Blog do Juca Kfouri

Futebol em crise

Juca Kfouri

Texto publicado na edição especial de 18 anos da revista “CartaCapital”:*

O futebol do “país do futebol” está em crise.

Em 14º. lugar no ranking da FIFA, embora tal classificação seja nebulosa.

Tão nebulosa, aliás, como a própria mania de dizermos que somos o “país do futebol” quando muito mais que nós, são do futebol países como a Inglaterra, a Argentina e por aí afora.

Basta dizer que em qualquer pesquisa que se faça sobre tamanho de torcida no Brasil, o primeiro contingente é o de pessoas que não se interessam pelo jogo.

Só depois aparecem as torcidas do Flamengo e do Corinthians.

Na Argentina, ao contrário, primeiro vem a torcida do Boca Juniors, depois a do River Plate e, em terceiro lugar, os desinteressados.

Desnecessário dizer que ninguém reverencia o jogo como os ingleses, inventores do futebol moderno, e basta ir a Wembley, mesmo modernizado, ou a Old Trafford, para sentir até o cheiro das velhas bolas de couro ou das chancas de antigamente, palavra que até sumiu do dia a dia nacional.

Mas como está em crise o futebol do país que tem Neymar e que acaba de vender a peso de ouro meninos como Oscar e Lucas?

Que sediará a próxima Copa do Mundo?

Que tem os três últimos campeões da Libertadores, o Inter, o Santos e o Corinthians, este último invicto, o primeiro a conseguir tal façanha com o torneio em 14 jogos, e ao derrotar o poderoso Boca Juniors na final?

Eis que a própria Libertadores pode trazer parte da explicação, porque seus campeões em 2010 e 2011 foram eliminados pelo Mazembe africano na semifinal e impiedosamente goleados pelo Barcelona catalão na final. Perguntando onde está a bola.

Se não é o país do futebol, o Brasil foi sim o país do melhor futebol do mundo por um bom tempo, isto é, por muito tempo, pelo menos durante todo o reinado de Pelé, entre 1958 até meados dos anos 70, o que não se mede, como se imagina, pelas Copas do Mundo conquistadas, mas pela beleza e eficácia do futebol apresentado.

Quiseram os deuses dos estádios que Pelé surgisse para fazer companhia a Mané Garrincha, a Didi, Nilton Santos, e que, ao se despedir, deixasse companheiros como Gérson, Rivellino, Tostão.

Tempos em que o futebol não era jogado apenas com os pés, mas, sobretudo, com a cabeça.

Como jogam hoje em dia Iniesta, Xavi, Messi.

A verdade é que o futebol brasileiro entrou numa burra viagem em que o resultado é tudo, ganhar é preciso, encantar não é preciso.

E deixou de encantar sem, necessariamente, ganhar, pelo menos fora dos nossos horizontes.

Seleções brasileiras perderam a capacidade de se impor, a ponto de agora mesmo, em Londres, os mexicanos não darem a menor pelota para a outrora temida camisa canarinho.

Enquanto os europeus cada vez mais jogam com a bola nos pés, a valorizam e tratam bem, nós passamos a ser o paraíso dos volantes, o cemitério dos camisas 10, a valorizar mais quem rouba a bola do que quem a entrega em domicílio — todo poder aos brucutus e muito cuidado com os violinistas.

Os maestros passaram a ser confundidos com os professores, homens de terno e gravata deselegantes apesar das grifes e dos preços da roupas, invariavelmente incapazes de pensar o jogo como metáforas da vida, tecnocratas especializados na manutenção de seus empregos, pagos a peso de ouro por cartolas irresponsáveis ou administradores de lavanderias, sempre lucrativas para os próprios bolsos e terríveis para os cofres públicos e dos clubes, irrigados pelas Timemanias da vida.

Se não bastasse, a CBF investiu na marca de sua seleção e, com um calendário que não dá vez aos clubes, condenou-os às fronteiras nacionais, incentivando a exportação de pé de obra, como meio de adaptá-los ao mundo europeu e de facilitar os amistosos do time dela sempre longe do Brasil, razão pela qual virou mal amado pela torcida.

Se um técnico dinamarquês, Morten Soubak, fez do handebol feminino brasileiro uma das atrações dos Jogos Olímpicos de 2012 recentemente disputados em Londres, e se um técnico argentino, Rubén Magnano, ressuscitou o basquete brasileiro, falar em estrangeiros no futebol do patropi soa como heresia.

Por mais que, nos anos 50, o húngaro Bella Gutman tenha contribuído para arejar taticamente o futebol brasileiro ao trabalhar no São Paulo e levá-lo ao título paulista de 1957, com uma única exigência, a contratação do já veterano Zizinho.

Gutman era um estudioso, um teórico que tinha, no entanto, como método de trabalho, comandar craques, como Zizinho, o maior ídolo de Pelé.

Pep Guardiola, o revolucionário do Barcelona, está em ano sabático e é quase uma maldade pensar nele a apenas dois anos da Copa do Mundo no Brasil, Copa para qual o país já está classificado, mas, ao contrário do que acontece normalmente, não é tido como favorito.

O que obriga que se ache a solução por aqui mesmo e nem é tão difícil diante do nível muito parecido dos técnicos de primeiro time no Brasil.

Mano Menezes, Felipão, Muricy Ramalho, Tite, Abel Braga, Cuca ou Luxemburgo, nenhum deles faz milagre ou seria capaz de inventar a roda.

Mas a Seleção pode fazer, hoje, um bom time, com um goleiro qualquer porque não há nenhum que brilhe, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Arouca, Paulinho, Oscar e Ramirez: Neymar e Leandro Damião, gente que bem treinada e entrosada não dará vida fácil a ninguém, embora seja mesmo inferior aos selecionados da Espanha, da Alemanha, do Uruguai e da Argentina.

Se ganhar a Copa do Mundo pela sexta vez parece um sonho impossível neste momento — e se perder uma Copa do Mundo pela segunda vez no país pentacampeão parece um pesadelo insuportável — pior é pensar no que fazer, depois da Copa, com os estádios que estão sendo construídos, com dinheiro público, em Cuiabá, Natal, Brasília e Manaus, onde nem sequer times da Primeira Divisão do futebol nacional há.

Sim, porque um dos maiores problemas do futebol brasileiro, diretamente ligado à miséria da cartolagem corrupta, corruptora e incompetente, está na ausência do torcedor dos estádios e não apenas por falta de talentos a serem vistos e aplaudidos, mas, principalmente, pela ausência completa de organização e criatividade.

São raros os clubes brasileiros que trabalham corretamente as categorias de base e, mesmo assim, normalmente, intoxicam os meninos com conceitos táticos antes que eles estejam com os fundamentos bem formados, motivo da fabricação de brucutus em série.

Enquanto se viu na Europa, principalmente na Espanha e na Alemanha, uma crescente preocupação com o desenvolvimento “à brasileira” de talentos (basta ler as entrevistas de Pep Guardiola que não faz segredo disso), no Brasil, ao contrário, buscou-se copiar os modelos europeus. Pior: se na Europa a busca deu certo e foi além, aqui a emenda ficou bem pior que o soneto.

Técnicos de ponta como Muricy Ramalho são capazes de dizer que se você quiser ver espetáculo deve ir ao teatro, ele mesmo um ex-jogador talentoso e muitas vezes espetacular.

O futebol de resultados passou a ser, também, o da permanência dos professores no emprego, à custa da mediocridade ampla, geral e irrestrita.

E importante ressaltar que o mau momento vivido pelo futebol brasileiro não se restringe à falta de conquistas, porque nem mesmo as duas Copas vencidas em 1994 e 2002 encheram os olhos dos mais exigentes, apesar das presenças de craques como Romário, os Ronaldos e Rivaldo.

O time de 1982, de Sócrates, Zico, Falcão, de Telê Santana, não ganhou a Copa e, como diz o jornalista Fernando Calazans, “azar da Copa”.

O que não dá é ver a Seleção Brasileira virar freguesa da mexicana, como virou neste século, com cinco derrotas em 10 jogos, apenas três vitórias, sem contar a decisão olímpica, porque disputado não pelas seleções principais.

Atenção: estamos falando do México, não da Itália, da Holanda ou da França, sempre admitindo a hipótese, por remota que seja, de o México estar se transformando numa potência do futebol mundial.

Tem jeito, tem solução?

Claro que tem, desde que não se tenha uma visão da mão para boca, de curto prazo e que experiências não sejam interrompidas — como fez Ney Franco, ao trocar um promissor trabalho que executava com a base, na CBF, por ser mais um técnico do São Paulo em crise.

Além do mais, se há algo indiscutível mesmo em momentos de entressafra, é que, como diria Pero Vaz de Caminha, em se plantando tudo dá, craques inclusive, às vezes mais, às vezes menos.

Vai que Três Corações já tenha produzido um novo Pelé, ou Pau Grande outro Mané Garrincha, que apareçam em 2013 para brilhar no Maracanã em 14…

Sim, é claro, será preciso muito coração para que isso aconteça. Mas não só.

*Texto publicado na última semana de setembro, antes, portanto, da promissora volta de Kaká à Seleção.

E ainda tem o Ganso…

  1. Junior

    27/10/2012 20:11:16

    Vergonha mesmo está acontecendo em Brasília, depois de mais de um ano sob intervenção, em função de irregularidades cometidas na gestão do Sr. Fábio Simão, o mesmo agora consegue com apoio do Governador Agnelo, segundo matéria publicada pela veja (on line), manipular a Comissão Eleitoral e eleger o Sr. Josafá Dantas (Diretor do Metrô no DF). Foram muitas as irregularidades cometidas pela Comissão Eleitoral que beiram ao absurdo, mas infelizmente como o futebol de Brasília não tem destaque nem mesmo na própria cidade, esses mesmos que já levaram a falência a FBF, conseguem com toda liberdade manipular as eleições da forma mais vergonhasa possível e poucos da imprensa estão relatando essa triste situação que vivenciamos aqui no DF.Espero que a imprensa com maior peso, através de um jornalismo investigativo, possa averiguar essa podridão que tomou conta do futebol no Distrito Federal.Alô Juca!!!! Olhe para nós!!!!

  2. Vitor V.

    22/10/2012 10:50:05

    Segunda vez que você esquece (?) o Lucas... acho que, tanto no São Paulo, quanto na Seleção, ele tem feito um trabalho bom o suficiente para ser um jogador titular da seleção, embora o Mano nao dê essa chance a ele direito. Em amistosos, mesmo entrando no fim, ele tem participado. No Iraque, entrou no fim e fez o dele. Corre muito, dribla bem, tem sido um excelente jogador. Acho que merece lugar na seleção, muuuuuuuuuuuuito mais do que Hulk e melhor até mesmo do que o Paulinho. Coloca o Lucas no Corinthans pra ver o que ele faz.... e coloca o Paulinho no São Paulo de 2012 pra ver o que seria dele.

  3. luiz otavio 92-93-05

    22/10/2012 10:40:33

    o ranking da Fifa é nebuloso, mas o mundialito de 2000 (termo criado por Roberto Carlos, ex jogador do timinho) é autentico????? nem o Marcelinho Carioca reconhece e o Cassio disse recentemente que o mundial é novidade para o cúrintha (esquece da mentira de vez em quando).

  4. josé barbosa

    22/10/2012 02:25:26

    Paulo infelizmente ha pouquíssimos e em sua maioria tem donos que estão preocupados com seus interesses e não os nossos.

  5. Daniel Pacca

    21/10/2012 16:53:35

    Pois é.. Tem razão... Todos os moradores de Itaquera subirão de classe social devido a obra... E você por ser uma pessoa tao benevolente poderia sugerir que o Corinthians doasse o estádio para a Portuguesa... assim esse time conseguiria se valorizar também... E consulte seu psiquiatra... talvez seja bom ajustar a sua dose de clonazapan... Você parece muito nervoso

  6. Fabiano

    21/10/2012 15:32:11

    Tite?Aquele que faz seus comandados jogarem um jogo completamente diferente do futebol brasileiro?Voce esta de brincadeira ne

  7. Renato Horto

    21/10/2012 14:58:21

    Pra mim a resposta é a seguinte. O mundo evoluiu. Vivemos a era dos shoppings centers. Ninguém mais aceita a ridícula infra-estrutura para assistir jogos ao vivo. Sem a familia acompanhar os jogos ao vivo não haverá popularidade.

  8. Fred

    21/10/2012 13:04:45

    O problema é relativamente simples, basta ver a CBF matando o futebol com a corrupção, como por exemplo a suspensão do Ronaldinho gaucho pelo lance que certamente tiraria mais de 40 jogadores por rodada, o espetáculo dos erros dos juízes...

  9. Alexandre Figueiredo

    21/10/2012 13:02:11

    Ja deixei de ir a estadios ha muitos anos. Hoje vejo so pela tv e olhe la, que aos domingos ja estou preferindo ver NFL. Pessimas arbitragens, jogadores toscos que nao acertam passe de 1 metro, violencia por parte de torcidas, tudo isso me deixou desiludido com o produto em questão.

  10. CARLOS EDUARDO

    21/10/2012 12:30:54

    Para confirmar a gravidade da crise, temos liderando o campeonato brasileiro um time da segunda divisão que só se reergueu graças ao felpudo patrocínio de uma empresa que permite que esse clube ( falido ) gaste mais do que arrecada. Vamos brindar com champagne a decadência do futebol tupiniquim.

  11. JP

    21/10/2012 10:35:08

    Discordo de alguns pontos, mas o tema principal está perfeito!Mataram o futebol brasileiro ao quererem o resultado acima de tudo (culpa de Paolo Rossi que bateu a seleção de 82!! rs.). Ao abandonarem as categorias de base (antes víamos 2-3 excelentes jogadores aparecerem a cada campeonato, hj aparece 1 a cada 3 anos). Ao darem de mão beijada o poder de escalar jogadores aos empresários que não pensam em qualidade, mas sim e rentabilidade.

  12. Joao Andrade

    21/10/2012 10:20:33

    Sempre o país teve crises. Mas como hoje não. Se enganam que por estarmos com uma economia mais ou menos solidificada, estamos bem. Mas e o outro lado, o mais importante: a educação, a ética, a segurança, a saúde, etc. Desenvolvemos, mas o futebol é refém dessa situação, pois as mudanças que houveram, economia e desenvolvimento privado, não foi acompanhado pelo poder público nos dando essa educação, saúde , segurança, esporte com qualidade. Daí temos uma sociedade desorganizada, onde os interesses escusos e pessoais se sobrepoem ao de nós, povo. Por causa da "pobreza" do país, descobríamos talentos aos montes, pois o jovem não ficava na droga. Se fora da escola, caia no campinho de terra e lá surgiam os grandes craques, a maioria, sem escolaridade. Hoje, o pobre naõ tem a alternativa do esporte e fica a mercê dessa sociedade desqualificada. Futebol de base hoje, só em escolinhas privadas. As públicas, pouquissímas. Dinheiro não é fator, pois Cuba, mais pobre que nós(centenas de vezes) dá exemplo disso. Nao defendo o regime lá, mas méritos eles tem. Como podemos estar assim? Nossa sociedade está doente, há tempos. Mas enquanto(repito pela enésima vez) um professor de ensino básico público, receber de vencimentos 5% de um magistrado e 20% do carteiro do fórum(oficial de justiça) seremos esse arremedo de civilização. Porque? Sociedade doente, judiciário relevante e educação é a sobra da sobra da sobra. Ou alguém quer ser professor de história ou matemática de qualquer estado do país? Futebol, reflexo disso.

  13. Lissandro

    21/10/2012 09:51:02

    Culpa do Fluminense que comprou todo mundo, CBF, arbitragem, FIFA, etc.etc.

  14. Gustavo WS

    21/10/2012 09:02:49

    E você nunca mais vai sorrir por causa da conquista Corinthiana da América...

  15. Rafael W.

    21/10/2012 08:50:24

    Se você fosse capaz de tirar a viseira da inveja e ver que a região mais populosa de SP ja se valorizou em mais de 50% ANTES do estádio do Corinthians ficar pronto, poderia enxergar o benefício à milhões de pessoas que isso trará...mas eu sei...você não consegue (e não faz nenhuma diferença, na verdade!).

  16. Cesar Gaston

    21/10/2012 08:49:12

    Decadência sem elegância.

  17. Rafael W.

    21/10/2012 08:44:47

    Amigo, se ter um ditador que manipula estatuto é sair na frente..

  18. Rafael W.

    21/10/2012 08:42:52

    e acabar com suas deprimidas noites de insônia...

  19. Fabricio Meyer

    20/10/2012 23:11:11

    3 culpados na ordem:1 - Lei Pelé (só beneficiou empresários e jogadores e acabaram com os clubes formadores)2- Globo e CBF (só pensam em grana e não vem que estão matando a galinha dos ovos de ouro)3- Impunidade (STJD safado) juntando com Imprenssa que fala pra conseguir "vendagem" leia-se ibope.

  20. Almir Espindola

    20/10/2012 23:02:59

    O problema não são nem os jogadores . Exemplo ?? futsal . Não temos é técnico que preste . Os da base não ensinam fundamentos . Os do profissional ( aqueles que o Juca citou ) , quando jogavam não sabiam nem prá eles .... é o futebol de resultados ... lógico , mais facil defender que criar ... e quano aparece alguém de talento ( como Neymar ) ficam malhando . Brasileiro aprendeu a gostar de lixo no futebol.

  21. Almir Espindola

    20/10/2012 22:57:23

    Mas enquanto tecnicos como Muricy , que não dá oportunidade a e não sabe trabalhar jogadores da base , não vai ter como .

  22. Almir Espindola

    20/10/2012 22:54:30

    Eu também estou preferindo outros esportes. Volei ( masculino e feminino ) , futsal , basquete .... não troco por futebol a muito tempo já . Cansei de palhaçada .

  23. Almir Espindola

    20/10/2012 22:52:09

    Antes fosse .... o povo está mais interessado na novela das oito ( que começa depois das nove ) .

  24. paulo rodrigues

    20/10/2012 22:46:27

    Eis um dos motivos para o fracasso do futebol brasileiro: Roubalheira começa antes do jogo entre Ponte e SantosNeymar que estava suspenso por dois jogos obteve um efeito suspensivo e jogará diante da Ponte. Nada contra o jogador que a maioria dos brasileiros admira pelo seu talento, futebol moleque e irreverência. Porém regulamento é para ser cumprido. Se foi punido com suspensão tem que cumprir. É rapaziada, mas o jogo é diante da única equipe do interior do Brasil e consequentemente a equipe com menos peso político na cbf. O Palmeiras está aí tentando desesperadamente sair da zona da degola e por isso o resultado do jogo entre Ponte e Santos interessa diretamente a essa agremiação. Entenderam rapaziada? Esse é o jogo. Aproveitando da fragilidade do elenco da Ponte Preta, que tem como principal virtude a garra porque tecnicamente não é bom devido às diferenças das verbas recebidas entre as equipes e por isso não consegue ter jogadores de melhor nível, a elite futebolística de nosso país tenta de todas as formas arrebentar a corda do lado mais fraco. Que pena para o futebol do Brasil que isso aconteça. Não param para pensar que equipes do interior são celeiros de craques. Não conseguem perceber que se houvesse equilíbrio entre as equipes o futebol brasileiro ganharia muito. Comparo essa gente egoísta que dirige o nosso futebol exatamente como um jogo de moleques que acontece nas ruas e campinhos das cidades, em que o dono da bola escolhe os melhores para jogar no seu time. É lógico que ganhará todos os jogos e de goleada, só que o jogo não durará muito pois os outros garotos certamente logo irão desistir. Não vão querer continuar jogando. Um vencedor só existe se houver com quem competir. Princípio básico de um jogo é que tem de haver adversário. E é isso, exatamente isso que os donos do futebol não enxergam. São como crianças que ainda estão na fase do egocentrismo que querem tudo para si e nada para o outro. Para o interior que já revelou tantos craques como Dicá, Oscar, Valdir Peres, Sócrates, Ray, Mineiro, Luis Fabiano, Elias, Gum, Marcos Assunção, só esses para exemplificar, fica o sentimento de que estão matando a galinha dos ovos de ouro e isso certamente se voltará contra os donos da bola. Por isso e por tantas outras que deixo claro aqui minha torcida pela derrota da seleção brasileira em 2014. Êta copa da dinheirama. Enquanto isso nos hospitais públicos não existe máquinas de RX.Em fim reafirmo meu amor pela A. A. Ponte Preta, minha Macaquinha querida. Esteja ela onde estiver estarei a acompanhando. Principalmente no Majestoso em que estarei sempre presente para degustar um bom futebol romântico. Salve Associação Atlética Ponte Preta!

  25. gabriel

    20/10/2012 22:23:32

    Pra vc bom mesmo é a "grande" revista VEJA né,rsrs

  26. Paulo Peregrino

    20/10/2012 22:11:08

    E por que nao lotam os estadios?? Media de publico do Corinthians eh menor que da segunda divisao inglesa, do Brasileirao entao, nem se fala...O Borussia Dortmund com estadio p/ 80 mil tem lotacao maxima em todos os jogos e o Corinthians (maior torcida de SP) com irrisorios 36 mil, nao consegue lotar e o Sao Paulo com 68 mil mal consegue colocar 20 mil. Que paixao eh essa?Dizer que o brasileiro eh apaixonado por futebol eh o mesmo que dizer que o Brasil tem o melhor futebol do mundo.

  27. Ze Albuquerque

    20/10/2012 22:06:56

    Parabéns Juca pelo comentário!!!Venho falando a mesma coisa a anos!!!Você como eu vimos o que é que significa o termo "jogar futebol" de verdade.Abraços,

  28. Paulo Peregrino

    20/10/2012 21:59:41

    Vc precisa acompanhar um pouco mais os noticiarios de canais isentos ou imparciais.

  29. Horácio

    20/10/2012 21:40:28

    Muito bom esse seu texto, muitíssimo bem elaborado. Apenas pode ser suplementado pelo fator da grande exposição à mídia globalizada, que trouxe grandes patrocínios mas também acarretou na necessidade de se obter resultados rápidos com elencos muito variáveis. Aí, vem a pergunta: é melhor manter esse time de garotos para jogar bonito e perder ou chamar logo o Filipão para montar um novo time guerreiro, "à la dunga"? SRN

  30. josé barbosa

    20/10/2012 21:02:43

    juca sei não futebol em crise, pra mim pessoas como vc é que estão querendo rebaixar este esporte pois é sabido que não gostaste da copa e olimpiada ser qui em terra brasiliz principalmente por ter sido em tempo de politicos de mal agrado a sua pessoa tens feito de tudo pra diminuir estes eventos cria crises levanta historias coisas de midia contraria aos que estão no comando e antes de qualquer coisa detesto politicos e não acredito que eles são solução para o país mas tambem não gosto de quem usa midia pra forjar coisas e pensamentos seus por interesses proprios.....

  31. Marco César Amorim Souza

    20/10/2012 20:50:29

    Grande Juca, vou copiar seu belo artigo e guardar. Parabéns! E isso amigo... Mas não esquenta, o futebol esta em crise, nosso povo tb, mas as maletas vão muito bem obrigado. A raposa entregou pra porcalhada e a terra Brasília como sempre com suas mutretas! Se fosse vc pra presidência da CBF e Kajuru pra presidência do Brasil a coisa ia, mas como diz o velho Natalino, há as forcas ocultas...

  32. Luc

    20/10/2012 20:49:14

    Como? O Brasil está deixando de ser o país do futebol para ser o país de terno e gravata ?Foi a melhor notícia do dia....Quer dizer que o povo está desiludido com o futebol e pensando mais na vida, no trabalho, no futuro...... Meus amigos este Brasil esta tomando jeito mesmo...quem diria...Brasil , país do futuro!!!!

  33. Marcelo

    20/10/2012 20:15:23

    Confesso que estou feliz com essa notícia. Sinal que a população melhorou de vida e hoje privilegia coisas mais importantes. Eu particularmente deixei de acompanhar futebol há muito tempo. Prefiro acompanhar esportes mais sublimes como o tênis a natação e etc. Onde reina o espiríto esportivo, a dedicação e principalmente a ótima postura do atleta.R.I.P. Futebol

  34. Robson

    20/10/2012 19:20:52

    O texto usa como argumento a favor da decadência do futebol brasileiro o fato de as seleções campeãs de 1994 e 2002 não terem encantado os mais exigentes. Questiono tal argumento. Quanto à França de 1998, por favor! Ou você não entende de futebol arte ou não assistiu àquela Copa. O Brasil era franco favorito naquela final e não fosse o episódio Ronaldo teria ganho. E Zidane, que teve uma carreira exuberante, não foi um craque genial naquela Copa, em que pesem os gols de cabeça na decisão. Ronaldo e Rivaldo fizeram uma Copa bem superior.

  35. marcus vinicius zulzke

    20/10/2012 18:57:47

    Se todos campeonatos brasileiros fossem decidido no campo e não na arbitragem, hoje seriamos os melhores do mundo!!!!!!!!!!!!!!!!

  36. Renato Oliveira

    20/10/2012 18:49:32

    De tão triste esse texto é sensacional.Quem desmerece o futebol com velhos discursos do ópio do povo, do isso e aquilo não entende a história desse esporte e seu papel social na história do Mundo a partir do século 19. Ignorar a importância dele na formação da cultura brasileira é desconhecer a própria história. E digo mais, duvido ser um profissional bem sucedido com discurso tão limitado.

  37. Wesley

    20/10/2012 18:46:41

    Realmente o futebol está em crise, principalmente na capital do País, onde temos estádios interditados pelo Ministério Público, total desrespeito ao estatuto do torcedor, campeonatos sem a menor organização, jogos adiados por falta de policiamento, bombeiros, total falta de apoio da Federação que estava interditada, entre tantos outros absurdos, fechando toda essa vergonhosa situação, passamos por fatos lamentáveis na eleição recente para Federação Brasiliense de Futebol, onde tivemos a interferência do governador do DF, do Ex Presidente da FBF afastado pelo Ministério Público, Sr. Fábio Simão e pasmem, da própria Comissão Eleitoral. São tantos os absurdos e abusos, inclusives noticiados pela imprensa local e até pelo site da revista Veja, que tiram toda a legitimidade do candidato que foi eleito. Só nos resta recorrer a justiça.

  38. ANTONIO MARTINS

    20/10/2012 18:41:46

    Só com esse cenário o Corinthians poderia ser campeão da libertadores.

  39. milton

    20/10/2012 18:25:09

    Sou obrigado a render-me as considerações do Santilli Jr realmente o país passa por uma crise geral, e todas as áreas, inclusive a imprena esportiva. A tal da globalização tem seu maior malefício na devastação das clturas locais. Em nome da globalização e do mercado de consumo as culturas locais foram modificadas e adaptadas a culturas exteriores. Só se fala inglês, só música americana ou inglesa de má qualidade, a literatura pobre de livros de auto ajuda que visam o sucesso individual, o futebol do exterior e passado na tv, a seleção vai jogar na Polônia, construimos arenas e os jornalistas esportivos querem acabar com os campeonatos nacionais. Querem exportar o Neymar. Nossa sociedade reflete-se no futebol, sem jogadores, sem treindores e sem comentaristas esportivos que não apontam soluções e sim querem copiar modelos do exterior. Querem importar Guardiolas, e exportar Neymares, querem futebol pela TV. A quanto tempo não vamos ao estádio? Qual o último jogo que o JUca viu, no campo de jogo? O futebol é produto para TV e blogs. O desinterêsse é explicável. Avenida Brasil dá mais audiência, interessa até os programas esportivos que comparam os times aos personagens da novela (SportTV dia 19/10). O Juca quer acabar com os estaduais, faz campanha! Aos amantes do futebol restará ápenas assistir uma pelada no aterro do flamengo e aplaudir o craque Metralha, sem vt, tira teimas, comentários do Telmo Lofredo.

  40. Olho no passado

    20/10/2012 18:12:55

    Brasileros e brasileras, palavras são palavras e nada mais do que palavras, por isso eu digo, nos tiraram o mar, caçoaram do Ibis, shampoo e tão bom quanto o Zico, e enquanto reina essa politica do eixo, as forças invisiveis não nos deixarão sobras, mas no fim todos reinaremos sobre a fome.

  41. Fernando

    20/10/2012 17:59:52

    Juca analisar o torcedor brasileiro e muito facil.Primeiro ponto temos a nossa não formação enquanto nação, o que nos leva a uma forte falta de patriotismo, o que ja nos difere muito dos outros paises por você citados.Em segundo a nossa má formação desportiva, em via de regra a maior parte dos brasileiros são pessimos desportistas, a maioria não sabe nadar, chuta mal uma bola(e pensa que sabe), não conhece os fundamentos de esportes como voley, basquete, tenis, nunca treinaram atletismo, etc. o que também os transforma em maus torcedores, sempre apoiando e torcendo pelos esportes que estão ganhando(afinal não conhecem o esporte e o que e ser esportista). Um ex., deixa começar a perder no MMA e o publico mudará seu conceito e assiduidade.Acredito sim que o futebol pode mudar os rumos para melhor, mas está mudança não virá de cima para baixo, começará nos clubes, em minha opinião o SPFC está saindo na frente, contratou os dois melhores profissionais da base brasileira, Rene Simoes e Ney Franco, espero que eles tenham sucesso, mesmo eu sendo corinthiano.Boa sorte ao futebol brasileiro, e que Deus ajude aos bons profissionais e a garotada talentosa que apesar de tudo sempre surge,,,

  42. luis

    20/10/2012 17:49:24

    PARABÉNS!!Entendo que o senhor somente se esqueceu de incorporar ao seu texto, as mumunhas, arrumações, sacanagens, roubos, assaltos, que estão cometendo como nunca no atual futebol brasileiro, por conta, sempre do dindin e do pliplin, aliás, onde o clube do seu coração é sempre o mais envolvido, atolado e beneficiado. sds. LUIS

  43. frankafka

    20/10/2012 17:36:46

    A sorte do Brasil, por ser o país sede da Copa 2014, é não estar disputando as eliminatórias, não se classificaria. Aguardemos a Copa das Federações...

  44. Elton

    20/10/2012 17:33:39

    Vale lembrar que o itaquerao tambem deveria entrar na lista de estadios levantados com dinheiro publico...Ou dinheiro emprestado pelo bndes com garantia do BANCO DO BRASIL tem algo de investimento privado? Isso sem falar nos incentivos fiscais....soh esses dois pontos equivalem a mais da metade do dinheiro investido...nao sei porque a midia nao fala nisso...

  45. Murilo

    20/10/2012 17:26:33

    Carta Capita??? Esta revista é claramente CHAPA BRANCA...

  46. Sanderson

    20/10/2012 16:51:21

    Retificando, Ricardo Teixeira...me perdoem o erro.

  47. ted

    20/10/2012 16:49:54

    Futebol, como qualquer outro esporte, exige inteligência, disciplina e talento... Infelizmente nossa famigerada pátria de chuteiras somente conservou alguns talentos... reflexo, como alguém já postou, da falta de educação, ética e disciplina, cada vez mais comum em nossa sociedade... Hoje, qualque zé mané, é rotulado como "craque" se dá dois toques corretos na bola... qualquer brucuto é rotulado de bom zagueiro porque aplica "voadoras" e golpes de jiu-jitsu em fez de procurar a bola e tratá-la com carinho... Não é a toa que um Neymar da vida esbalda-se num deserto de talentos... Os jogadores não são inteligentes e não são disciplinados.. tratam o técnico como professor, mas não aprendem.. Trazem os mesmos vícios da nossa educação, falida e abandonada, onde o desrespeito e a apatia são práticas banalizadas ... Não preocupam-se com as noções de espaço do campo, porque em suas arrogantes considerações consideram-se os senhores das quatro linhas... Pobres pernas de pau... Se pedirem para fazerem uma "triangulação" entram em parafuso... São "toscos" com relação à noção das dimensões do campo, não conhecem regras importantes do esporte... São malandros querendo ganhar grana da maneira fácil... Afinal, não é mote da nossa sociedade??? Falta de ética, falta de comprometimento, falta de educação... Pesarosa é a constatação de que o futebol brasileiro está em decadência em razão da decadência dos valores básicos da vida em comum... Vivemos em uma época de individualismo extremado onde o outro é o inimigo e não um parceiro de agruras... Em vez do esporte, nesse caso o futebol, tornar-nos melhor, percebemos que os jogadores são somente o reflexo de um mundo onde vale tudo para se dar bem, mesmo que isso signifique as dores da família, do clube e do País.

  48. Sanderson

    20/10/2012 16:49:27

    Juca, como sempre parabéns pela explanação com uma sensibilidade para os fatos que somente você o teria.Acredito que a crise do futebol brasileiro vem desde aquela derrota para a França em 1998, acredito que ali foi o divisor de águas, claro veio 2002 com um Ronaldo se redimindo do fiasco de 98, em seguida veio a copa das confederações com a derrota para a Turquia, veio o fiasco de 2006 com Ronaldo tomando chapéu do Zidane,Roberto CArlos arrumando as meias no gol do Henry, acho que tudo isso culminou no que é hoje o futebol brasileiro, que curiosamente vai de encontro de um País corrupto, que se estende na figura do Sr Renato Teixeira.Ah sim claro 2010 que honestamente nem palavras tenho para descrever o que foi aquilo, mas podemos ver hoje no converteu aquilo a descrença na seleção canarinho que ja teve o seu rei Pelé, hoje temos o que?

  49. Gabriel

    20/10/2012 16:43:36

    hã, futebol?Tenho coisas mais importantes para pensar.Sim, pensar, pois muitos torcedores nem isso conseguem.

  50. ACE

    20/10/2012 16:41:04

    Concordo plenamente, antes éramos criativos, nossa música era cantada mundo afora, o nosso futebol interrompia guerras. Hoje, as novelas ditam o horário dos jogos e pasmem, até os dos comícios eleitorais. Despeçam os técnicos de futebol, os marqueteiros de plantão e tropas de assessores, contratem os autores de novelas, o enredo que eles produzem parece ser mais interessante!

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso