Blog do Juca Kfouri

Triângulo horroroso

Juca Kfouri

Leila Pereira, a patrocinadora do Palmeiras,  disse ao diário “Lance!”:  “Eu não esqueço jamais quem esteve ao meu lado, mas você pode ter certeza absoluta que eu não esqueço jamais quem foi contra mim, quem brigou contra mim, quem falou coisas absurdas, quem apoiou essa impugnação”.


Em seu primeiro pronunciamento como comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, o coronel Nivaldo Cesar Restivo, disse considerar “legítima e necessária” a intervenção da PM em outubro de 1992 que resultou na morte de 111 presos, episódio conhecido como “Massacre do Carandiru”.


Finalmente, o recém empossado ministro da Justiça, Oscar Serraglio, foi flagrado em gravação chamando de “grande chefe” o comandante da quadrilha pega pela  Operação Carne Fraca,  da Polícia Federal.


Três manifestações que aparentemente nada têm entre si, mas que mostram um triângulo odioso.

Madame Pereira, que sabe melhor do que ninguém de que não teria direito a ser eleita conselheira do Palmeiras porque é balela a história inventada por Mustafá Contursi, se acha no direito de falar de maneira ameaçadora contra 33 conselheiros do clube, todos legitimos, que não participaram da farsa de sua confirmação. Ela tem certeza de que o dinheiro compra tudo e fica raivosa quando se dá conta que há uma minoria que não se curva.

Já o coronel, ao avalizar um massacre, mostra o que se pode esperar em matéria de violência por parte da PM paulista.

E, finalmente, o episódio com o ministro revela a quantas anda a Justiça no país.

Vai ver é por isso que Marco Polo não viaja, porque sente-se confortável em casa.