Blog do Juca Kfouri

Raios-X do Clássico da Saudade

Juca Kfouri

É tão raro termos no atual futebol brasileiro  um clássico que, além da rivalidade, valha também pela qualidade técnica dos dois times, que vale a pena voltar ao embate de ontem entre Santos e Palmeiras.

Mas apenas para acrescentar o que segue.

O Santos jogou melhor durante todo o primeiro tempo até os 40 minutos, quando foi submetido a um bombardeio palmeirense que resultou em ótimas intervenções do goleiro Vladimir.

O filme se repetiu no segundo tempo, com a diferença de que o Santos deu espaço demais ao Palmeiras depois que Ricardo Oliveira  1 a 0. 


Aí, Vladimir, aos 40 e 43,  não conseguiu parar o chute cruzado de Jean, quando falhou, e o arremate de Willian, indefensável.

Fernando Prass acabou por vencer o duelo dos camisas 1.

A lição que fica para o Santos é óbvia: não se deixa um adversário com a qualidade do Palmeiras crescer.

A outra lição complementa a anterior: quem tem talento é capaz de superar uma atuação coletiva inferior num estalo.

Róger Guedes veio do banco e, com dois passes, virou o jogo.

A boa notícia é a de que teremos mais Palmeiras x Santos nesta temporada, assim como encontros deles com Flamengo, Galo e Cruzeiro, além, é claro, de jogos entre os dois mineiros e o rubro-negro.

A chegada de uma porção de jogadores da América do Sul eleva o patamar do Campeonato Brasileiro, motivo de alegria.

Repita-se: o clássico de ontem na Vila Belmiro matou saudades e caberia no Campeonato Alemão, Espanhol ou Inglês.