Blog do Juca Kfouri

Palmeiras ganha no derradeiro segundo e Flamengo é derrotado

Juca Kfouri

Os dois times brasileiros que jogaram nesta noite pela Libertadores mandaram nos primeiros tempos em São Paulo e em Santiago.

A diferença estava no fato de que o Palmeiras jogava em casa e o Flamengo fora.

Quem esperava por Keno no Verdão, viu Guerra como titular.

E quem esperava por Berrio ou Gabriel no Mengão, reclamou de Márcio Araújo.


Mas o fato é que o volante deu segurança atrás para que o Rubro-Negro mandasse na frente.

Pelo menos por três vezes o Flamengo quase fez o gol e risco só correu um, quando Rafael Vaz passou para o Tanque Santiago desperdiçar gol feito.

Já o Verdão criou muito pouco e se não fosse por Fernando Prass teria saído atrás com um gol, contra, de Mina, que o goleiro evitou graças a seu reflexo.

O 0 a 0 era resultado mais adequado no Brasil que no Chile.

Na casa verde, logo de cara, no segundo tempo, Guerra achou que estava impedido e, quando percebeu que não estava, tentou chapelar o goleiro, mas perdeu a melhor oportunidade do jogo.

O Jorge Wilstermann se mostrava um osso duro de roer e fazia cera, muita cera.

Aos 19, Eduardo Baptista pôs Keno no lugar de Michel Bastos.

Na casa chilena, os anfitriões voltaram mais agressivos e, aos 13, Zé Ricardo tirou Rômulo para botar Berrio.

O time da Católica ameaçava, mas o Flamengo não deixava por menos, enquanto só o Palmeiras buscava o gol em São Paulo.

Felipe Melo, mal no primeiro tempo, acertava passes preciosos em noite sem brilho de Dudu, diante de 38 mil torcedores.

Diego acertou o cocoruto do travessão aos 26 em Santiago.


O 0 a 0 era bom para os cariocas e ruim para os paulistas.

Gabriel chegou aos 28 e Everton foi embora.

Mas Santiago Silva fez 1 a 0 de cabeça em cobrança de falta, desnecessária,  de Diego.

Roger Guedes chegou e Guerra foi embora aos 29.

Já era um fim de noite péssimo para o futebol brasileiro.

Leandro Damião substituiu William Arão.

E não é que os bolivianos começaram a ameaçar o campeão brasileiro em contra-ataques?

Willian no lugar de Tchê Tchê aqui e Berrio expulso lá. Meu deus!

O Flamengo perdia pela primeira vez em 2017.

E o Palmeiras, aos 50, com Mina, ao receber de Roger Guedes, tirou o Palmeiras do sufoco.

Justíssimo.

Um time quis vencer. O outro enrolar.

Ganhou quem fez por ganhar.