Blog do Juca Kfouri

Renan salva o São Paulo de derrota humilhante

Juca Kfouri

O São Paulo fez um péssimo primeiro tempo, em casa, contra o fraco Ituano, que foi mais forte, diante de quase 12 mil torcedores.

Livrou-se de tomar gol e acabou por fazer um, aos 43, em jogada de Pratto para Cueva, sempre ele.

No começo do segundo tempo o goleiro Renan fez uma senhora defesa e evitou o empate.


Buffarini, péssimo e com cartão, saiu para entrada de Júnior Tavares e Douglas, só com cartão amarelo, para a de João Schmidt.

O jogo era simplesmente um horror, mas o Ituano mais perigoso.

O Tricolor errava os passes fáceis e os difíceis.

E de tanto tentar, o Ituano empatou aos 15, com Simião, depois da terceira defesa de Renan, numa jogada rápida que Bruno não teve a menor condição de acompanhar.

O pior ataque do Paulistinha fazia gol na pior defesa do campeonato.

Wellington Nem entrou no lugar de Cícero, aos 21.

Era difícil dizer quem estava pior, se o anfitriões ou os visitantes.

Parece que, passada a novidade Rogério Ceni, o São Paulo voltou à anemia de 2016. Que coisa!


Foi só o São Paulo jogar dois minutos para Pratto completar com uma cabeçada na trave.

Em seguida, o assoprador de apito, covarde, teve medo de dar o segundo cartão amarelo para Cueva, que impediu a devolução de bola do goleiro de Itu.

Aos 36, Renan salvou o São Paulo outra vez, ao fazer milagre em cabeçada depois de escanteio.


Renan Ribeiro foi a única boa notícia para o são-paulino numa tarde fria no Morumbi e de péssimo futebol, na qual até Cueva perdeu gol certo aos 43, depois que a defesa caipira entregou um contra-ataque ao Tricolor.

Rogério Ceni errou principalmente ao juntar Breno e Jucilei na mesma dupla de zaga no segundo tempo, porque reuniu a lentidão com a falta de velocidade.

Mas, realmente, faltam opções, porque, cá entre nós, Lugano também já deu.