Blog do Juca Kfouri

Empataço no Beira-Rio

Juca Kfouri

O Inter jogou muito mais que o Corinthians durante todo o primeiro tempo, diante de 34 mil torcedores.

Teve pelo menos quatro chances claras de gol, a maioria desperdiçada por Brenner.

Mas as duas maiores defesas foram do goleiro colorado Marcelo Lomba, em chutes de Romero, e um milagre em tirambaço de Maycon.


Foram 45 minutos eletrizantes, de ver com o coração na mão.

No segundo tempo, aos 7, pela esquerda, Arana, para variar, cruzou no pé de Romero e o paraguaio abriu o placar.


Um castigo para o Colorado que, no entanto, com Rodrigo Dourado em noite de gigante, antecipou-se a Pablo que também estava muito bem, em passe de Nico Lópes, e empatou o jogo de cabeça, aos 11.

Um jogaço!

Aos 18, Fábio Carille tirou o peso morto Marquinhos Gabriel e pôs Giovani Augusto.

O Corinthians resistia e sofria menos que nos 45 minutos iniciais, embora continuasse a errar passes em cima de passes.


Brenner em noite péssima, saiu para entrar Carlos, aos 24.

Antônio Carlos Zago queria a vitória e trocou  Nico Lópes por Valdívia, aos 28.

Que assim que entrou deixou Fágner órfão de pai e mãe com dois dribles sensacionais e quase virou o jogo, numa bola que resvalou na trave.

Em seguida, aos 30, Rodriguinho pôs Giovani Augusto na cara de Lomba e o corintiano permitiu outra grande defesa do goleiro do Inter.

A segunda bola era sempre gaúcha e os paulistas e Giovani Augusto teve de sair para entrada de Léo Jabá.

1 a 1 permite ao Corinthians o 0 a 0 em casa.

Mas qualquer placar no Beira-Rio deixaria o jogo de volta aberto pelo que se viu em Porto Alegre.

Gutiérrez entrou e Edenilson saiu, aos 38.

Aos 43, Lomba outra vez, em bomba de Rodriguinho.

O Corinthians gostava do empate e já fazia por merecê-lo.

Para ganhar tempo, Maycon saiu e entrou Camacho.

Enfim, um empate para torcedor nenhum botar defeito, embora o corintiano tem motivo para ficar mais feliz que o colorado.

*********

O blog se desculpa com os rubros-negros do Rio e do Paraná e com os palmeirenses.

Como fui escalado para o “Linha de Passe” na ESPN Brasil, foi determinado que eu acompanharia o jogo da Copa do Brasil, enquanto Mauro César veria o jogo do Rio e Gian Oddi o do Palmeiras.