Blog do Juca Kfouri

A cara de pau do Marco Polo que não viaja

Juca Kfouri

O Marco Polo que não viaja saiu-se com uma frase eloquente: “Eu sei que ‘meus árbitros’ são honestos”.

Como ele sabe nós não sabemos.

Porque foi com ele como presidente da FPF que se deu, em 2005, o “caso Edílson Pereira de Carvalho”, que havia falsificado o diploma de conclusão do curso secundário para entrar no quadro de árbitros da federação.

O escândalo, quando o as=soprador de apito confessou participar de esquema clandestino de apostas, causou a anulação de 11 jogos do Brasileirão.

Aceitemos que o cartola não soubesse do diploma falso, nem tivesse como saber, por não ser atribuição dele tais verificações.

Ocorre que a revelação sobre a falsificação foi publicada em 2003 no diário “Lance!” e mesmo assim Marco Polo o manteve na entidade.

Por que acreditar agora no que diz o não-viajante?

Edílson Pereira era “árbitro dele”.