Blog do Juca Kfouri

Não somos caçadores de talentos

Juca Kfouri

Por JOÃO FREIRE

Copio um trechinho do blog de José Cruz: “Os ministérios da Educação e o do Esporte promoverão a “Olimpíada Escolar de Atletismo”, provas de velocidade e de salto em distância.”

A presidenta da república acredita, junto com seu ministro e o presidente da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo), que promovendo provas de salto em distância e corridas de velocidade nas aulas de Educação Física encontraremos os talentos que faltam ao esporte olímpico brasileiro.

Bem, parece que a senhora presidenta da república, o senhor ministro do esporte e o senhor presidente da CBAT se esqueceram de perguntar antes aos professores de Educação Física das escolas o que eles acham disso.

Também esqueceram de perguntar para alguém que entende do assunto o que é Educação Física como disciplina escolar.

Eu adoraria dar à presidenta e ao senhor ministro duas ou três palavrinhas sobre o assunto, pois percebo que eles não percebem o significado da disciplina Educação Física.

Com o presidente da CBAT não perderia meu tempo; apenas espero que ele deixe o cargo o mais rapidamente possível.

Como não serei recebido, nem pela senhora presidenta, nem pelo senhor ministro, ficam aqui minhas poucas palavrinhas a eles: nós, os chamados humanos, viemos ao mundo para aprender, pois de nossos instintos nada podemos esperar; os instintos nos guiariam em ações motoras cegas apenas, e nesse quesito somos muito, muito frágeis.

Porém, a natureza nos deu a imaginação; com ela, podemos recuperar as ações realizadas e outras a realizar, e modificá-las, tornando-as mais adequadas ao convívio neste mundo.

Aos poucos fomos organizando as formas de bem utilizar a imaginação em sistemas educacionais, que começam nos pequenos grupos familiares, tribos, etc., e chegam à escola atual.

Com todo o respeito, portanto, senhora presidenta e senhor ministro, vamos às escolas para nos educar, isto é, para bem utilizar os poderes de nossa imaginação, aprendendo aquilo que é necessário para viver neste mundo; melhor, para bem viver, preservando nossa espécie e todo o restante da natureza.

Quando um aluno recebe uma aula de matemática, supõe-se que o professor não vê nele um futuro matemático, mas um futuro cidadão, que até pode vir a ser um matemático.

Quando um aluno recebe uma aula de química, também o que está em jogo é a formação do cidadão; supõe-se que aprendendo química suas chances de viver eticamente aumentam.

Ora, quando um aluno recebe uma aula de Educação Física, nós, os bons professores de Educação Física, não vemos nele um atleta, mas um cidadão, que deve ser respeitado em seus direitos de aprender e poder escolher maneiras de conduzir bem sua vida individual e social.

Entenderam agora senhora presidenta e senhor ministro?

Impor aos professores e professoras de Educação Física provinhas de Atletismo para descobrir talentos para o esporte é roubar dos alunos o direito de receber da disciplina Educação Física um rico acervo de conhecimentos para sua formação de cidadãos.

Hoje, na Educação Física, há milhares e milhares de professores e professoras dignos que se preocupam seriamente com a formação dos brasileiros.

Tanto quanto os senhores, queremos um Brasil melhor, um Brasil digno, um Brasil sem as trancas da senzala.

Não será com provinhas de Atletismo para descobrir atletas que contribuiremos para esse Brasil.

http://blog.cev.org.br/joaofreire/

  1. Fernando Freitas

    24/09/2012 20:10:59

    Curso de cidadania, intesivo, inclusive, deveria ser dado a todos os políticos brasileiros. Enquanto isso, rola esse tipo de discussão que não leva a nada. Alguém já fez a pergunta contrária: o que esses Jogos Olímpicos trarão de bem para a escola? Será que vão investir alguma coisa na escola, seja para revelar atletas, para formar o cidadão, para o desenvolvimento motor da criança, sua cultura corporal, ou seja lá o que for? Enquanto ficar nessa conversa, mesmo os últimos comprometidos com o esporte escolar e com a EF de qualidade vão continuar tirando leite de pedra. Aqui no Brasil, a carroça é que empurra o burro.

  2. Fernando Freitas

    23/09/2012 21:47:06

    Concordo plenamente. Mas isso dá para perceber que não vai acontecer, seja pela postura de nossos intelectuais, seja pela dos políticos. Os primeiros não conseguem enxergar nem o exemplo de Cuba e, os segundos, preferem investir dinheiro onde dá para se ganhar mais e educar menos.

  3. Fernando P. R. de Freitas

    23/09/2012 21:40:35

    Para mim, Prof. João Freire é uma referência e o esporte escolar uma paixão. Não vejo, no entanto, como revelar talentos por meio de provas possa ser ruim, a não ser que se deixem os objetivos educacionais de lado. Porque não os dois? Até que revelar é fácil, já que temos toda a juventude não mãos. Difícil é dar apoio para a continuidade. Agora, sobre "quem entende do assunto do que é Educação Física", "do que é esporte escolar", sendo eu um simples professor de beira de quadra é que não deveria perder tempo com figurões da teoria, muito menos com políticos, porque sei que jamais seremos ouvidos. Fosse falar de saltos, por exemplo, diria que depois de 9 anos conseguimos fazer uma caixa de areia em nossa escola, com 1500 reais (temos as notas fiscais). Com o dinheiro que gastarão para fazer a reforma de estádio mais barato para a Copa, dava para fazer umas duas em cada escola do Brasil. Com licitação e outras coisas, lógico que daria pra fazer uma meia dúzia, e só. Gostaria de convidar aos amigos para darem um passeio na escola onde leciono. Quem sabe alguém fica sensibilizado e nos ajuda a trocar as sucatas podres de colchão e de lonas que nos servem para o salto em altura. Fico p... em conversas como essa.

  4. Fernando Freitas

    23/09/2012 21:01:50

    Lembrando ainda que a maioria dos estados está premiando escolas e professores pelo rendimento dos alunos, e que o vestibulares vão por essa mesma linha, não pelo grau de cidadania.

  5. Vagner Boneto

    21/09/2012 12:22:20

    Outro dia ouvi comentários seus e de outro comentarista na CBN, falando a respeito de clubes do exterior e não eram conhecidos e estavam ganhando. Vcs fizeram chacotas a esse respeito, do nome de cada clube. Eu, particularmente achei falta de ética, mas por outro lado vcs demonstraram que conhecem apenas alguns clubes e não todos, como deveria ser, pois o bom profissional é bem informado.

  6. Mario Rudnei

    21/09/2012 01:42:31

    Quer dizer que um professor se depara com um talento esportivo e não vai incentivar esse aluno a seguir no esporte.

  7. L. Fonseca

    21/09/2012 00:46:30

    É um absurdo achar que o Brasil vai progredir de maneira significativa no quadro de medalhas olímpicas em menos de quatro anos. Sou formado em Ed. Física e moro nos EUA há mais de 20 anos e tenho dois filhos em escola pública. Primeiro, aqui nos EUA, a Ed. Física é disciplina eletiva, nao é obrigatória(isso foi coisa do governo militar no Brasil). Todas as escolas públicas de 5a a 8a série e as escolas secundárias têm um ginásio, um campo de esportes e uma pista de atletismo. Aqui o esporte competitivo entre as escolas é mais valorizado do que os clubes. Há competiçoes de nível local, regional, estadual e nacional. Os alunos podem participar de várias modalidades durante o ano, pois cada esporte dura, em média, uma temporada de três meses. Por isso o Brasil está anos luz atrás dos EUA no esporte, pois nao há incentivo ao esporte estudantil e muito menos à infraestrutura para que isso aconteça. Achar que investir mais um bilhao e meio em federações irá resolver a situaçao é tapar o sol com peneira. É preciso começar a investir nas crianças para que, talvez, haja um futuro.

  8. ROBSON

    20/09/2012 07:50:06

    Prezados,Talvez o governo tenha colocado a questão esportiva sem os devidos cuidados. Mas cabe lembrar que hoje existem olimpíadas de química, de matemática, de humanas, enfim, de quase todas as disciplinas. Não vi nenhum professor destas se sentir diminuído por perceber o talento de seu aluno, incentivá-lo a concorrer e ajudá-lo na preparação. Não acho que um professor de educação física, que tenha o mesmo procedimento em relação às práticas desportivas que leciona e administra, deva se sentir diminuído por fazer o mesmo que diversos outros professores das mais variadas matérias já fazem.

  9. Claudia Marília Nogueira

    20/09/2012 07:15:14

    e como complemento do email anterior: enquanto houver "grades" curriculares, enquanto a criatividade, a intuição, o pensamento metafórico não dialogarem com o pensamento lógico objetivo, enquanto os sonhos não forem trazidos para o ambiente escolar, enquanto houver crianças organizadamente enfileiradas em carteiras, e a educação para a consciência corporal se restringir a "aulas de E física, bem.... aí complica!

  10. Claudia Marília

    20/09/2012 07:07:56

    Sou uma pessoa que acredita na força transformadora da educação.Entretanto minha visão aqui registrada , de forma bem suscinta com relação à educação é a seguinte: enquanto um educando sequer for chamado de "aluno"(sem luz), enquanto professores impuserem "provas" da capacidade e de habilidade aos seus aprendizes, enquanto educadores forem subestimados em sua importância,enquanto não houver protagonismo de todos os envolvidos no cenário educacional e sim meia dúzia de pessoas obtusas opinando e impondo soluções;enquanto se buscar bodes expiatórios para se justificar fracassos na educação, enquanto as carências de infraestrutura,o descaso na remuneração do professores,a péssima qualidade dos chamados cursos de formação reinarem, enquanto a subjetividade não dialogar com o conhecimento objetivo enfim,enquanto a desorientação educacional for vigente nesse País, será difícil algo dar certo. !Ainda mais com uma visão parcial apresentada como solução do problema.Sabe a história de ao se apontar o dedo para a lua , fixar e focar o olho para a ponta do dedo? há uma estorinha curiosa sobre a educação: um indivíduo foi congelado por 200 anos, e quando ele voltou não reconhecia mais nada de sua cidade: porém ao passar em frente a uma escola disse:Esse lugar eu conheço! Meu relativo otimismo advém do fato de que há pessoas inteligentes, criativas tentando fazer diferente

  11. Claudia Marilia

    20/09/2012 07:03:39

    Sou uma pessoa que acredita na educação como fonte de transformação, mas não acredito em milagres.Então minha visão aqui registrada , de forma bem suscinta com relação à educação é a seguinte: enquanto um educando sequer for chamado de "aluno"(sem luz), enquanto professores impuserem "provas" da capacidade e de habilidade aos seus aprendizes, enquanto educadores forem subestimados em sua importância, enquanto não se educa para a consciência corporal; enquanto a intuição, a criatividade forem subestimadas o intuir , enquanto não houver protagonismo de todos os envolvidos no cenário educacional e sim meia dúzia de pessoas obtusas fopinando e impondo soluções;enquanto se buscar bodes expiatórios para se justificar fracassos na educação, enquanto as carências de infraestrutura,o descaso na remuneração do professores,a péssima qualidade dos chamados cursos de formação reinarem, enquanto a subjetividade não dialogar com o conhecimento objetivo enfim,enquanto a desorientação educacional for vigente nesse País, será difícil algo dar certo. O otimismo reside no fato de que tem bastante gente interessante e criativa tentando,!Ainda mais com uma visão parcial apresentada como solução do problema.Sabe a história de ao se apontar o dedo para a lua , fixar e focar o olho para a ponta do dedo? há uma estorinha curiosa sobre a educação: um indivíduo foi congelado por 200 anos, e quando ele voltou não reconhecia mais nada de sua cidade: porém ao passar em frente a uma escola disse:Esse lugar eu conheço!

  12. Razao incontestavel

    20/09/2012 02:11:32

    JUCA ,esse discurso de "formacao de cidadaos " da dando no saco pq nao passa de uma tentativa de intelectualizar a ED. FISICA .Nunca ouvi falar de uma crianca chegando em casa e dizendo "olha papai e mamae eu sou o cachorro morto do esporte na escola ,eu perco sempre ,mas estou me tornando um bom cidadao " (risos ).Eu pergunto : e a crianca que nao gosta de esporte ,nao vai virar "bom cidadao " ? Olha o negocio de ED .FISICA nas escolas e para uma vida mais saudavel e nao para "mudar o sistema opressor " Esta intelectualizado demais esse assunto quando a coisa toda e mais simples do que se possa imaginar .Quanto as medalhas ,elas sao necessarias sim uma vez que se pecisa de vitorias ao longo de uma caminhada .Se vc perde ,perde , perde vc deixa de lutar e o seu objetivo final nao sera alcancado .Logo ,precisamos sim termos vitorias em varias areas e ai esta incluido o esporte .Como vamos te-las e que e o x da questao mas com certeza nao sera com discursso de cachorro morto , de bom cidadao que nao ganha nada que vamos reverter o quadro .Uma visao mais pratica se torna urgente

  13. ana

    20/09/2012 01:38:32

    bem isso.

  14. ana

    20/09/2012 01:37:24

    "Impor aos professores e professoras de Educação Física provinhas de Atletismo para descobrir talentos para o esporte é roubar dos alunos o direito de receber da disciplina Educação Física um rico acervo de conhecimentos para sua formação de cidadãos. Hoje, na Educação Física, há milhares e milhares de professores e professoras dignos que se preocupam seriamente com a formação dos brasileiros. "com todo respeito, quanta besteira escrita por um e reproduzida por outro.qual o problema de aproveitar aulas de educação física para encontrar atletas potenciais? esse texto parece ter sido escrito por algum teórico da educação física, daqueles que nunca deram uma aula na vida e não conhecem a realidade das escolas. ao contrário do que ele escreve, a maioria dos professores nem aula dá, apenas larga a bola e os alunos que façam com ela o que bem entendam. acredito que se fosse feito um trabalho sério de preparo, seleção de talentos nas escolas, estaríamos daí sim, contribuindo para que várias crianças tivessem uma oportunidade de ter uma vida digna, dedicada a um esporte para o qual tem vocação. claro que isso exigiria um maior comprometimento dos professores e das escolas, além de aporte de recursos e estruturas nas escolas que possibilitassem essas atividades.que eu saiba, potências esportivas como a china e rússia selecionam atletas assim. nos estados unidos vários estudantes de baixa renda só conseguem cursar a faculdade por conta de bolsas conseguidas por serem atletas. de novo, qual o problema?

  15. Fabio

    19/09/2012 23:01:04

    Fico imaginando chegar amanhã para minhas turmas de 35 alunos:" Alunos hoje vamos fazer umas provinhas de atletismo em busca de novos talentos.João você que é cadeirante fica na arquibancada assistindo, Carlinhos que tem paralisia cerebral fica do lado da professora, Ze Pequeno que é liberdade assistida não quer fazer o teste porque esta com sono, Maria falou que esta com fome veio pra escola só pra merenda. Mesmo avisando antes metade da turma veio de jeans e tenho que ser bem cuidadoso nas cobranças pois se constragem o aluno os pais viram imediatamente na escola reclamar. De 35 alunos sobram uns 7 pra fazer as provinhas. Outra turma de outro professor tem que aguardar sentado pois a unica quadra que temos é dividida com mais 35 alunos do deste professor no mesmo horario."Viu...facil, moleza!

  16. Sergio Giola

    19/09/2012 20:39:27

    "Ora, quando um aluno recebe uma aula de Educação Física, nós, os bons professores de Educação Física, não vemos nele um atleta, mas um cidadão, que deve ser respeitado em seus direitos de aprender e poder escolher maneiras de conduzir bem sua vida individual e social."Enquanto na Islândia, Coreia e Canadá, os professores querem ensinar suas respectivas matérias, no Brasil eles querem ensinar cidadania. Depois não sabe por que o Brasil está em 54a. posição no PISA.

  17. José Henrique

    19/09/2012 20:04:54

    Yes! We can!!!:"medalha!medalha!medalha!medalha!medalha!medalha!":ih!ih!ih!ih!ih!ih!ih!ih!ih!ih! Mutley

  18. Luiz

    19/09/2012 18:37:12

    Qual o problema?Supõe-se que entre as atribuições de um professor de Educação Física, esteja apresentar aos seus alunos diferentes modalidades de práticas esportivas. Assim como o professor de português deve ensinar gramática, ortografia, etc.Gostaria que um professor de Educação Física enumerasse as tarefas que realiza numa aula de educação física que o impedem de apresentar práticas esportivas aos alunos.Não significa que o aluno se tornará um atleta desta modalidade. Terá o contato com a modalidade, aprenderá seus princípios básicos, praticará como um iniciante, competições serão realizadas na escola. Eventualmente um ou outro apresentará uma aptidão maior para esta ou aquela modalidade. Dentre esses, alguns podem manifestar o interesse em praticar, e até mesmo se tornar um atleta da modalidade. O professor não pode identificar esse aluno e eventualmente encaminha-lo ou indica-lo? Óbvio que é preciso criar um caminho, um procedimento para essas indicações. Imagino que quem está elaborando o plano esteja criando-o, e vá divulgar de forma ampla a quem de direito. Daí para frente seria outra história.Não tenho nenhuma simpatia pela Dilma, pelo Aldo. Sou contra realizar Copa e Olimpíadas no Brasil. Também acho que estão atrasados com um projeto formador de atletas.Mas alto lá: O sistema é esse em quase todas as potências desportivas do mundo. Nos EUA, em Cuba, na Russia, Inglaterra, França, Austrália, onde você for pesquisar funciona de forma similar.Falta estrutura? Não tem pista? Não tem quadra? As vezes não tem. Mas muitas vezes tem sim. O aluno não tem interesse? O professor não tem poder para fazê-lo praticar? Concordo, isso acontece muitas vezes. O salário é baixo? É mesmo.Temos que continuar lutando para melhorar todas as condições acima descritas.Porém não dá para engolir que não se possa fazer nada em nenhuma escola. A situação descrita abaixo pelo Alan é a regra geral.Fui aluno de escola pública. Tive professores de Ed. Fis. que ensinaram diferentes modalidades, e outros que entregavam a bola e se mandavam. Na mesma escola, com o mesmo salário, com as mesmas condições e com os mesmos alunos.Meus filhos estão em bons colégios particulares. Enfrentaram o mesmo problema, todos os alunos reclamavam do entregador de bola, Mensalidades pagas, os pais cobraram e o cidadão entrou na linha. Portanto não é só em escola de periferia não. Conversando com muita gente por aí a respeito, inclusive com muita gente envolvida com educação, ouvi histórias muito parecidas. É generalizado.São muitas as nossas mazelas, e reclamamos de nossos políticos não raro sem razão. Porém, muitas vezes a sociedade civil deixa de cumprir sua parte. Não é só jogar na conta dos governantes não, sejam eles do espectro político que forem. Façamos nossa parte também. Aí poderemos reclamar.

  19. José Henrique

    19/09/2012 17:32:00

    Messias. Isso é verdade. Já esperava essa resposta. Por isso mesmo, acho uma idiotice querer fazer do Brasil uma potência olimpica.:Se muitas dessas conquistas podem ser explicadas pelo fator genético, porque ainda insistem em cobrar governos, treinadores?:Querem mudança genética? Isso é coisa de nazista.

  20. Andre Munhoz

    19/09/2012 16:55:09

    Em vez de investirem na educação das crianças eles querem mesmo é prepará-las para serem ferramentas de marketing político...

  21. Luiz Messias

    19/09/2012 16:40:46

    Entendo o que você diz, mas um problema apontado por um amigo meu que é professor de educação física é que não se repete por causa da educação física. Como consequência muitos alunos não fazem absolutamente nada na aula de educação física. Uns jogam bola, outros vólei e outros simplesmente ouvem música, dormem ou ficam comendo na cantina. Neste caso o professor não pode fazer nada e enquanto não se alterar este quadro não vai adiantar nada fazer olimpíada estudantil.

  22. Luiz Messias

    19/09/2012 16:34:39

    José não tenho certeza do que vou lhe dizer, ouvi isto em uma conversa e não tenho certeza de até onde isto é verdade. O rapaz em questão disse mais ou menos o seguinte: "Ao contrário do tênis onde os negros em via de regra não ganham tanto por razões socioculturais, no caso da natação em via de regra eles não conseguem medalhas por uma razão genética e pelo mesmo motivo eles são melhores preparados geneticamente para serem bons corredores". Foi uma explicação que me foi dada, mas não sei se é verdade.

  23. Luiz Messias

    19/09/2012 16:28:05

    Sou professor de Física (não de educação física) mas conheço bem a rotina dos professores da disciplina e me desculpe o que você está dizendo é muito bonito, mas não tem o menor pé na realidade. O que você não entende é que os professores em geral já são sobrecarregados. Portanto qualquer nova atividade imposta forçosamente obrigará os professores de educação física de abdicar de alguma atividade. Para alguém de fora é simples incluir algo achando que isto não afetará o andamento das aulas. Este na verdade é um dos problemas das escola públicas, vão entulhando a escola de várias obrigações e não dão suporte nem de material humano e nem de equipamento. Antes de tentar o que você acha correto, seria mais simples tornar a educação física obrigatória. Sim, pois caso você não saiba nenhum aluno pode repetir por causa de educação física. Como consequência vários alunos não fazem nada e você não pode obriga-los a fazer nada. Então você já deve ter percebido como é o quadro real não é??

  24. Ado Marcelo

    19/09/2012 16:18:28

    Mas João, continuem fazendo o que sempre fizeram, educando. Não é como se estivessem negligenciando todo o resto, é uma adição importante ao que já é importante.

  25. Ado Marcelo

    19/09/2012 15:52:46

    Eu entrei aqui para escrever isso e acabei lendo no primeiro post. Eu acho que a indignação se dá no oportunismo, do tipo: "nunca fizemos nada nesse sentido para as crianças mas agora vamos ter olimpíadas então vamos 'aproveita-las'". Pra mim ao menos fica essa impressão. Eu acho o esporte essencial e a olimpíada secundária.

  26. João Batista Freire

    19/09/2012 15:18:47

    Caro Senhor Faraantes, há incompatibilidade sim. Todos os bons professores de Educação Física terão olhos atentos para algum talento que surgir, mas não atrelarão seus programas à garimpagem de talentos para fins que não são os da educação. Queremos um pouco de respeito com nossa profissão.

  27. André Guitar

    19/09/2012 14:56:25

    Se promovem alguma coisa, crítica, se não promovem nada, crítica, não vejo problema algum em atletas serem forjados inicialmente nas escolas, é assim em vários países, olha a importância que os EUA dão pra isso, esportes em geral nas escolas, quando se faz uma oposição sistemática e cega ao governo, dá nisso, oposição sim, sempre, é sadio, mas convenhamos essa foi bola fora, bem fora.

  28. Afonso Maiorino

    19/09/2012 14:54:40

    Colocaram tanta intelectualidade nesta questão que estou em dúvida se é bom ou não ganhar medalhas de ouro nas olimpíadas. Se fosse tão bom não teríamos tantas atrocidades governamentais na China para conseguir atletas olímpicos; e se fosse tão ruim não teríamos os Estados Unidos galopando anos luzes à frente. Então... onde ficamos nessa? Melhor mesmo seria poder contar com honestidade lá em cima ao invés de verdadeiros campeões olímpicos na dilapidação do erário público. Aí sim, teríamos (e naturalmente) grandes campeões em todas as modalidades de vida.

  29. Lauro

    19/09/2012 14:46:50

    No meu tempo de estudante de ensino médio educação física era jogar só jogar vôlei e futebol, e não era uma competição legal e educativa, era simplesmente os alunos que jogavam bem e os alunos que jogavam mau, e se resumia a isso. Mas com certeza devem ter professores de Educação física bons, vai ver que eu é que não tive sorte!

  30. EXCELENTE TEXTO!!!

    19/09/2012 14:45:23

    Estao preocupados em nao fazer feio na Olimpiada esses dirigentes hipocritas. As medalhas e conquistas deveriam ser o resultado, a consequencia de uma sociedade que funciona. Somente paises com a mentalidade distorcida investiram milhoes em uma "vitrine" de seletos atletas subsidiados pelo governo pra aparecer bonitos na fita em competicoes internacionais. Enquanto isso seus cidadaos eram/sao tratados a ferro e fogo e nao raro miseraveis. A antiga Uniao Sovietica, a Alemanha oriental, a China (de hoje) sao os principais protagonistas nessa historinha de horror. E esse Brasil as avessas que quer a todo custo mostrar sucesso atraves de atletas fabricados por subsidio de governo pra servir de "vitrine" e sair bonito na fita segue um caminho semelhante..A intencao, como bem mostrada no texto postado, nao deveria ser a de formar "vitrines". Deveria sim ser a de formar cidadaos em primeiro lugar. Cidadaos estes que pudessem ate virar atletas um dia gracas a uma vida digna, acesso a boa nutricao, com poder aquisitivo digno o suficiente para lhe permitir investir nos seus equipamentos esportivos de ponta como se da nos paises dignos e etc..Trazer competicoes internacionais do nivel de Copa do Mundo e Olimpiada pra um pais com tantos miseraveis deveria ser proibido pela comunidade internacional. Essas coisas soh servem pra corrupto superfaturar obras e desviar verbas publicas. Eh por isso que insistem tanto em pleitea-las. Pais que quisesse sediar eventos assim deveria primeiro ser obrigado a prover vida digna pros seus cidadaos. Depois (e soh depois) ganhar status de sede internacional de eventos..Brasil il il il...

  31. LUIZ CARLOS 1º

    19/09/2012 14:44:13

    Juca, o Sr. João Freire, o analisou a area de educação fisica nas escolas de forma que eu, como leigo, entendi perfeitamente.Linda explanação.O homem entende mesmo.A comparação entre as materias do curriculo escolar foi brilhante.Tambem entendo o desespero da Presidente Dilma para medalhar mais.Neste momento, bastaria ela copiar o programa Americano,Ingles,Cubano,etcSão todos iguais e premiam os alunos que se destacam em atividades esportivas amadoras, com isenções de mensalidades, etcNo basquete, pex, (Juca é expert) os atletas são disputados pelos times profissionais, por sorteios.E por ai vaiMas, isto leva tempo e não seria para a proxima olimpiada (nem na outra)

  32. dillan

    19/09/2012 14:40:44

    O governo e como um bebe; um canal alimentar com enorme apetite, numa ponta,e nenhum senso de responsabilidade na outra.Isso e Brasil!!!! Republica das Bananas.

  33. Ilton Carlos

    19/09/2012 14:29:11

    difícil aguentar os torpedos (muitos silenciosos) em sala de aula depois, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  34. Claudia Marilia

    19/09/2012 14:26:59

    Há uma frase de Pascal que diz: não se ensina o indivíduo a ser honesto,; ensina-se tudo o mais. Visão parcial, pouco sistêmica da educação brasileira é algo mesmo pra lá de preocupante!E o pior; com pouca perspectiva de melhora pois, para além dos importantes recursos financeiros, da infraestrutura necessária, da informação dada aos alunos, é preciso que se amplie as visões de mundo de autoridades, gestores, dirigentes, educadores, etc,etc,etc.....

  35. RenanDC

    19/09/2012 14:26:38

    Exatamente amigo. Um problema muito mais estrutural do que pontual.

  36. Janim

    19/09/2012 14:19:04

    Belo post. O Estado formando atletas olímpicos nas escolas? Parece coisa dos países da cortina de ferro na Guerra Fria. Posso até imaginar, por exemplo, meu filho de 8 anos chegando em casa e dizendo: -Pai, fui reprovado em Educação Física. -Por quê? -Porque não consegui alcançar 1,235684788585 no salto em distância. É brincadeira. Não precisamos de atletas de ponta nem de medalhas. Precisamos de prática esportiva nas escolas, sim, para fins de lazer e saúde. Em consequência, até poderão surgir medalhistas. Mas não deve ser o foco. O resto é mau uso de dinheiro público.

  37. Quelianne

    19/09/2012 14:17:54

    Não sei se você é professor, mas se for, deve ser dessa turma que está acabando com o futuro do país. O país precisa de cidadãos? Não. O país é formados por cidadãos. O que o nosso Brasil precisa é de cidadãos bem formados tecnicamente, que tenham boas aulas de matemática, química, educação física, só para ficar nos seus exemplos. Um cidadão não traz desenvolvimento tecnológico e garantias de desenvolvimento, mas um cidadão que recebe uma boa qualificação, certamente os trarão. Então, Juca, dignifique a cidadania promovendo o estudo científico.

  38. sergio r. masucci

    19/09/2012 14:12:54

    Melhor fariam se servissem batata doce na merenda da garotada.

  39. faarantes

    19/09/2012 14:10:33

    Caro Senhor João Moura,Não se exige que os professores de educação física abdiquem da digna missão de formar cidadãos.É óbvio, igualmente, que a esmagadora maioria dos alunos não se tornará atleta profissional ou ganhará medalhas olímpicas.Mas é fato, também incotestável, que da quantidade se extrai a qualidade.Será pedir muito que dentre as inúmeras (e honrosas) tarefas do professor de educação física, inclua ele um olhar clínico e atento às potencialidades dos alunos? Há, de fato, incompatibilidade entre a missão de formar cidadãos, e a de descobrir talentos?Realizar singelas provas, observar atentamente o desempenho dos pequenos nas atividades esportivas rotineiras das aulas e, eventualmente, direcionar este ou aquele que apresente, concretamente, potencial diferenciado. Tais tarefas representam aviltamento ou tornariam indigna a atividade de professor de educação física?Certamente não.Afinal, não é o que se espera do professor de português, que ao se deparar com alunos de texto apuradíssimo (selecionados, por que não, em singelas competições de redação e monografias), confere ao aluno tratamento e acompanhamento diferenciados, permitindo a ele o ingresso em cursos de aprimoramento, ocasiões em que seu potencial poderá ser aperfeiçoado.Teremos um novo Machado de Assis ou Jorge Amado? Díficil. Mas certamenteum verdadeiro cidadão.O mesmo vale para a matemática, ciências, etc. Descobrir grandes talentos (sejam eles futuros altetas, cientistas, engenheiros ou escritores), incentivá-los e permitir que o aluno diferenciado alcance o céu (se for o caso), é, sim, tarefa, ou melhor dizendo, MISSÃO de nossas escolas, missão esta paralela e em nada incompativel com sua função primeira, a de forma cidadãos.

  40. José Ruggeri Filho

    19/09/2012 14:06:27

    Meu Deus. Como vcs são uns tremendo de jornalista sem visão nenhuma sobre formação das modalidades de esportes. Pelo amor de Deus somem do Brasil. Precisamos de pessoas que queira fazer transformação para melhor. Até hoje que acompanho vcs não vi sugestão ou caminho a tomar. Vi, sim critica mais critica pelo amor por Deus se vcs tiverem fiquem calados e não escrevam mais bobagem. Ainda bem, que as empresas que trabalham estão muxxxxxxxaaaaando.

  41. Keko

    19/09/2012 14:03:14

    Entendo que o professor disse verdades mas foi extremista, partindo para o tudo ou nada! Nossos governantes estão muito focados na olimpíada, mas vejo uma belíssima oportunidade de melhoria da educação física para os alunos brasileiros. Se necessário até com algumas especialidades "sugeridas". Difícil será fazer essas intenções se concretizarem, considerando o contexto político e de "espertos".

  42. Sergio Roberto Chaves Junior

    19/09/2012 13:59:21

    Com a aproximação dos megaeventos esportivos, pipocam cada vez mais os discursos e ações governamentais atabalhoadas para a garimpagem e formação de atletas, via intensificação da prática esportiva nas escolas. Isso é um retrocesso às conquistas da Educação Física, entendida como área de conhecimento que tem na cultura corporal seu objeto privilegiado e visa, acima de qualquer coisa e em consonância com os objetivos da escola, a formação do cidadão.

  43. Luiz

    19/09/2012 13:59:02

    Excelente texto ,parabéns sou formado em Ed. Física pela Univ. de Londrina no PR , concordo plenamente com seu texto , oxalá a Sra. Presidente e o Sr Ministro pudessem ler isso , agora fazê-los compreender infelizmente já seria demais, é uma pena , pior é que eles ainda estão nos cargos que estão...coitado de nosso País...

  44. ZEZAO

    19/09/2012 13:54:19

    Caro Juca, o que podemos esperar de um ministro do esporte que não passa de um politico medíocre. Não entende nada de esporte, portanto vamos aplaudir a sua "grande" ideia, alias, podíamos plagiar a ideia e fazer uma competição entre os que realmente entendem de esporte para selecionar um verdadeiro ministro dos esportes, chega de Orlando's Silva e desse atual ministro oportunista que prefiro nem dizer o nome.

  45. antoniomagrao

    19/09/2012 13:47:04

    Se fosse assim imposto guela abaixo, nos anos da ditadura teriamos o maior e o melhor numero de atletas olimpicos.

  46. José Henrique

    19/09/2012 13:44:44

    Gostaria que me explicassem porque negros não ganham medalhas em natação.?:Gostariam que me explicassem o que os africanos fazem de tão especial para conseguirem ótimos corredores? A Africa tem educadores especificos?:Ficaria dois dias citando exemplos.:Acho tudo isso uma grande bobagem e perda de tempo.:Exigir desempenho e medalhas é pratica antiga de Cuba e outros paises não democraticos , onde ameaçavam de morte desempenho fraco.:Daqui a pouco teremos atletas fugindo do país de jangadas para Cuba.Ou pedindo asilo em embaixadas quando os jogos forem em outros paises.:O mundo mudou, e tem gente querendo andar prá trás, prá mostrar que somos "uma nação olimpica". Bela m.......!!!

  47. André

    19/09/2012 13:36:02

    ok,respeito a opinião mas,ao meu ver,essas competições escolares (que existiam nos meus tempos de colégio,nos anos 80) é a melhor forma de estimular a prática e a competitividade,além de ser a melhor forma de tirar a molecada da rua e das mãos da bandidagem. Não vejo razão para a classe de professores irem contra. continua-se com o trabalho de formar cidadão e usamos essas competições para achar talentos para serem conduzidos a um trabalho específico.

  48. braz macedo

    19/09/2012 13:31:46

    voce tá muito bonzinho hoje......abrax

  49. altamir

    19/09/2012 13:28:05

    Ué, mas Olimpíada de matemática não pode? Os alunos (sou professor!) adoram disputar torneios de futebol, adoram disputar corrida pelos corredores das escolas; agora não podem disputar uma corrida nas aulas de EF?

  50. Alan

    19/09/2012 13:26:42

    Infelizmente a grande maioria dos professores de Educação Fisica nas escolas de periferias principalmente, não aplicam nada para desenvolvimento esportivo dos alunos e sim jogam uma bola para o auto e esperam o relogio contar rápido, um post bonito e terno sobre a essencia e missão do professor apaixonado e dedicado ao seus alunos e futuro do Brasil esta bem longe do real descaso com a educação, nem seu post nem o governo contribuiram em nada.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso