Blog do Juca Kfouri

Para saudar a abertura da Olimpíada de Londres

Juca Kfouri

Por JOÃO BATISTA FREIRE*

Não é nada pessoal, são apenas negócios”, diriam os mercadores do mundo dos esportes, entre eles dirigentes, empresários e agentes de variados naipes, ao ouvirem os apaixonados torcedores clamando por um pouco de garra e arte, e reclamando do excesso de “luzes” e “ribalta” que recobre com uma fina camada os “espetáculos” esportivos.

No Brasil, mais particularmente no futebol, gerações de craques acostumaram esses torcedores ao requinte artístico da bola bem tocada, do chute sutil, da finta desconcertante.

Os olhos brasileiros fartaram-se com o talento de Heleno, Leônidas, Pelé, Garrincha e Didi, e, mais recentemente, Sócrates, Rivelino, Tostão, Zico e Romário.

Já os torcedores do MMA, o novo fenômeno esportivo de massa, são ainda noviços, e deliram mesmo que nada lhes reste além da gesticulação primitiva e grotesca de seus gladiadores, que nem de longe dão pistas de revelar sementes de algum Spartacus revisitado.

Aquele que pretende, em breve, tornar-se o esporte mais popular do planeta, não passa de arremedo mal costurado de gestos emprestados ao boxe, ao karatê, ao jiu-jitsu e outras lutas, num arranjo tosco, que antes lembra um Frankenstein de octógonos que um Muhammad Ali de ringues.

Aos aficcionados dos demais esportes sobram migalhas, exceções sazonais feitas, no Brasil, ao voleibol e ao basquetebol, porque, afinal meus caros, não é nada pessoal, e, se o que importa é o lucro, desculpem, mas é mais fácil vender escândalos e chiliques de craques de futebol ou o sangue derramado pelos gladiadores do UFC que os gestos sutis dos saltadores de vara ou as piruetas delicadas de ginastas artísticas.

“Nada temos contra a beleza do esporte”, diriam os mercadores, “nós as venderíamos caso nos rendesse alguns trocados, porém, vendemos o que a educação do público compra, e quem oferece essa educação não somos nós, mas seus políticos medíocres com suas promessas risíveis.”

No mês de junho, num ato quase de redenção, um punhado de esforçados jogadores corintianos, mesmo sem o requinte dos craques do passado, ofereceu-nos alguma coisa parecida com
espetáculo futebolístico, mesmo que tenha sido apenas um espetáculo de garra e amor ao clube.

Um pouco de futebol, finalmente, numa memorável noite em que os negócios, embora presentes, foram sobrepujados pela paixão.

Sem craques milionários ou o brilho ofuscante de um Sócrates, a taça é corintiana.

E o povo, finalmente, pôde passar noventa minutos acreditando que seu futebol ainda existe.

E sem que o sangue precisasse tingir a arena.

*João Batista Freire é professor Livre Docente aposentado da Unicamp, além de ter trabalhado na USP e na Universidade Federal da Paraíba e na Universidade Estadual de Santa Catarina, e autor de diversos livros sobre Educação Física e Esporte.

  1. bruno

    09/08/2012 00:00:43

    esse povo acha que o ufc foi criado por um monte de magnatas e não foi isso, foi criado pelo rorion gracie para provar a eficiencia do jiu jitsu, estes desafios de estilo de artes marciais sempre existiu, só estudar hostoria japonesa para ver o tanto de desafios que os grandes samurais participavam, o primeiro evento custou só 100 mil dolares, não foi nada milionário, claro que o evento toumou grandes proporções e como TODO evento americano, se tornou um show, como é a nba, mlb, nfl.

  2. Fabiane

    28/07/2012 15:40:50

    João Batista Freire é brilhante mesmo.

  3. TATUAPE

    28/07/2012 09:27:37

    .Muito bem Augusto Cesar..E digo mais, pela atenção que o Corinthians obteve do país, ser referido no brilhante texto é mais que apropriado..Os críticos estão inseridos nisso diretamente..Que ironia!.

  4. Sergio

    28/07/2012 00:29:31

    Sem dúvida, nada a ver. No contexto do que foi escrito, cabia ali o Barcelona, mesmo a seleção espanhola. Sem dúvida, essa parte estragou a ideia. Garra tem praticamente todos os campeões, até o Once Caldas.

  5. Ivan

    27/07/2012 22:45:05

    Execelente, Marcos. Concordo com tudo que vc colocou no texto!

  6. TATUAPE

    27/07/2012 20:27:17

    .Excelente Juca Kfouri!.Calma pessoal, eu vi..O brilhante texto é do Professor João Batista Freire..Parabéns!.

  7. Roberto Schwartz

    27/07/2012 20:17:26

    Eu goistava de MMA até o Galvão começar a narrar. Antes era algo restrito só de quem gostava de lutas, ai vem a Globo e transforma os lutadores de MMA nos "Gladiadores do terceiro milênio" e estraga tudo.

  8. Joilson

    27/07/2012 20:07:34

    "No mês de junho, num ato quase de redenção, um punhado de esforçados jogadores corintianos, mesmo sem o requinte dos craques do passado, ofereceu-nos alguma coisa parecida comespetáculo futebolístico, mesmo que tenha sido apenas um espetáculo de garra e amor ao clube."P.E.L.O.A.M.O.R.D.E.D.E.U.S. Um post eloquente e bem redigido arruinado por um comentário despropositado, fútil e tendencioso. Uma pena!

  9. Augusto Cesar

    27/07/2012 19:03:05

    Desconfio que muita gente não entendeu o texto. O fato de citar o Corinthians foi devido a entrga do time na conquista, o que lembra épocas áureas do futebol mais distante da tal mercantilização. Bom texto.

  10. Rodrigo

    27/07/2012 16:48:48

    Primeiro: MMA não é esporte.Se fosse, seu maior ícone não declararia que espancaria o seu adversário na luta entre eles. Ele falou abertamente em quebrar dentes e outros ossos...Detalhe: Adoro a pancadaria.Finalizando, colocar corinthians em um texto com criticas a mercantilização do esporte só pode ser piada... Noite memorável??? :DÉ um fanfarrão!

  11. Roberto

    27/07/2012 16:38:57

    Calma, só se passaram 12 rodadas ainda.

  12. Sidneyc

    27/07/2012 16:19:22

    De novo essa discussão infundada sobre comercio e paixão no esporte. Os americanos já provaram que e possível, o Manchester United e o Barcelona estão aí também para desmistificar essa bobagem. O que mudou foi a transformação da imagem dos atletas em produtos muito bem utilizados por eles, pelas empresas e mídia, em uma época aonde todos nos estamos 100% do tempo conectados e isso, o tempo, vale milhões! Talvez o que ilustre mestre gostava era de ver os grandes atletas terminarem suas vidas na miséria como antigamente, correndo contra cavalos para sobreviverem, mas com muito amor!

  13. guido

    27/07/2012 15:57:23

    incrível que a sua necessidade doentia por agredir "essa figura" faz você diminuir o próprio sucesso de sua querida agremiação.Você acha que a grande campanha do CAM não sería a mesma se não fosse este ou aquele jogador? conselho de amigo ,curta o momento com amor no coração e não ódio.A campanha de seu time esta maravilhosa, enaltessa seu time e não agrida os comentaristas pois são 41 anos que eles estão dizendo (e tendo razão) e pode ser que no ano que vem seja 42.Curta este momento.

  14. Bruno de Oliveira Nascimento

    27/07/2012 15:41:15

    Cláudia, no caso em questão, o texto do Professor acima nos da a entender que a educação formal torna o MMA de uma briga qualquer para um luta, o que na minha opinião esta errado. O MMA sim esporte e consegue fazer com que as pessoas melhorem ao utiliza-lo. Essa questão educacional colocada no texto acima, é um argumento totalmente refutável, pois sendo assim, qualquer luta não poderia ser classificada como esporte, vide o boxe que deixa muitas sequelas em seus praticantes profissionais.

  15. Bruno de Oliveira Nascimento

    27/07/2012 14:51:17

    Bom, eu não disse que o MMA é um exemplo para os outros esportes. Disse que a forma como os organizadores de estão trabalhando, essa forma sim é um exemplo. Imagine se O campeonato brasilleiro tivesse a organização e a seriedade que se tem no UFC. Não teriamos uma media de publico menor que a do HORRIVEL campeonato argentino...

  16. Luis

    27/07/2012 13:58:25

    Sergio eu acho que voce deveria rever seu conceito de noção de futebol. Rivelino é sim comparavel a Zico e Romário.

  17. Guilherme

    27/07/2012 13:44:02

    Canso de dizer mas está difícil...Educação, Saúde, Esporte são complementares, não competem entre si... qual a dificuldade de se entender isso????

  18. Mauro

    27/07/2012 13:15:48

    A Copa-82 mostrou quem jogava mais entre Zico e Sócrates: Falcão.

  19. Vitor Guilherme

    27/07/2012 13:12:14

    Interessante. Essa figura só voltará comentar o campeonato Brasileiro se um time do eixo RJ/SP voltar a reniar na liderança? Me lembro muito bem falando que o presidente do CAM era maluco de contratar o Gaucho... tai...

  20. junior

    27/07/2012 12:50:55

    Jogador de futebol que ama o clube? E de novo esse assunto de MMA?Tenha santa paciência... haja sac....

  21. anderson

    27/07/2012 12:44:43

    Não gosto nem um pouco do MMA, porém assim com qualquer outra luta é um esporte de combate, com regras bem definidas. Talvez a grande diferença está no surgimento em uma época que o esporte é sim um grande produto, onde o dinheiro fala mais alto. Ele não é melhor nem pior que outros esportes, mas já surgiu muito bem embalado para ser vendido a grande massa, principalmente agora com o apoio da globo, emissora de tv que só tem compromisso com o dinheiro. virou uma febre! Quanto ao texto, não vejo joão batista Freire como o melhor professor de Educação física para aborda esses aspectos do esporte, mesmo achando que ele tenha contribuindo muito para área.

  22. claudia marilia nogueira

    27/07/2012 12:34:43

    exemplo educacional cabe sim! são países que você cita, de educação com viés da razão ou do pragmatismo. como já escrevi, uma coisa é a educação formal, de conhecimentos objetivos, a outra a educação da alma, do subjtivo, da criatividade!!! Se pegarmos a universidade mais importante do país, a USP é onde encontraremos o maior índice de trotes incivilizados, bullyings e tantas coisas mais! pe a educação do "penso logo existo" e não do sinto, intuo, convivo, amo, respeito, e penso, logo existo!!! mas o ser humano chega lá!!! na minha forma de entender, vivemos muitas mazelas, mas já melhoramos e muito, desde as cavernas, e do tempo das arenas e leões!!!!

  23. José Henrique

    27/07/2012 12:32:50

    Não gosto de MMA, mas gostei muito de ver o Anderson dar um cacete no tal de Sonnen.:Formula 1 (acho muito elitista) só torcia pelo Senna e pelo Rubinho, com o primeiro morto, e o segundo na Indy, não sobrou nada. Torcer pelo Massinha mascarado? Nunca. Além de ser contra dinheiro publico para autodromos, ou ruas da cidade para corridas, e dinheiro publico para passeatas gays. Absurdo!!!:

  24. claudia

    27/07/2012 12:31:12

    exemplo educacional cabe sim! são países de educação com viés da razão ou do pragmatismo. como já escrevi, uma coisa é a educação formal, de conhecimentos objetivos, a outra a educação da alma, do subjtivo, da criatividade!!! Se pegarmos a universidade mais importante do país, a USP é onde encontraremos o maior índice de trotes incivilizados, bullyings e tantas coisas mais! mas o ser humano chega lá!!! na minha forma de entender, vivemos muitas mazelas, mas já melhoramos e muito, desde as cavernas, e do tempo das arenas e leões!!!!

  25. José Henrique

    27/07/2012 12:28:35

    Ué? Até outro dia era o "heroi" , que peitava a CBF, FIFA, Federação Paulista, impoluto, "letrado", com "moral concluso", etc.?:Pelo jeito era tudo postura de "araque" certo?

  26. Fernando

    27/07/2012 12:24:43

    Triste este tipo de posicionamento vindo de uma pessoa deste calibre, fazer o quê, dai vem a explicação do atual estado em que vivemos... uma pena... espero que tenha sido para levantar uma discussão, e pesar os comentários.

  27. tiago

    27/07/2012 12:05:57

    Texto muito preconceituoso. A intenção de comentar a falta de valorização de outros esportes como o Atletismo, Basquete e outros esportes menos populares foi boa, porém, não é necessário desmerecer outro esporte de lutas (ou como vocês preferem, espetáculo da violência). Isso mostra uma visão reducionista e simplificadora da realidade, que não gosto de ver em alguém formado em Sociais e preocupado com o papel político das instituições esportivas. Talvez a lógica do lucro baseada no entretenimento para as massas deva ser criticada no MMA. Mas assim como o Futebol não é sinônimo de CBF, as artes marciais misturadas não são sinônimo de UFC e ambos não são somente ópio do povo. A agilidade de Anderson Silva foi até celebrada pelos vídeos de Marisa Monte e muitas outras pessoas que não podem ser consideradas "sem educação" reconhecem beleza nesse esporte de combate. Aliás a guerra, por brutal e injusta que seja, pode ser transformada em beleza, é só ver a leitura de Kurozawa, Copolla, Kubric e tantos sobre o tema no cinema. Ou seja, para além dessa moral maniqueísta de bem e mal, é possível identificar força, poder e a nossa própria humanidade, nosso sangue, nossa determinação, nossa superação, nosso sofrimento, tudo isso no MMA. Não tenho vergonha de dizer que torço e vibro quando vejo os lutadores no octógono se desafiando, demostrando uma coragem que poucas pessoas conseguem ter no dia a dia. Assim como em todos os esportes que estão nas Olimpíadas e não tem a cobertura dos meios de comunicação no restante do ano. Inclusive Juca, gostaria que você mesmo desse mais atenção a outros esportes além do futebol. abraço.

  28. Rafael Wuthrich

    27/07/2012 11:52:26

    Tudo para falar do Corinthians. Fala sério - Olimpíadas rolando e esse conto do vigário.

  29. Ricardo Soares

    27/07/2012 11:44:36

    60 mil vozes contra o ditador! #FORAJUVENAL Morumbi lotado no domingo e torcida gritando mesmo se o time estiver ganhando!

  30. Sergio

    27/07/2012 11:32:41

    Em que pese Rivelino ter sido um bom jogador, compará-lo com jogadores do naipe de Pelé, Garrincha, Zico e Romário só pode ter partido de um corintiano sem nenhuma noção de futebol.

  31. Marcos

    27/07/2012 11:19:32

    Desculpe, mas não entendi. Você acha que Tom & Jerry é violento ou não?http://www.youtube.com/watch?v=ffOrHY8rl7A Dá pra argumentar até que desenhos são mais violentos que o MMA, uma vez que os desenhos são direcionados a crianças e mostram cenas violentas estilizadas, tirando as consequências reais. Por exemplo uma barra de dinamite que explode na boca da personagem e na próxima cena a mesma não apresenta nenhuma sequela...

  32. Luis Prado

    27/07/2012 11:15:41

    gostaria de informar que o professor JOÃO BATISTA FREIRE, faleceu se não me engano no ano passado, abraço, atenciosamente

  33. tom

    27/07/2012 11:13:58

    coloque o dana white e sua trupe para comandar o futebol brasileiro pra ver se , em alguns anos , o nosso futebol nao estara valendo tanto quanto o europeu , ou o ingles?

  34. Guilherme

    27/07/2012 10:38:41

    Imagino que vc acorde cedinho e empolgado para assistir as quentes disputas do tiro com arco, fossa olímpica, decatlo, arremesso de pelota, vela. Sempre levando em conta o espírito olímpico, tão bem colocado pelo Barão de Cobertain...

  35. Guilherme

    27/07/2012 10:33:06

    Brunão, é o seguinte...Esse prof aí é o típico reclamão de ocasião. E para reclamar usa um argumento mais estapafúrdio que o outro. Misturou UFC, Futebol de antigamente, com o atual estilo de jogo do Corinthians e fez uma salada descomunal que não diz nada com coisa nenhuma. Esse papinho de que o esporte hoje é um grande negócio e que por isso perdeu sua "beleza", o seu encanto, é um dos papinhos mais xaropes que se vê, se ouve e se lê todo santo dia. As Ligas dos Esportes americanos dão aula de como usar o negócio em prol dos eventos esportivos, uma coisa não anula a outra, muito pelo contrário, são complementares. E para ficar claro, eu não gosto do UFC, não por conta deste papo besta de que é um banho de sangue para uma sociedade alienada, mas sim pois realmente não gosto das lutas, mas e daí? Tem um monte de gente que gosta, acompanha e entende, e se a demanda cresce, número de participantes cresce, a divulgação cresce. Esse negócio de ficar exigindo das TVs e outras mídias a dar espaço tão grande a esportes que nem demanda, nem praticantes tem é completamente fora da realidade. E para completar, sou Corintiano, e discordo totalmente do relator, esse time do COR não transformou nada de nada aí, com um jogo solidário sim, moldado a característica dos jogadores, conquistou o torneio mais importante de futebol das Américas, e para por aí. Libertadores aliás, que precisaria de um remodelação urgente bem nos moldes de um grande negócio, com muito MKT, estrutura, grana, pompa e circunstância, tão criticado aí pelo texto acima...

  36. Junior

    27/07/2012 10:20:22

    Concordo com a parte que chama os lutadores de atletas, isso é indiscutível. Agora, tratar MMA como exemplo para os outros esportes é demais... E mais, as lutas mais esperadas duram menos de cinco minutos... Fala sério...

  37. Giovanni

    27/07/2012 10:00:56

    Ao meu ver, todo esporte é bem vindo no brasil de hoje (assim mesmo, com "b" minúsculo, pois não estamos tendo motivos reais de escrevê-lo como em tempos passados). Sou de 1978, meus pais são de origem humilde e me transmitiram seus valores ao longo da vida, e os pratico com naturalidade, pois fazem parte de mim. São valores básicos, como respeito, educação ao tratar pessoas de mais idade, honestidade e justiça. Infelizmente vivemos em um país capitalista, e é muito mais lucrativo alavancar a transmissão de esportes na TV, como o futebol (que eu também gosto) e o MMA, assim como as transmissões de grandes eventos esportivos como foi o Pan, a Copa que está por vir e também as Olimpíadas que se iniciam, do que noticiar o que realmente importa para a grande maioria da população. Todo esporte, ao meu ver, é uma opção de aprendizagem, de superação, perseverança, e principalmente, de combate ao que chamaria de "desleixo político", afinal de contas, com o esporte podemos tirar do caminho da criminalidade muitas pessoas que já não têm uma projeção para o futuro. Em se tratando de futebol, que abrange tantas pessoas neste país por ser um assunto de interesse comum, os investimentos sempre surgem. Capital de investimento sempre aparece onde há um público interessado. Pelo amor de Deus, BRASIL, tenham interesse pela educação e saúde.

  38. claudia marilia nogueria

    27/07/2012 09:51:20

    acredito mesmo em brindar a simplicidade pois aqui é corínthians.há um lindo texto correndo de autoria desconhecida que diz que a frase VAI corinthians representa um momento de celebração de alegria e da simplicidade da vida e eu acredito mesmo nisso.!!!!! aliás de médico, corinthiano e louco, todo mundo tem um pouco! rsrsrsrs Mas o mundo está mesmo deslumbrado, e até um antigo samba do i´mpério serrano já disse sobre isso:super escolas de samba S/A escondendo gente bamba! Mas se o estético está em moda, então tentemos ao menos dar mais ênfase à importância simbólica dos jogos, essa é que deve permanecer. Com relação à lutas violentas, não tem claro a ver com racionalidade: tem haver em minha percepção com o lado irracional do super humano que por vezes é acionada, e que remonta ao lado primitivo mal trabalhado, aí sim pela educação, mas não a formal, e sim a educação da alma!! Mas somos humanos né? foi tanto marketing que eu também quis ver o Anderson "bater" no Sonnen. ainda temos mesmo que evoluir!!! Mas já evoluímos bastante, se lembrarmos do tempo da arena e dos Leões;;;;; assim caminha a humanidade, melhorando, apesar das mazelas.!!!

  39. George

    27/07/2012 09:47:16

    Três países onde o MMA é mai popular do que no Brasil:EUA: país mais rico e com as melhores universidades do mundo.Canadá: país que muitas vezes aparece com o maior IDH do mundo.Japão: Certamente tem uma das populações mais educadas do mundo.Difícil "comprar" o argumento educacional...

  40. Loko

    27/07/2012 09:33:09

    Sr. Juca Kfuri, primeiramente, Ótimo texto do João Batista Freire.Bem, como vc partilha da mesma convicção do J.B Freire, Digo a vc procurar o conceito de Esporte, depois, pense na questão MMA.Gosto de MMA, mas, para ser esporte olímpico é OUTRA conversa. como vc sabe, tem que ter confederação em todos os continentes e um numero X de praticantes.Loko

  41. Guga

    27/07/2012 09:01:57

    Se a CBF e o COI cuidassem dos esportes como o Dana White cuida do UFC seríamos potência mundial em qualquer esporte. Tal como somos no UFC campeões em todas as modalidades.Comentário e análise infeliz trazendo apenas mais do mesmo, sem levar em conisderação o que já citei...

  42. Bruno de Oliveira Nascimento

    27/07/2012 08:49:33

    Não vejo problema em apresentações bem elaboradas com muita tecnologia empregada, não vejo problema com promoções de eventos bem feitas.O MMA hoje é um fenômeno porque reúne bons atletas (afinal uma pessoa que entende de mais de uma arte marcial é um atleta sim) e pessoas que sabem administrar o espetáculo. Assim como deveria ser com o futebol, que vira e meche os jornalistas esportivos dizem não haver uma organização minima, se o futebol fosse administrado como é um evento como o UFC, concerteza estaríamos hoje em um patamar mais evoluído do esporte. Não teríamos jogo Sábado depois das 21:00, nem um clássico como Vasco e Botafogo quarta-feira. O MMA é o esporte (isso mesmo esporte), que mais cresce no mundo, e se continuar sendo administrado, e executado como está muito em breve irá se tornar o esporte que mais possui adeptos no mundo também.

  43. Renato Khair

    27/07/2012 08:42:24

    Texto inteligente e bem escrito.O esporte virou um grnade negócio.Anunciantes, marketing, grandes contratos e lucros.É a indústria do entretenimento.MMA é o fim da picada. 1 bom retrato desses tempos de burrice generalizada e alienação.Ainda assim, as Olimpíadas são bem vindas e é um grande evento mundial.

  44. Marcos

    27/07/2012 08:40:52

    O que me tranquiliza é que essas pessoas vão passar e o esporte fica... Mas infelizmente a rede do "Plim Plim" está vendendo esse esporte/espetáculo emocionante do MMA para o público brasileiro como a "arena de gladiadores" indo na direção contrária do lugar onde o MMA quer chegar, que é ser um esporte respeitado. E o povão engole... Afinal explicar a "mistura de artes marciais" é muito complexo... mais fácil vender sangue! Aí as pessoas que são contra o MMA têm um prato cheio de munição para o ataque.Se eu já não conhecesse o MMA antes da entrada da Globo, também seria contra... eu não quero a volta da carnificina das arenas de gladiadores. Quero ver um esporte que mostre habilidade e disciplina, tanto física como mental (e sim, o MMA mostra isso para quem quer entender e não apenas assistir).Quanto ao futebol e o Corinthians, ao contrário do escrito pelo Professor Freire, a vitória na Libertadores foi a confirmação do "balcão de negócios" que é o futebol, com uma equipe que é a antítese do futebol, retranqueira e que trabalha para anular e não criar. Entendo a paixão do Professor e a admiro, mas neste caso a paixão tirou o lugar da razão...Ah, e eu gosto de boxe e de futebol...

  45. Alex Paz

    27/07/2012 08:35:03

    MMA e qualquer tipo de violencia fisica de homens (racionais) x homens (racionais), guerra, atentados, boxe (se bater para tirar sangue ou desmaiar o adversario é esporte então a guerra é linda!), enfim qualquer VIOLENCIA DEVE E TEM QUE SER COMBATIDA. Até nos video games é violencia (eu via TOM & JERRY, MR. MAGOO ...) e o mundo vai se tornando cada vez pior: INTOLERANTE, IGNORANTE e MATADOR!

  46. Daniel

    27/07/2012 08:26:49

    Com todo respeito professor, mas o apelo ao mma não está relacionado à nível educacional. Sou estudante de pós-graduação da Usp, curto o evento, e muito frequentemente nas rodas do "bandeijão" o assunto UFC é levantado por meus aficionados colegas, e já o assistimos há muito tempo, muito antes da massificação nacional promovida pela Globo. Conheço até repúblicas de estudantes que assinam o canal Combate. E só para esclarecer eu nunca bringuei na vida, já fiz até trabalho voluntário por anos em um asilo de idosos.

  47. Daniel Choma

    27/07/2012 07:46:30

    MMA, filmes sanguinários com muitas armas, noticiários 'jornalísticos' policialescos e sensacionalistas, novelas estéricas: tudo isso dá grande audiência no mundo todo e supre uma estranha carência que é o gosto pela violência. Há de se estudar melhor porque tantos cidadãos pacatos sentem prazer em assistir a degradação do ser humano (e há gente tranquila que gosta de MMA - apesar de eu achar aquilo ridículo, tenho que admitir). Talvez uma projeção e transferência das angústias do dia a dia? O sujeito toma tanta 'porrada' (do patrão, do irmão, do vizinho, do concorrente, do síndico, no trânsito, na escola...) que talvez ele se projete naquele que está batendo e matando e humilhando, e assim alivie um pouco sua dor. Estranha terapia, mas terapia típica das grandes cidades, que isolaram os indivíduos do convívio presencial, e que só permite a estes o convívio social mediado (por celular, TV, internet etc). O buraco é mais embaixo... tão embaixo que dá até uma fossa. Que o MMA é ridículo, grotesco e tosco, concordo plenamente! É o 'topa tudo por dinheiro' a regra que agora conduz as mídias de massa - e é o lucro o único valor que resta firme em nossa sociedade. Como mudar? Talvez redescobrindo o convívio social, a vida em comunidade, um cotidiano com menos informações, menos TV, menos internet... É possível isto numa cidade com mais de 500 mil habitantes? É mais difícil, mas não impossível. No' salve-se quem puder' que nos rege, não faltam 'espertos' nos oferecendo as bóias da salvação (pesadas de chumbo e sangue). Indignar-se é necessário. E atirar no alvo certo, mais ainda.

  48. Paulo MOreno

    27/07/2012 07:32:20

    SR. Jorge HenriqueBom dia! Saudades da educação, honestidade. sim faltou o Carlos Nuzman,Adrés e Lula

  49. Rogerio Andrade

    27/07/2012 07:31:40

    Concordo plenamente contigo, Hugo. Além de que os lutadores de MMA têm um código de ética onde prevalece o respeito pelo adversário, pela arbitragem e pelas pessoas, bem diferente do futebol, onde as maracutarias e as pilantragens sao constantes e todo mundo acha natural.Nao falta apenas uma analise mais profunda sobre o MMA/UFC. Falta uma analise mais profunda sobre conhecimento de esporte em geral, porque é realmente sofrível ver que um jornalista que se diz do ramo esportivo seja incapaz de escrever um simples artigo sobre os jogos Olimpicos sem ter de citar o famigerado e alienado futebol.Se sobram migalhas para os outros esportes, é principalmente por conta da burrice da mídia esportiva brasileira, que tem preguiça de pensamento e de desenvolvimento, entao é mais fácil falar só de futebol - um esporte atrasado, diga-se de passagem - e ignorar completamente os demais, independente do sucesso que eles podem trazer para o país.

  50. hugo

    27/07/2012 06:29:12

    Quando se critica o MMA em razão da baixa educação da população brasileira, acredito que o autor caia e um reducionismo. O MMA é um fenômeno mundial, inclusive naqueles países em que a educação é considerada de alta qualidade. Acredito que seja necessário uma análise mais aprofundada sobre o tema.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso