Blog do Juca Kfouri

Reflexões olímpicas no último dia

Juca Kfouri

A frustração pela perda do ouro no vôlei masculino é apenas uma frustração e faz parte do mundo do esporte.

Os russos não eram meros coadjuvantes e foram notáveis, como notável é nosso time de vôlei.

Tão notável como são os pugilistas medalhados, nossa judoca e nosso ginasta de ouro, e, tanto quanto, a pernambucana Yane Marques, bronzeada no pentatlo — quem diria?!

Mas o Brasil volta para casa com apenas 17 medalhas, atrás de Cuba, da Jamaica, e, é claro, dos Estados Unidos, em quarto lugar num hipotético Jogos Pan-Americanos.

Com apenas duas medalhas a mais que quatro anos atrás em Pequim, em 22o. lugar agora, uma posição só acima da Olimpíada chinesa.

Com duas medalhas de ouro a menos que em Atenas, oito anos atrás, quando conquistou a 16a. posição.

Como se ainda fosse um competidor café com leite.

É pouco, muito pouco, para o tamanho e para as ambições do nosso país.

Não que surpreenda, porque era esperado, dada a falta de uma Política Esportiva e o quanto se gasta com as mordomias do COB.

E nunca antes neste país se investiu tanto no esporte, coisa de dois bilhões de reais de dinheiro público, fora os patrocínios das estatais!

Ora, está óbvio que um dos problemas reside em quem intermedeia os recursos, há mais de 20 anos no poder.

O mesmo intermediário que está à frente dos Jogos Olímpicos do Rio, daqui a quatro anos.

A pergunta é simples: vamos dar mais uma chance ao sr. Nuzman?

A resposta cabe à presidenta Dilma Rousseff.

O amargor na boca de quem viu de perto em Londres, e pela TV no Brasil, por enquanto, fica por nossa conta, no Imposto de Renda.

Até quando?

  1. Adriano Oliveira

    15/08/2012 11:15:55

    juca eu acho que os medalhistas tirando o volei e futebol que tem todo uma estrurura. se ganhar uma medalha esses caras tem que ser visto como herois!! sabe porque? por que infelizmente nosso pais não investe muito nos outros esportes!!

  2. Vanderlei Brenno

    14/08/2012 23:22:50

    Grande vitoria do esporte Bresileiro seria a mudança na direção do cob e o perpetuo e malefico Sr. Nuzman, ate quando Dilma ?

  3. Artur

    14/08/2012 15:53:01

    É que só apita nesses esportes quem bota suor ou $$$. É do auto interesse que surgem campeões. O mérito é individual... não existe isso de projeto político para formar campeões... só em regimes totalitários. 90% dos comentários pedem um "projeto político" para isso... Esporte é um projeto individual. Se politizar dá nisso que temos aí... enorme potencial e só. O único projeto político para o esporte é o Governo sair da frente para que sobre dinheiro para as pessoas investirem nas suas vocações e projetos. A mídia, aliás, é grande culpada ao promover as Olimpíadas como um projeto coletivo.

  4. victor

    13/08/2012 19:58:59

    Temos que investir nas escolas. Escola de tempo integral com esporte com pista de atletismo e piscina olimpica

  5. tertuliano

    13/08/2012 17:30:28

    Sr. Habson Tadeu, não tem nada de preconceito no meu comentário, muito pelo contrário ! Foi um comentário exaltação ! Tanto que considero o feito de Yani Marques o maior da História Olímpica do Brasil, pois o pentatlo moderno é a competição da aristocracia européia ! Uma chinesa ganhar o pentatlo moderno também seria algo surpreendente ! Pentatlo moderno é "Europa" pura ! Daí o meu comentário ! Saudações !

  6. Rodrigo

    13/08/2012 16:22:16

    Boa, Juca!!!

  7. Renato Fernandes

    13/08/2012 16:14:19

    Bernandinho não podia fazer a troca de levantador/oposto, porque não tinha oposto no banco. Ou seja, o que ele podia fazer era trocar um levantador por outro e não deixar o levantador no fundo de quadra, como é feito comumente.

  8. Camilo Rock

    13/08/2012 14:21:24

    Seria bom a Dilma parar com essa hipocrisia que está aí há décadas e parar de destinar dinheiro público, principalmente das loterias, para o COB e outras entidades esportivas. Como você bem disse, Juca, o problema no Brasil (e assim é desde 1500) são os intermediários, os despachantes. .Seria muito mais inteligente destinar esses R$ 2 bi para o investimento em infra-estrutura de esportes nas escolas e estimular os alunos para a prática esportiva. Toda criança gosta de esporte. Assim, manteríamos as crianças dentro da escola, praticando esportes, estudando portugues, matemática, ciências, história, etc. .Também custaria muito pouco aos cofres públicos dar subsídios àqueles egressos dos cursos de educação física para que houvesse uma valorização de suas carreiras. São soluções simples e baratas para um país do nosso tamanho. Em 20 anos estaríamos entre os 10 maiores países olímpicos. Dá pra fazer, mas precisa ter coragem para expurgar os ladrões.

  9. Gisele

    13/08/2012 14:19:37

    Engraçado que hoje eu ouvi em uma dessas emissoras de esporte que o Brasil irá investir mais para um feito melhor nas olimpíadas que será realizadas no Brasil, ou seja, apenas quatro anos antes sendo que em Londres a federação Londrina se preparou 7 anos antes....será que dá tempo de melhorar alguma coisa em apenas 4?

  10. Julian

    13/08/2012 13:41:58

    Marco Aurélio, obrigado pelos elogios!Mas veja só... é verdade que o vôlei brasileiro é vitorioso, e que merece todos os aplausos. Mas a mesma tolerância não existe com o futebol. Lembremos que o Brasil, entre 1994 e 2005 também ganhou praticamente tudo o que disputou no futebol: 2 copas do mundo e 1 vice, 3 Copas América, copas de confederações. E mesmo assim, a seleção foi execrada após a derrota na copa de 2006. Portanto, o passado recente vitorioso também só é valorizado no vôlei, enquanto no futebol não vale nada.Bem, e se sabemos quanto ganham os jogadores de futebol, o mesmo não podemos dizer sobre os de vôlei. O que sei é que quase todos jogam em ligas na Europa, portanto devem ganhar muito bem também. Mas como disse, nunca nos preocupamos em saber quanto ganham ou o que fazem os jogadores de vôlei fora das quadras.

  11. Artur

    13/08/2012 13:09:17

    É sempre a mesma ladainha, que o mau está em quem administra os recursos de ninguém, não no modelo.Perguntinha: Qual a política governamental dos EUA para esportes olímpicos? Não existe interesse nacional (essa coisa intangível e mística) em esportes... esporte é assunto dos seus interessados práticos, que são: praticantes, treinadores, instituições de prática e patrocinadores comerciais.

  12. FABIO

    13/08/2012 12:42:49

    O Brasil tem aproximadamente 193 milhões de habitantes, duvido se houvesse uma política séria, que investisse em uma educação esportiva, duvido que o brasil não teria pelo 05 nomes na natação e no atletismo que iriam brigar por medalhas, fora que teríamos uma equipe de basquete feminino decente, uma política que investe em uma educação esportiva, trás ainda algo mais importante para o país do ganhar medalhas nas olímpiadas, faz com que o jovem cidadão tem opção de escolha em seguir o caminho "correto da vida" ou seguir o caminho "não correto da vida". Já imaginaram que existem muitos presidiários e não todos, que se houvesse uma única oportunidade hoje poderia ser um campeão olímpico.

  13. PauloH

    13/08/2012 11:51:49

    Pode ser. Por isso eu citei o judô e o boxe juntos com a natação e o atletismo. Mas ainda acho que atletismo e natação são algo mais universais que as lutas. De mais fácil massificação. Principalmente o atletismo. O Brasil é um país com tantos biotipos, em algum lugar desse país deve haver atletas fenomenais esperando pra serem revelados. Mas só de focar (inicialmente) nestas quatro ou cinco modalidades acho que já seria um avanço. Nada contra o tênis de mesa, o hipismo, o remo, o halterofilismo. Podem surgir talentos nessas modalidades. Mas realmente não dá pra atirar pra todos os lados.

  14. ricardo

    13/08/2012 11:39:03

    A Antiga União Soviética venceria as Olimpíadas, é só fazer as contas....deixaria EUA e China para trás...

  15. augusto franca

    13/08/2012 10:20:54

    Brasileiro é muito crítico e exigente quando chega as Olimpíadas.Os raros atletas brasileiros que chegam às medalhas, o fazem mais por mérito próprio, de suas famílias e de alguns poucos patrocinadores. Não temos infraestrutura para esportes individuais.Se for prá investir em esporte, NÃO tem de ser o de alto rendimento e sim massificar práticas esportivas saudáveis para a maioria da população. País em desenvolvimento, como o Brasil, tem de ter outras prioridades.Porém nos esportes coletivos, mesmo com toda nossa desorganização e falta de cultura esportiva, ainda assim não fazemos feio e nos brinda com intensas emoções.... e tomara que um dia, o brasileiro comum, seja tão patriótico para reivindicar instituições públicas mais éticas e eficientes, quanto é para torcer nas Olimpíadas e na Copa do Mundo.

  16. Jorge

    13/08/2012 10:15:52

    Juca, algumas perguntas, para as quais nao encontro resposta:Não foi o Nuzman que iniciou a revolução que transformou o Volei no esporte mais vitorioso do Brasil?O Mano já ganhou algum título da 1a Divisão?Por que V., ou alguém da imprensa, não se candidata a algum cargo na CBF/COB? Sei que é preciso começar por baixo, "ocupando" as federações, mas...Falar mal do governo é meu esporte preferido, mas não resolve. Por outro lado, temos que aceitar que somos um País periférico, basicamente por que as únicas "elites" que produzimos nos últimos 50 anos foram banqueiros e corruptos e corruptores

  17. Lucia Ana

    13/08/2012 10:12:46

    Juca, eu ainda acho que as medalhas do Brasil são uma EXCEÇÃO. Não podemos realmente esperar mais do que isso num país onde não há mais aulas na rede pública de ensino, que dirá aula de educação física! As escolas não têm quadra de esportes, não tem material de esporte, não tem nem mesmo o professor que, quando está lá, não é respeitado e tem que dar nota boa em uma lista de alunos que não compareceu ou que o ameaçam pela presença. NÃO EXISTE mais o professor "mandar" a criançada correr 10 voltas na quadra, como fazíamos antes........As décadas de governos permissivos ACABARAM com as gerações de esportistas e crianças saudáveis, sem falar na ignorância total nos conceitos básicos de Português e Matemática.....enfim....No ensino Privado, o que se vê é uma luta contra a maré....os professores pedem "peloamordedeus" para os pais colaborarem e não permitirem que os filhos faltem a compromissos de jogos e apresentações de esportes....briga feia, já que os mesmos pais estão enchendo a molecada de I-pods, I-pads e tudo o mais que mantenha os guris sentados e quietinhos.....Não querem mais obedecer um professor que os façam suar a camisa e dê broncas que os pais nunca ousaram dar!!! Tá difícil Juca......essa geração da qual meus filhos fazem parte (9 e 10 anos), se conseguirem fazer do esporte uma prática usual para a vida, já vai ser uma exceção....se conseguirem chegar aos pódios olímpicos, então, nem se fale.....O Brasil precisa, antes de tudo, reformular sua Educação e suas bases, senão tudo será, sempre, uma raridade....O que torna nossos atletas de hoje ainda mais heróis! Um abraço e parabéns sempre por seu trabalho incansável!

  18. Habdon Tadeu

    13/08/2012 09:21:12

    Uma brasileira do agreste pernambucano é capaz de ganhar muito mais competições que você imagina meu caro Tertuliano. Uma piaiense da gema ganhou uma medalha dourada no judô, assim como um paulistano ganhou uma de ouro nas argolas, por que esse tom preconceituoso?

  19. Diego Queiroz

    13/08/2012 08:24:33

    "O chôro dos atletas mostra que estavam preparados para o Ouro"kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. Casoares

    13/08/2012 08:01:13

    O Esquiva Falcão foi roubado pela arbitragem na sua luta de boxe!! O Japonês deu socos na nuca do Esquiva e não foi punido.

  21. Rafael Belattini

    13/08/2012 07:47:54

    Nem toda matéria deve ter relevância. Trata-se de uma curiosidade. Um tom "humano", que pode até ajudar o esporte se popularizar (que acredito ser o menor dos problemas para nosso vôlei, já na boca do povo e que sofre de verdade com boicote de emissoras com os patrocinadores). A matéria, realmente. jamais ia mudar a cotação do dólar. Mas não era essa a intenção. Bom, e sobre ignorância da imprensa com modalidades, isso é apenas reflexo do povo. Passei a olimpíada toda "boicotando" o futebol.Mas adivinha que derrota deu mais repercussão?

  22. homan agostin

    13/08/2012 07:33:22

    Juca, coduno com o seu ponto de vista, o Nuzman é nocivo ao esporte brasileiro. Percebe-se que o referenciado Senhor e sua cirja, estão locupletando-se. Tá na hora de dar um basta nisso.

  23. Razao incontestavel

    13/08/2012 04:09:08

    Paulo eu concordo com vc em parte pq o atletismo nosso ganha somente 1 medalha por olimpiada desde 1952 ,excessao SEUL /88 .ONDE GANHOU 2 E barcelona 92 repetindo o desastre de hoje -zero -as outras 1 medalhina so .A verdade e que nos estamos atirando em todas as direcoes querendo descobrir um BOLT ou um PHELPS quand isso e improvavel de acontecer pq um cara com a altura dos 2 citados seria imediatamente coop[tado para o futebol ,voley o0u basquete onde o mesmo faria $ mais rapido .Nossa saida a curto prazo seriam as LUTAS ONDE NOSSOS LUTADORES BATALHAM COM GENTE DO MESMO PESO E ALTURA .Veja em PEQUIM 4 podiuns 93 judo =1 taekwendo ) agora 7 PODIUNS fica claro onde deve se investir para mim e ai longe da pressao o atletismo e natacao fariam um trabalho a longo prazo .Do jeito que estamos atirando a esmo feito desesperados atraz de um "ENVIADO DE DEUS " E QUE NAO VAI DAR CERTO ABRACOS

  24. Razao incontestavel

    13/08/2012 03:52:25

    Juca ,nao gosto do NUZMAN tanto qto vc ,mas pra mim esta foi a olimpiada MAIS MALUCA que o BRASIL ja teve .Vamos la : perdemos medalhas de ouro de uma forma incrivel (futebol voley de quadra e praia ,cielo e scheidt ) .Essas 5 medalhas nos colocariam entre os 10 primeiros .Ganhamos mais medalas que CUBA ,CAZAQUISTAO E IRA e ficamos atraz deles no quadro de medalhas .NUZMAN e problema sim sem duvida ,mas sinceramente acho que o buraco e mais embaixo nas federacoes e tb nos atletas transformados em funcionarios publicos com essa tal de bolsa atleta onde se recebe e nao e cobrado resultado.Essa gang de presidentes de federacoes estes fazem o NUZMAN parecer um anjo .A maracutaia esta ai e contaminando os atletas com seu pouco caso a respeito de resultados

  25. Marcello

    13/08/2012 01:59:39

    Não Sr. Rafael Belatini, o jornalista não deveria gastar o seu tempo treinando para correr a próxima maratona... mas não creio que a imprensa possa se eximir totalmente da sua responsabilidade.A mesma imprensa que crítica o monocultura do futebol no Brasil colabora com esta situação. Com as raras exceções de sempre a imprensa esportiva de maneira geral é sim desinformada em relação a outras modalidades que não o futebol. E como costuma ser mal preparada para falar de outros esportes que não o futebol produz muitas vezes reportagens irrelevantes, inócuas ou até mesmo com informações erradas. Além da maneira preconceituosa com que alguns jornalistas falam de modalidades pouco conhecidas no Brasil, em alguns casos tratando-as de maneira pejorativa.Isso sem falar nos casos em que alguns profissionais atuam de maneira tendenciosa e cheia de puxa-saquismo de algumas autoridades. Não é o caso, na minha opinião que fique claro, do autor deste blog, mas você consegue negar que muita gente no meio esportivo fechou os olhos aos anos de desmandos do Ricardo Teixeira e João Havelange no futebol? E ao Nuzman? Creio que ironizar o comentário do leitor Sidneyc não vai mudar o fato que o título da reportagem que ele criticou realmente tem relevância zero em termos esportivos.

  26. Habdon Tadeu

    12/08/2012 23:47:15

    Mas com certeza, a calcinha dela suada vale mais que toda a indumentária dos nossos caneleiros prateados do futebol.

  27. José

    12/08/2012 23:42:15

    Uma coisa me intriga, os atletas brasileiros de Vale Tudo e de Skate nunca tiveram apoio da mídia ou do governo e estão entre os melhores do mundo, com vários campeões mundiais, como Anderson Silva e Sandro Dias. Como explicar isso: de subculturas desconhecidas, sem ajuda de ninguém, forma-se uma tradição esportiva de primeira que produz atletas extraordinários, enquanto os esportes olímpicos continuam obtendo resultados pífios? Não seria uma falta de vocação?

  28. Felipe Lima

    12/08/2012 23:40:00

    Uma informação - não sei se é 100% certa: o COI não reconhece o "quadro de medalhas" como um ranking. Então não faz muito sentido dar "peso ou pontuação" para as medalhas.

  29. Henrique

    12/08/2012 23:10:20

    Há uma questão de fundo nisso tudo: não temos base, nem formação de atletas, com as raras exceções de praxe. A raiz de tudo está na falta de uma política esportiva. Sem uma política digna do nome, daquelas com "P" maiúsculo, a evolução fica difícil. Não há massificação da prática esportiva, formação de atletas desde a base (para que deles surjam os atletas de ponta), planejamento. E não estou nem falando da roubalheira, dos privilégios, das incompetentes federações, confederações e assemelhados, dos dirigentes venais. Trata-se do incentivo à prática do esporte na escola, nas comunidades, como um fator educacional de de saúde. Trata-se de contar com equipamentos apropriados e não aquelas espeluncas que existem. Trata-se de não depender só de abnegados ou apaixonados, como o Touro Sentado ou o treinador paraense, ambos do boxe.Não temos uma política de esportes. Temos um incentivo, fracassado, à conquista de medalhas, como se medalhas fosse o mais importante para um país. E como isso daria certo, sem política, sem planejamento e com falcatruas?

  30. Paulo César

    12/08/2012 22:49:03

    Mas, tudo tem o seu lado bom, as intermináveis e repetitivas propagandas do seu neymala quase desapareceram da TV, ainda bem eu já não agunetava mais ver a cara desse fulaninho, nem ouvir sua voz, sem falar que é o terceiro fracasso consecutivo em três competições importantes, nem na Libertadores de 2010, no jogo que o santos fez o milagre de se classificar ele estava, ou seja, o "craque" de R$ 3 milhões por mês só ganha paulistinha, no mundial foi ao Japão fazer compras, pedir autógrafo e trocar camisa com o Messi, é bom a ponte preta da baixada vender logo, senão vai morrer com o mico na mão e o clube já está quebrado de grana, tanto que desmonrou o futebol de salão, o feminino e chegaram ao ridículo de forçarem a barra pro Falcão sair sem receber a multa contratual, boa LAOR, exemplo de administração moderna e eficiente, seu clube é refém de dois jogadores que não têm 2 anos de profissionalismo, a ponto de demitirem o técnico e, para piorar o meu consegue a façanha de perder pra eles, mas tudo bem, a volta das vitórias passa pela volta à legalidade.

  31. Paulo César

    12/08/2012 22:37:34

    É verdade, em 2016 vamos disputar o salto com vara num ginásio fechado para o vento não atrapalhar, vamos deixar o cielo descansar para ele não ficar cansado, vamos mandar alguém verificar as ferraduras do cavalo para que ela não caía no início da prova (certamente, a culpa não foi do cavalo) e, vamos ter mais cuidado com nossos atletas quem sabe um plano de saúde, porque é um absurdo um tem febre na noite anterior da disputa, sei lá quantos desmaiaram no meio das provas. Imaginem perdemos o ouro no volei de praia para os alemães.Chega a ser risível que os atletas que não têm a tal bolsa atleta trouxeram o ouro e os que as têm foram atrapalhados pelo vento, pelo "cansaço" e sabe-se lá mais o quê!!! CHEGA.

  32. Neco

    12/08/2012 22:35:42

    Juca - lamento que só agora descobri seu excelente blog, mas agora vou sempre estar comentando por aqui. VC não usa meias palavras, fala na lata mesmo!Aquela virada sensacional da Russia contra o Brasil no volei me faz lembrar que isso pode acontecer emqualquer esporte. Não me sai da cabeça entre o Palmeiras e o Vasco em SP nhá anos atras quando no intervalo o Verdão ganhava de 3:0 e o jogo termin ou em 4:3 para o Vasco.Parece que dinheiro para o esporte não falta e não vai faltar nunca. O problema é saber para onde vai toda essa grana. Acho que todos os orgãos desportivos no Brasil deveriam ter sua direção renovada, incluindo aí COB, CBF etc. Mas o que é essencial mesmo é começar a preparar desde ja uma boa safra de atletas para 2016. Infelizmente isso não vai passar de desejo teórico, pois por aqui a regra é deixar tudo pra ultima hora. A Copa do Mundo vem aí e continuamos enrolados com obras no papel !!!

  33. Carlos

    12/08/2012 22:32:29

    Juca, mandei um comentário mas não o vi publicado.Disse que enquanto abrirmos o caderno de esportes e virmos 90% das matérias falando de futebol, nosso desempenho em Olimpíadas será sempre um fracasso. E disse mais, para você começar a inverter isso no seu blog e em seus programas e análises: passe a falar mais dos outros esportes!

  34. Trisco/Furacão

    12/08/2012 22:30:13

    JUKA ! (1)A medalha de prata do volei masculino deve ser aplaudida (2)O chôro dos atletas mostra que estavam preparados para o Ouro , sem duvida (3) O Bernadinho ainda continua se sentindo culpado por esacalar seu filho Bruno - já é hora de esquecer isto . O guri é bom .(4) O Bruno deveria ser alternado com o Ricardinho - sim , que nunca deveria ser desligado do team . Após anos e rusgas etc.. trazer de volta o Ricardinho - já sem aquele pique ou mesmo sem o entrozamento e muito mais coisas que tem uma seleção ....(5) Acredito que este fator tenha colaborado . Na hora que o jogo esquentou - e em todas a horas - sim , poderia ser mudado o levantador , trocado o esquema , confundido o adversário etc... Mas agora assim - não dá mais - o Ricardinho , após anos, perdeu a engrenagem (6) O Bernardinho se chora agora , amadurecido , não tem como voltar o passado . Troca de jogadores é uma constante - mas o "miolo" - o "distribuidor" Ricardinho deveria ter ficado - lentamente Bruno substituiria . Naquela hora era briga de cachorro grande - tinha que estar um cara mais vivido ,maduro , preparado ...(7) Enfim , se tivesse fechado o set - e ganho a medalha de ouro - ninguem , nem eu , estaríamos aqui com este papo cabeça !

  35. Paulo César

    12/08/2012 22:27:11

    R$ 123, 5 Milhões por cada medalha, sendo que só TRÊS de OURO. Ficamos em 22º lugar empatados com Usain Bolt da poderosa Jamaica, conseguimos a proeza de perdermos a medalha de ouro no futebol pro méxico, afinal Mano SÉRIE B Menezes, talvez fique para repetirmos o Lazaroni da copa de 90 e, saíram de campo, salvo raríssimas exceções, como se nada tivesse acontecido, talvez achassem que R$ 180 mil de bicho fosse pouco. O vôlei surpreendeu, o feminino porque ganhou quando quase ninguém mais acreditava (e os neymares da vida deveriam ser obrigados a assistirem ao vídeo dessa partida e da entrega das medalhas, para verem o que é vergonha na cara e que falta faz ter escolaridade e não jogar por instinto como se fosse um animal) e o masculino porque perdeu porque perdeu, quando todos achavam que já tinham ganho. Ahhhh, querem saber que se dane. Minha seleção tem três cores vermelho, branco e preto, dane-se o resto.

  36. Marco Aurelio

    12/08/2012 22:12:23

    Julian,Texto muito bem escrito, ideias bem elaboradas. Parabéns!Entretanto, veja bem: no volei, estivemos no pódium em 38 das últimas 40 competiições. Somos os atuais tri-campeões mundiais(2002-2006-2010), vencemos a olimpíada de 2004 e fomos "vice" em 2008. Pode apostar que se não vencermos em 2016, começarão as cobranças. O volei tem crédito.Futebol: depois de 2002, perdemos 2 Copas sem chegar as semis. Algo que só aconteceu entre 82 e 90. Perdemos a última Copa Amércica e não há jeito de se ganhar o ouro nas olimpíadas. Ah...sabemos mais ou menos quanto ganham os jogadores de futebol. Isso muda tudo.

  37. Marco Aurelio

    12/08/2012 22:03:07

    Para além da extroversão natural do povo brasileiro, também achei excessiva a brincadeira das moças no pódium. No mínimo, infantis.

  38. Rafael Belattini

    12/08/2012 21:57:08

    Sim, o repórter deveria estar economizando o tempo que gastou para escrever esta matéria e ter treinado para correr a próxima maratona. A culpa é da imprensa...

  39. Sidneyc

    12/08/2012 21:53:22

    Manchete do Uol hoje: " Paula Pequeno diz que jogou Olimpiadas com a mesma calcinha por supersticao". Com uma imprensa esportiva deste nivel fica facil melhorar o nosso esporte!

  40. Denilson

    12/08/2012 21:50:13

    Ah, se o Cielo não tivesse "se cansado" tanto nos 100, se o futebol não tivesse "complexo olímpico", se o Robert Scheidt tivesse acertado a estratégia, se o Alisson e o Emanuel não tivessem menosprezado os alemães, se a Juliana e a Larissa não tremessem diante de americanas, se o Thiago Camilo e o Leandro Guilheiro não estivessem num "mal dia", se o volei masculino e handebol feminino não tivessem sofrido "apagão", se a Fabiana Murer não tivesse medo do vento, se o Esquiva tivessem visto (entendido) as "500" advertências do árbitro... ah, seríamos hoje uma potência olímpica. Faltou pouco... apenas se's...

  41. Denilson

    12/08/2012 21:35:21

    Acho que quem não acompanha é vc Marcelo...

  42. gabriela

    12/08/2012 21:34:11

    temos que ser agressivos, bancar os atletas para que eles treinem 3 vezes ao dia, esse nuzman é um politico e só. não podemos fazer como a grécia que fez festa para os outros e hj está falida e sem estrutura no esporte.fora seu nuzman sem sal.

  43. Luciano Cruz

    12/08/2012 21:12:51

    Ate quando Marcelo Freixo virar presidente e revolucionar a politica desse pais, mas ai precisa de inteligencia na hora de votar neh

  44. Denilson

    12/08/2012 21:04:50

    Desculpe Juca, mas sua análise está bastante simplória. Claro que não apoio o Nuzman e os desmandos e abusos do COB, porém, o COB não entra em campo, não luta, não corre, não nada e não salta. Fiz uma lista das possíveis (não certas, mas possíveis, sim!) medalhas de ouro que viraram prata, bronze ou pó...: Cesar Cielo, Futebol masculino, Scheidt/Prada, Alisson/Emanuel, Juliana/Larissa, Volei Masculino, Thiago Camilo, Leandro Guilheiro, Handebol Feminino (sim, porque estava ganhando da Bi-campeã olimpica, a Noruega,por 6 gols de vantagem (único time que conseguiu isso) e perdeu, se vencesse o caminho do ouro estaria aberto) e Fabiana Murer. Além deles ainda tinhamos chances (remotas, claro!) com o Marilson, a Poliana e com o boxe.Portanto, foram mais de 10 frustrações para o esporte nacional, você acha que isso é culpa apenas do COB?

  45. Gunar

    12/08/2012 20:59:16

    Já escrevi antes neste espaço dos comentários em postagem anterior e o que li neste teu post e reforçando o que acabo de ouvir do José Trajano no Bate Bola final de Londres a pouco: temos que mudar estes cartolas do esporte brasileiro, quer seja olímpico ou o do futebol profissional e isso cabe sim, a força e união de vocês jornalistas que devem iniciar uma luta, assim como foi a da saída do Teixeira da CBF.Fora Marim, fora Nusman.Mexer na estrutura do Ministério do Esporte, onde no lugar dos políticos apartidários, devemos ter profissionais a serviço do esporte brasileiro.Chega de financiar "vidas boas" aos dirigentes pelo mundo a fora, com mordomias em hospedagens.Gostaria de ver numa mesa redonda alguns jornalistas, representantes das várias empresas que temos, discutindo e colocando isso para o povo!

  46. Luiz Mello

    12/08/2012 20:47:43

    Verdade, Rodrigo, mas depois do salto inicial, atingimos uma parede. Houve um crescimento devido à mudança de filosofia do COB sob gestão do Nuzman, mas a evolução não foi contínua. 15 medalhas em 1996, 12 em 2000, 10 em 2004, 15 em 2008, e agora 17. Muito melhor que as 3 de 1992, mas estagnamos em outro patamar. Acredito que o COB obteve resultados, mas não teve nenhuma resposta para os novos desafios que encontrou pelo caminho.

  47. Rousseau

    12/08/2012 20:44:18

    Pura Monocultura Esportiva! Alguem aí quer saber de algum campeonato de handebol???

  48. Tertuliano

    12/08/2012 20:30:56

    Concordo com o seu comentário, mas só até a página nove ! País que não ganha nenhuma medalha no Atletismo não merece ser levado a sério ! O Atletismo é a alma dos Jogos Olímpicos ! O Atletismo ofereceu nesta Olímpiada 141 medalhas - 47 de ouro, 47 de prata e 47 de bronze - e o Brasil conseguiu a proeza de não ganhar nenhuma ! É o fim da picada !

  49. Fabiana Bentes

    12/08/2012 20:29:13

    Os dois filhos de Touro Moreno e os Jogos Olímpicos dos brasileiros humildes e históricos.Sem tirar um pingo de valor das honrosas e lindas medalhas de Felipe Kitadai, Thiago Pereira, Mayra Aguiar , Cesar Cielo, Robert Scheidt e Bruno Prada, Juliana e Larissa, Alison e Emanuel, das equipes de vôlei feminino e masculino, e até mesmo do futebol masculino, quero destacar seis medalhas que me trazem a sensação de que o Brasil é grande, que há talentos em todos os cantos do país e que representam a máxima do Olimpismo.O boxe, hoje, para mim, é a fabulosa representação da essência do brasileiro. Os dois filhos de Touro Moreno fizeram história nos ringues. Esquiva e Yamaguchi deram um exemplo sobre o que é ser, verdadeiramente, um atleta olímpico. Sem investimento, de família humilde, lutaram contra tudo e contra todos, a favor de tudo e a favor de todos e, hoje, são o segundo e terceiro melhores boxeadores olímpicos do mundo em suas categorias.A baiana Adriana Araújo, nossa boxeadora de bronze que vale ouro tem similar carreira. Desabafou com críticas aos dirigentes do boxe ao colocar a medalha no peito, tentando alertar para uma mudança radical na gestão esportiva do país.Arhur Zanetti, de São Caetano do Sul, com uma força física e mental que a gente até duvida que uma pessoa seja capaz, mas ele foi, também fez história. Treinou a vida inteira com seu técnico Marcos Gotto e realizou o que outros países, com muito investimento, não conseguiram, ter seu atleta medalhista de ouro.Sarah Menezes, a pequena notável, uma fofa diga-se de passagem, representa o Piauí , que detém a “belíssima” marca com dois municípios com as piores notas nas séries iniciais do ensino fundamental, foi o Ouro de um Estado aonde o esporte virou a esperança, porque se for pela educação, já viu...Yane Marques, de Afogados da Ingazeira, em Pernambuco, surpreendeu com a medalha de bronze num país aonde as pessoas sequer sabiam que existia uma representação digna de pódio no Pentatlo. No último dia dos Jogos, Yane mostrou que tem sim e que já passou da hora de prestarem atenção na Juliana Domingues e no William Muinhos, nossas promessas para 2016.Mas é hora de tomar cuidado. Nosso atletas que nunca foram ídolos e ninguém sabia que sequer eram da seleção brasileira de suas modalidades, podem ser engolidos pela propaganda oportunista, pela melhoria das condições de treinamento pelos próximos seis meses, pela imprensa que, também nestes seis meses vai mudar o rumo da prosa pra Copa do Mundo e, mais uma vez, vamos cair no buraco da falta de oportunidade para o esporte brasileiro.Tenho um receio imenso que estes brasileiros humildes e históricos sejam apenas uma passagem de bandeira de 2012 para 2016. Que Deus não me ouça.Fabiana Bentes

  50. Tertuliano

    12/08/2012 20:25:24

    Uma brasileira, do agreste pernambucano, ganhar uma medalha olímpica no Pentatlo Moderno, é algo tão inimaginável quanto uma húngara ganhar um concurso de samba-enredo da Estação Primeira de Mangueira ! Na minha modesta opinião, este foi o maior feito de toda a História Olímpica brasileira !

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso