Blog do Juca Kfouri

O aprendiz e o feiticeiro

Juca Kfouri

Rogério Ceni tem uma excelente ideia sobre o futebol que quer fazer seu time jogar e sofre com as durezas entre a teoria e a prática.

Talvez não tenha no elenco do São Paulo o material humano que precise para botar em ação aquilo que planeja.

São as famosas rugosidades do empírico que cada um interpreta como quiser.


No aprendizado, Ceni, que provavelmente terá esta temporada de 2017 para amadurecer, o idolo tricolor terá de segurar a franqueza para não ferir suscetibilidades no grupo de jogadores que pode se atemorizar ao ouvir, publicamente, as verdades do novo treinador.


Já o feiticeiro Vanderlei Luxemburgo vê mais uma vez o feitiço voltar-se contra ele, preterido no Vasco pelo português Milton Mendes, outro técnico que pensa bem, mas ainda precisa provar a capacidade de fazer seus times executarem o que planeja e que também padece de sincericídios.

Luxa muitas vezes justifica suas derrotas com teorias da conspiração.

Assim fez no Rio de Janeiro ao lançar suspeitas sobre o relacionamento de Eurico Miranda com o notório presidente da Ferj e até na China.

Nas longínquas vitórias, porém, jamais as atribuiu aos esquemas que, sabemos, infestam o futebol.

Sempre as creditou às inovações que imagina ser frutos de sua criatividade.

Rogério Ceni terá tempo de errar até aprender.

Vanderlei Luxemburgo, de tantos acertos no passado, parece condenado ao precoce ostracismo.