jogo sob suspeita é a partida envolvendo o Sete de Setembro e o Flamengo Alagoano.

O Sete de Setembro precisaria vencer por 14 gols de diferença para assegurar classificação para a 2ª fase da competição e conseguiu até mais. O Sete fez 17 a 0. Isso mesmo, 17 a 0.

O Jaciobá, equipe da cidade de Pão de Açúcar, localizada a 238km, fez a denúncia que o jogo teve manipulação no resultado e citando nominalmente os envolvidos. Segundo o dirigente Jorginho, que representa o Jaciobá, o presidente do Sete de Setembro, João Batista também preside o Flamengo Alagoano, teria afirmado em um jogo anterior entre Flamengo e Sete, vencido pelo Flamengo por 1 a 0, que a equipe do Flamengo havia prejudicado o Sete, mas que no jogo de volta, venceria de quanto fosse preciso. 
O diálogo teria acontecido com Nem Melo, responsável pelo Flamengo Alagoano, mas que também é supervisor do time profissional do Sete de Setembro.

João Batista que segundo a denúncia presidiria os dois clubes também é vice-presidente de Futebol profissional da Federação Alagoana de Futebol. O caso denunciado pelo Jaciobá levará a suspensão do Alagoano Sub20. A equipe de Pão de Açúcar também pede a eliminação do Sete de Setembro e do Flamengo Alagoano.

A Federação Alagoana de Futebol é presida por Felipe Feijó que herdou a presidência do seu pai, Gustavo Feijó, atualmente, vice-presidente da CBF – Região Nordeste. Felipe segue no comando da FAF tentando mudar ‘velhas práticas’ no futebol alagoano. Recentemente anunciou um convênio com uma clínica que atenderá jogadores dos clubes que compõe a 1ª Divisão do futebol alagoano, mas logo após se depara com uma situação com este nível de gravidade e que precisará ser apurada sob risco de ter o vice-presidente da entidade, com o cargo de maior peso após o seu, estar envolvido em uma manipulação de resultado em uma competição de base.