Blog do Juca Kfouri

A Azzurra em Auschwitz

Juca Kfouri

Por ROBERTO VIEIRA

O futebol tem dessas coisas.

De vez em quando manda um recado aos meros mortais.

A Eurocopa 2012 já tem sua imagem histórica.

Imagem impressionante.

Capaz de virar Mussolini no túmulo.

A seleção italiana.

Bicampeã mundial sob o fascio.

Itália que cultivou campos de concentração.

Itália que perseguiu judeus, ciganos e intelectuais.

A Itália visita Auschwitz.

O mais terrível campo de extermínio da história.

Campo que semeou as trevas em solo polonês.

Pirlo bota as mãos no bolso.

Balotelli imagina que também estaria ali.

Buffon depositou uma coroa de flores.

Flores verdes, brancas e vermelhas no paredão de fuzilamento.

Os jogadores choraram ao ouvir relatos do sofrimento.

Das crianças, velhos, pais e mães.

Indefesos.

A visita da Itália em Auschwitz não apaga os horrores do fascismo.

Mas servem de memória viva de um tempo.

Envia um recado às novas gerações.

A muito torcedores que desconhecem o passado sombrio da humanidade.

Embandeirados em símbolos neonazistas e neofascistas.

Recado de  um tempo.

Em que campos de futebol conviviam lado a lado.

Com os campos da mais abominável miséria humana…

  1. Valdir T.F.

    07/06/2012 23:23:24

    Eu acredito que o holocausto não foi o único grande crime cometido contra um povo, temos ainda nos dias de hoje crimes sendo cometidos por muitos governantes contra suas populações, na segunda grande guerra, a Alemanha, a Itália e o Japão foram responsáveis tambem por crimes contra outras minorias, como por exemplo os ciganos, e todos deveriam reconhecer e lutar por este reconhecimento para que tais crimes nunca fossem esquecidos.É por estes motivos que apóio os judeus que lutam diariamente para que não se esqueça o holocausto judeu, todos deveriamos lutar pelos outros crimes cometidos e pedir o reconhecimento e formal reconhecimento por parte dos agressores.

  2. João Carlos Agostini

    07/06/2012 15:43:05

    Aqui uma amostra de um (há outros, não relacionados aos judeus) dos usos que se faz do Holocausto: esconder o nazi-fascismo israelense.""O ministro do Interior, Eli Ishai, parabenizou a decisão da Corte [expulsar imigrantes sudadeneses de Israel] e afirmou que "os infiltrados devem ser expulsos para preservar o caráter judaico do Estado de Israel e a realização do sonho sionista". [esta frase lembra algum conceito nazista?]Ishai também declarou que os outros 60 mil imigrantes africanos que se encontram em Israel, principalmente da Eritreia e do Sudão, "devem ser acomodados em barracas no sul do país, até que possam ser repatriados".".Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/06/120607_israel_imigrantes_africa_gf.shtml

  3. João Carlos Agostini

    07/06/2012 10:58:07

    Fábiovc que é inteligente, explique-me, o que Auschwitz e os italianos tem que a ver com Cuba, Stalin e os comunistas? Por que vc acha que um compensa o outro.Ao CássioSó cabe aos ditadores a punição, pois foram eles que violaram a liberdade no nosso país e foram eles que mataram pessoas muito antes de qualquer reação violenta, como é o caso dos terroristas de esquerda. A resposta armada só veio após o AI-5, em 1968. Até então só houve manifestações políticas pacificas.Mesmo que esses terroristas quisessem o socialismo, antes de mais nada queriam a derrota da ditadura, como fizeram as resistência na Europa contra o nazi-fascismo.Toda punição aos ditadores militares no Brasil e aos membros do seu aparato repressor!!! Todo reconhecimento aos que lutaram pela liberdade!!!

  4. João Carlos Agostini

    07/06/2012 10:44:56

    Certo, concordo.Porém, é um fato que qualquer criança e adolescente pode atestar é que o nazi-fascismo só é lembrado pelo holocausto, como se a única ou principal causa do surgimento do nazi-fascismo tenha sido a existência dos judeus.O Holocausto é a imagem do que poderia acontecer à humanidade se os nazi-fascistas vencessem, mas não é a essência desse fenômeno. Mas está se tornando e por motivos políticos, isso é que o pior!!!

  5. Cássio

    07/06/2012 00:24:59

    É que nos dias de hoje ser de esquerda é ser politicamente correto.Veja só aqui no Brasil: só os militares torturaram. Os terroristas, ops, os coitadinhos, nada fizeram de mal, haja vista que eles queriam instaurar no Brasil um regime idêntico ao de Cuba, um país vanguardista no quesito "respeito" aos direitos humanos.

  6. Alemão

    06/06/2012 21:15:39

    É Marcelo, infelizmente a Hipocrisia reina.

  7. Fábio - CRVG

    06/06/2012 20:02:01

    A extrema direita é tão odiosa quanto a extrema esquerda ou qualquer extremo.

  8. Fábio - CRVG

    06/06/2012 19:58:12

    É assim que pensam os árabes. Ainda sentem ódio pelas cruzadas como se tivesse acontecido ontem.Então você deve odiar todos os brancos brasileiros pelas atrocidades cometidas contra os negros e nunca perdoá-los (nos).É o tipo de pensamento que continua alimentando a violência.

  9. Fábio - CRVG

    06/06/2012 19:54:52

    Esqueceu de falar quantos a ditadura comunista de Stalin matou. Quantos Fidel matou?Ah, mas eles são de esquerda, então estão perdoados...

  10. darcio

    06/06/2012 18:05:06

    Porque ?

  11. darcio

    06/06/2012 18:03:16

    e Marine Le Pen candidata do facismo francês conquistou votação expressiva nas últimas eleições, a humanidade não mudou muito, os europeus não são tão bons assim

  12. alex fernandes

    06/06/2012 17:36:04

    Olá juca,nós dois temos uma coisa em comun,somos dois verdadeiros admiradores da grande seleção de 1982 na espanha,mais vc não acha que mestre saudoso tele errou em não levar a experiencia de raul e leão e insistiu com waldir peres,e ainda mais no caso com chulapa,onde o mestre deixou roberto dinamite assintindo o jogo na arquibancada do sarriá,e com que dor o bob deve ter visto o nosso grande chulapa entrando na frente perdendo o gol feito diante de zoff e ainda sair rindo da jogada,foi cruel,chulapa no segundo jogo já era um peixe fora d Agua,repare que no 3 gol do brasil feito por eder ele nem vai comemorar com os companheiros,já constrangido com suas apresentações contra URSS e contra propria escócia,ai eu pergunto quando esse pessoal do jogo retranca questiona porque aquela seleção não ganhou,vcs deveriam falar,vcs da MIDIA JORNALISTICA que não ganhamos por causa do chulapa que só fez com perdão da palavra M,naquela copa,e o bob na arquibancada heim,detalhe sou Americano,sofredor como seu amigo o grande José trajano,espero sua resposta caro Juca,pois sou seu admirador.

  13. Leandro Teodosio

    06/06/2012 17:34:23

    Lembrar destes fatos é manter a chama da liberdade viva e não esquecer do que a capacidade humana é capaz. Engenharias sociais que dizimam e escravizam a humanidade.Mas seria interessante que os jogadores russos também homenageassem as vítimas do regime comunista na Ucrânia, dizimados pela fome e miséria, no que hoje é conhecido como o Genocídio de Holodomor. Ainda decorrente do auspício benevolente de Stálin a Rússia poderia render pesares aos poloneses, num dos episódios mais infames e covardes acontecido na mesma 2ª Grande Guerra, como o Massacre de Katyn.

  14. Corinthiano Master

    06/06/2012 17:30:09

    Estive nesse campo de concentração, visitei algumas camaras de gás e afirmo, foi uma experiência terrivel mesmo hoje em dia, 70 anos depois...Em uma Guerra não existem inocentes, nem culpados, os Americanos também tinham lá seus campos de concentração, os Russos então, nem se fala....E pra mim Italianos, Japoneses e Alemães, nem que passem mil anos, continuarão sendo culpados.

  15. Vicente Aurtenetxe De Paula Nunes

    06/06/2012 17:27:55

    O fato da Itália atravessar grave crise política e econômica após 1918 não dá a uma determinda classe social ou política, o direito de perseguir uma minoria ou grupo oposto. Fica muito fácil acusar um determinado grupo étnico ou religioso pelos problemas que castigam a nação. Nenhum revisionista do mundo vai conseguir livrar a cara do Mussollini. Um exemplo oposto, quando Franco decidiu que era hora de tentar exterminar catalães e bascos, ele simplesmente lançou sobre os espanhóis, o ódio, o mal que estes dois povos faziam com a Espanha. Porém, nem catalães tampouco os bascos tinham culpa de serem regiões com alto poder industrial e o resto da Espanha, um atraso total. Como os alemães fizeram com os judeus, tachando-os de inimigos da nação ariana, chegando ao ponto de criar filmes tendo como temática, o lema que judeus eram porcos imundos e arruinavam a economia. Mussollini fez a mesma coisa na Itália. Revisionistas cretinos tentam suavizar a gestão de Mussollini, dizendo que o regime fasci era humano e não ocorrera aos judeus o mesmo tipo de flagelo que a Alemanha lhes impôs. Prefiro lembrar o episódio da morte de Mussollini, a forma como ela ocorreu, com requintes medievais. Esse ódio contra Benito, não foi gratuito. Será que os fasci eram maleáveis com os judeus na hora de exterminá-los? O conflito na Cisjordânia/Gaza/Golã não serve como parâmetro algum para justificar ações contra judeus em qualquer período da história. Por mais que fiquemos indignados - e é nosso dever realmente ficarmos absortos com as imagens que são mostradas na Palestina - não podemos jamais sermos levianos de comparar estes dois conflitos. O que devemos fazer é termos mais de uma fonte na hora de nós criarmos um conceito deste conflito árabe-israelense. Sabemos dos interesses de algumas corporações de mídia quando suavizam pelos lados de Israel, é claro que isso é percebido. Só que do outro lado, também há muita gente doente pregando a extinção de Israel. Tá, podemos pensar que Israel é um estado artificial, criado para fins estritamente estratégicos e logísticos - espero que ninguém hoje, acredite que a ONU tenha se inflamado de compaixão e humanidade e ratificado Israel por causa dos horrores da II Guerra. Só que isso não nos dá o dever e tampouco o direito de tomarmos decisões movidas por sentimentos antissemitas. Há muita gente na sociedade israelense que prega a paz, luta pela pacificação da região.

  16. Adriano dos Santos

    06/06/2012 17:24:34

    Texto interessante. Pena que nunca vi um texto, muito menos um ato no mínimo de respeito de uma seleção portuguesa e, principalmente, espanhola quando estiveram em jogos na América. Falamos tanto nos nazistas e em suas atrocidades, mas esquecemos que os seis milhões mortos na II Guerra (além dos covardemente mortos nos campos de concentração, os soldados também estão neste número) representam um número pequeno perto do massacre ibérico nas Américas. Nunca ouvi, nunca vi e nunca li, nestes 200 anos de independência da América Latina, qualquer presidente, rei ou autoridade espanhola ou portuguesa pedir no mínimo desculpas por terem matado covardemente (jogando muito pra baixo) 30 milhões de seres humanos sob o mesmo argumento de Hitler. Gostaria de ver ao menos um pouco deste clamor ao holocausto em relação ao massacre humano realizado pelo países ibéricos, cujos conquistadores tinham como diversão, como consta em vários relatos por exemplo, disputar para ver qual homem decepava mais cabeças de crianças indígenas com um só golpe de espada.

  17. Thay

    06/06/2012 16:54:08

    ah claro, "estamos em crise socioeconomica" vamos prender e matar...claro, exatamente o que acontece hoje, a europa esta em crise e ja construiram campos de concentração...

  18. Marcos Paulo

    06/06/2012 16:52:16

    Acho importante ressuscitar tal tempo, aproveitando o futebol, para pulverizar, de vez, com a idéia ainda hoje compartilhada na europa, através do próprio futebol, do racismo. E não acontece somente com torcedores da Lazio. Constantes manifestações que vão da Ucrânia até nossos irmãos portugueses. Na Espanha, vê-se costumeiramente essa afronta.

  19. Vicente Aurtenetxe De Paula Nunes

    06/06/2012 16:50:11

    Louvável as linhas escritas e que trazem a visita da Itália a Auschwitz. Porém, no segundo seguinte em que analisamos a situação, a visita perde credibilidade quando cita o goleiro Buffon depositando flores no local. O goleiro da Juventus é um grande entusiasta do fascismo e até que me provem o contrário (se conseguirem, claro) esta ideologia ajudou a mergulhar o continente europeu no abismo. Buffon inclusive, não esconde isso, sendo amigo de radicais ultras dos Drughi e dos Viking (ultras de direita da Juventus), aqueles mesmos que fizeram sons de macaco em vários jogos da liga italiana, nesta última temporada. Buffon defende esta gente e, por tabela, defende este tipo de ideologia, a mesma que Berlusconi, Bossi e Fini seguem, a secessão da República da Padânia do restante do país. Louvável a atitude, mas para mim, pela presença do neofasci Buffon, perdeu o sentido. Sou neto de bascos e parte da minha família foi dizimada durante a Guerra Civil na Espanha pelo regime franquista. E Franco pediu ajuda da Alemanha e da Itália, que fizeram do solo espanhol, laboratório para suas experiências bélicas preparando o mundo para o estouro do conflito em 1939. A visita da delegação alemã, esta sim, é relevante porque a Alemanha tem lutado como nunca para impedir a ação de grupos neonazistas. Qualquer atitude racista nos estádios alemães é punida de forma exemplar. A invasão da Polônia, em setembro de 1939, é um dos episódios mais sangrentos e tristes de toda a história da humanidade. Logo, alemães a visitar o campo de concentração provoca os mais diversos sentimentos e não há como ficar imune a isso. A ferida é grande, é uma cicatriz que jamais se fechará totalmente. O que me deixa profundamente chateado, são alguns fundamentalistas (minoria) que graças a certas ações visando apenas o interesse individual, provoca generalização no pensamento das pessoas. Há sim, uma indústria do Holocausto, cuja fonte é permanentemente sugada por uma minoria. Assim como alguns radicais boçais que ficam instigando o confronto entre bascos e espanhóis. Até hoje, eu não perdoei (no meu íntimo) a Espanha pela perseguição ao meu povo ao longo do século XX. Creio ser complicado esperar que os judeus perdoem os alemães e demais nações que fizeram parte do Eixo, pelas atrocidades da II Guerra.

  20. Rodrigo

    06/06/2012 16:28:55

    Não sei se é verdade,mas nao me surpreenderia.Por que Getulio seria contrario ao Nazismo e ao Fascismo se aqui viviamos uma ditadura, não tão sanguinária e preconceituosa, mas ainda sim um mesmo modelo de "controle de poder"Sem esquecer é claro do maldito comunismo, que matou muito ( e por incrivel que pareça ainda mata) mais gente que o Nazismo e o Fascismo.

  21. Celso

    06/06/2012 16:25:24

    Uai! Não tem gente que diz que o holocausto não existiu e que veio ao Brasil e voltará no Rio +20 e que é recebido com honras de Estado. Não existem brasileiros que negam o holocausto afirmando que foi um golpe dos judeus. Não nos esqueçamos que o pai de povo o ex-presidente Getúlio Vargas era adepto do nazifascismo e Olga Benário que o diga. Paremos de hipocrisia. Será que os jogadores italianos não sabiam que seu país auxiliou nesta tragédia.

  22. Daniel Barros

    06/06/2012 16:21:09

    O mundo é outro, a vida é outra. Não podemos ficar transferindo para as pessoas de hje responsabilidades e respostas que eles não terão. Viva a itáli tetra campeã mundial 1934-1938-1982-2006. A Itália vice em 1970-1994 a itália de Zoff, Zenga, Paolo Rossi, Gentile, Baresi, e tantos outros grandes campeões que não precisam responder o que ninguém responderá.

  23. Adamantina

    06/06/2012 16:16:11

    Texto ridículo, horrível, extemporâneo e fora de propósito.

  24. R.XAVEZ

    06/06/2012 16:15:39

    Isso é só questão de poder; os judeus hoje descontam no povo palestino tudo que fizeram com eles na segunda guerra e com quase aprovação do mundo todo. Quase todo dia um palestino seja que idade for, é morto por soldados israelenses.

  25. Alexandre Valle

    06/06/2012 16:07:32

    Os campos de extermínio de pessoas, independentes de sua etnia e religião, são e foram a pior vergonha da raça humana. Infelizmente muitas pessoas se esque-ceram dessa lição. Veja os acontecimentos recentes na antiga Iugoslávia e na África. Também os europeus se esqueçeram disto, eles que sofreram em seu ter-ritório os horrores da Segunda Guerra Mundial (relembre os casos recentes deracismo na Europa).

  26. Silvano César

    06/06/2012 16:05:45

    Prezado Zé das freguesas Docas - desde 1912 - cresça, apareça e ganhe mais. Senão, descabele-se contra o suposto sistema (sic), contra a emissora, contra o prefeito, governador, cachorro do vizinho, papagaio da vizinha, como estás fazendo. Simples assim, de novo!

  27. Marcos Calciolari

    06/06/2012 16:01:31

    Sinceramente, alguns cometários vexatórios em relação a xenofobia contra A ou B, é triste presenciar que nos dias de hoje ainda tem elementos que pensam desta maneira. Juca uma ótima relação entre o esporte X Nazismo e a triste realidade do racismo existente dentro dos campos, princpalmente dentro da propria Polonia, russia, Ucrania e arredores... Para ver que o "problema do antissemitismo demora décadas para ser resolvida, e ainda sim, sem sucesso...

  28. Thelonious

    06/06/2012 15:58:35

    Que legal! Por essas ainda resta uma remota esperança de que o esporte possa cumprir a sua missão, que é a de fazer o ser humano melhor.Ao mesmo tempo, ler comentários de acéfalos fanáticos - no caso, contra o Corinthians - repletos de ódio e rancor, com visões deturpadas de que um time possa ser o mal de todos os males...nos trazem de volta a triste realidade da estupidez humana em que vivemos.Mas eu continuo acreditando, não sei porquê!

  29. Marcelo Lodi

    06/06/2012 15:56:26

    Alemão, complexo e competente seu comentário. Pouquíssimos entenderão, mas é uam grande realidade: a discriminação existe em toda e qualquer camada da sociedade. Sou descendente de italiano com índio e teria direito a cota na universidade por exemplo, assim como meu irmão (nossa avó era índia) mas não temos nenhum traço indígena (meu irmão tem até olhos claros) e fomos muito discriminado, humilhados e agredidos nas escolas em que estudamos, por sermos "branquelos aguados"abraços

  30. Gustavo

    06/06/2012 15:54:58

    Que bobagem... os alemães eram inocentes? Basta pesquisar quantos intelectuais, cientistas, universidades, etc, alemães que apoiaram o Hitler, que, para ficar claro, progrediu muito devido à humilhação imposta pelos franceses após a primeira guerra. Para o Carlos, bobagem também. Vá pesquisar quantas crianças o exército de Israel matou nos últimos 10 anos. Será "cobrança"?

  31. Thelonious

    06/06/2012 15:49:17

    Evaristo, ódio é diametralmente diferente de discordância, ou mesmo gosto por outro time.Quem tem um coração repleto de ódio, como aquele maldito texto, apodrece, definhaSou Corinthiano, com muita honra e orgulho, mas não desejo a aniquilação dos outros times, convivo numa boa, mesmo discordando em tudo ou quase tudo, e quem não consegue isso, não está preparado para viver em sociedade. Uma pena.

  32. Zé das Docas

    06/06/2012 15:40:14

    Estimado Silvano, estou falando apenas de cotas de TV, proporcionadas pela Rede Goebbels de Televisão. Você acha justo o Flamengo ganhar mais dinheiro do que o seu time, que foi o campeão do ano passado? O correto não seria privilegiar o mérito esportivo? Veja como é a distribuição de cotas da Premiere League.

  33. Zé das Docas

    06/06/2012 15:32:14

    Prezado José Henrique, e eu vou lhe presentear com algum livro que ajude na interpretação de textos. Onde você leu eu pregando a eliminação do seu time? Ainda mais um time que ma dá tanta alegria. Você realmente concorda com o fato de a audiência ser o único mérito para a obtenção de dinheiro da TV? O que você quer mesmo é que existam apenas o seu time e vários Almerias e Getafes da vida, não é mesmo? Mas tire o seu cavalinho da chuva porque a Vila Belmiro não pára de produzir craques que acabam jogando por terra a diferença econômica turbinada pela Rede Goebbels de Televisão, aquela que adora falar que existem 30 milhões de smallianos. Por favor, me prove que existe uma única pesquisa que comprove esses 30 milhões. Aí eu venho aqui e escrevo "eu errei". Atenciosamente.

  34. Cidinha

    06/06/2012 15:31:03

    Sou palmeirense, casada com corinthiano, moro com meu sogro, corinthiano roxo. Meu marido e seus familiares são pessoas trabalhadoras e decentes; me senti insultada pelo artigo daquele demente. Sempre gostei do Santos, pois nossos adversários principais são o Sâo Paulo e o Corinthians. Depois disso o Santos para mim é lixo.

  35. Paulo Lopes da Silva

    06/06/2012 15:30:07

    Conheço o livro. Um erro não justifica o outro. É como não incriminar um estrupador só porque a vítima é uma prostituta ou pelo fato da mulher estar vestida com roupas "insinuantes".Lamentável essa postura que chega a ser nazifascista.

  36. Zé das Docas

    06/06/2012 15:21:54

    Eu não preciso. Meu avô morreu em Dachau.

  37. Ernesto de Minas

    06/06/2012 15:18:56

    Aquilo é crime de xenofobia.

  38. Alberto

    06/06/2012 15:16:55

    Belo comentário, Tarso. Concordo em genero, número e grau.

  39. José Henrique

    06/06/2012 15:16:12

    Respondendo ao Evaristo e ao Zé das Docas, pelas suas preferências de leitura de "jornalismo" esportivo, esse texto do Roberto Vieira, caiu como uma luva, e a carapuça se ainda não entrou na cabeça, favor dar uma forçadinha que entra.:Que tal construirem um campo de concentração, e promoverem nos tempos modernos a "limpeza" etnica que tanto sonham, eliminando os corinthianos da face da terra?

  40. Alberto

    06/06/2012 15:13:34

    Que comentário lamentável, meu caro. O fato de existir uma suposta "industria do holocausto" não invalida a real existencia dele e o horror que toda a humanidade deve sentir pelo fato dele ter existido. Em tempo, não sou judeu.

  41. Luis

    06/06/2012 15:11:59

    Isso não muda o fato que o holocausto aconteceu. Não se pode negar ou esquecer porque alguns fazem um uso politico do mesmo.

  42. Osmar Maurilio

    06/06/2012 15:10:40

    Parabens "ene" vezes Sr. Juca,não pelo texto,maravilhoso como sempre,mas mais pela OPORTUNIDADE da manifestação!Parabens!!!!

  43. jussara

    06/06/2012 15:10:30

    Um tempo que precisa ser lembrado para evitar o seu renascimento. Renascimento que se faz presente em ações de parte considerável de torcedores no velho continente com seu racismo obsceno mostrado em campos de futebol. Assim é que se começa uma caminhada triste e trevosa, que pode desaguar em atos de barbarismo.

  44. tropeiro

    06/06/2012 15:10:12

    não entendi sua mensagem...

  45. Silvano César

    06/06/2012 15:08:06

    Zé, choro por antecipação é chororô, eu acho que tudo será pago em relação ao mega estádio Corinthiano, você acha que não, mas eu não te chamo de idiota por isso. Senão pagar, você reclama, por enquanto, é só chororô pendendo pra inveja....e mais, quanto a TV e demais patrocínios e contratos, proporcione maior audiência e ganharás mais, simples assim.

  46. Rodr1go

    06/06/2012 15:06:09

    É tão triste presenciarmos que mesmo "evoluindo", mesmo constatando que essas guerras e maus tratos aos nosso iguais foram erros imperdoáveis, ainda assim nos deparamos com novas gerações que abraçam essas posturas inflexíveis, dotadas de preconceito e imbecilidade. O que faz um ser humano se achar superior ao outro se não um ambiente dotado de lepra intelectual? A maior esperança que tenho e um dos maios profundos sonhos, em meu coração, é que possamos dar prosseguimento a história de forma que cada vez menos tenhamos contatos com "pessoas" que abracem causas neofascistas e que cada vez mais se torne evidente o quanto desprezível essas idéias são. O único futuro para ideias extremistas é a morte.

  47. Zé das Docas

    06/06/2012 14:53:04

    Thiago, sou santista e acho que o texto do Odir passou dos limites ao adjetivar negativamente aspectos dos torcedores do corinthians e ao generalizar esses aspectos, pois tenho amigos corintianos e não os vejo como os descritos nos textos. Mas não se pode negar que ao dar mais dinheiro a dois clubes analisando aspectos que não são esportivos a TV que manda no Brasil levará a uma espanholização do futebol brasileiro. E chamo de espanholização o fato de haver apenas Real e Barça por lá. A Espanha é um país no qual o Atlético de Madrid, o La Coruña, o Valência, o Villareal e outros já foram grandes e hoje vivem das esmolas dos 2 Grandes. Isso é justo? Não seria justo, no Brasil, que quem ganhasse mais da TV fosse o campeão do Brasileirão? É claro que o audiência é importante, mas isso não deveria ser, por exemplo, apenas 40% do dinheiro da TV? Mudando de assunto, porque poucos corintianos reclamaram da absurda doação de dinheiro público para que o seu time tenha um estádio? Ou você acha mesmo que esse recurso será ressarcido aos cofres públicos pelo clube? Porque o Palmeiras, por exemplo, não teve esse benefício em seu novo estádio?? Além disso, gostaria de ver onde estão as pesquisas que falam de 30 milhões de torcedores do corinthians? A média corintiana é de 12% a 14% do total de torcedores. Se nosso país tem 190 milhões de habitantes e as pesquisas mostram que 40 milhões nem ligam para futebol, como é que 14% de 150 milhões daria 30 milhões? Além disso, simpatizante não é torcedor. Porque, por exemplo, não usar a Timemania, que está persente em 62% das cidades brasileiras, que mostra que o seu time teria, no máximo, 22 milhões de torcedores? Sabe porque? Por que a vocês, a mentira lhes cai bem. PorSobre o post, pra mim, foi mais significativa a ida da Alemanha ao campo de Auschwittz, afinal foram os alemães que construíram.

  48. Enio Souza

    06/06/2012 14:52:15

    Pesquisem no Google o termo "industria do holocausto". Depois vocês voltam a falar do holocausto com outro embasamento

  49. nilton breinis

    06/06/2012 14:41:03

    juca , e por isso que respeito muito a sua pessoa , temos sempre que revisitar a historia , para nao cometermos os mesmos erros . valeu muito temos que usar o esporte para ensinar as novas geracoes .parabens a voce e principalmente a selecao italiana .

  50. Marcos Amorim

    06/06/2012 14:36:23

    O legal é que o Roberto Vieira não é só escritor, mas também é blogueiro!!! Os textos que vem aqui pro Juca são publicados também no seu blog, QUE É riquissimo por sinal!!!VEEEEEEEEEEEEM, GENTE! http://robertoblogdo.blogspot.com.br/

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso