Blog do Juca Kfouri

Era o que tínhamos a dizer…

Juca Kfouri

POR DRAUZIO VARELLA*

Intolerância religiosa

O fervor religioso é uma arma assustadora, disposta a disparar contra os que pensam de modo diverso

SOU ATEU e mereço o mesmo respeito que tenho pelos religiosos.

A humanidade inteira segue uma religião ou crê em algum ser ou fenômeno transcendental que dê sentido à existência. Os que não sentem necessidade de teorias para explicar a que viemos e para onde iremos são tão poucos que parecem extraterrestres.

Dono de um cérebro com capacidade de processamento de dados incomparável na escala animal, ao que tudo indica só o homem faz conjecturas sobre o destino depois da morte. A possibilidade de que a última batida do coração decrete o fim do espetáculo é aterradora. Do medo e do inconformismo gerado por ela, nasce a tendência a acreditar que somos eternos, caso único entre os seres vivos.

Todos os povos que deixaram registros manifestaram a crença de que sobreviveriam à decomposição de seus corpos. Para atender esse desejo, o imaginário humano criou uma infinidade de deuses e paraísos celestiais. Jamais faltaram, entretanto, mulheres e homens avessos a interferências mágicas em assuntos terrenos. Perseguidos e assassinados no passado, para eles a vida eterna não faz sentido.

Não se trata de opção ideológica: o ateu não acredita simplesmente porque não consegue. O mesmo mecanismo intelectual que leva alguém a crer leva outro a desacreditar.

Os religiosos que têm dificuldade para entender como alguém pode discordar de sua cosmovisão devem pensar que eles também são ateus quando confrontados com crenças alheias.

Que sentido tem para um protestante a reverência que o hindu faz diante da estátua de uma vaca dourada? Ou a oração do muçulmano voltado para Meca? Ou o espírita que afirma ser a reencarnação de Alexandre, o Grande? Para hindus, muçulmanos e espíritas esse cristão não seria ateu?

Na realidade, a religião do próximo não passa de um amontoado de falsidades e superstições. Não é o que pensa o evangélico na encruzilhada quando vê as velas e o galo preto? Ou o judeu quando encontra um católico ajoelhado aos pés da virgem imaculada que teria dado à luz ao filho do Senhor? Ou o politeísta ao ouvir que não há milhares, mas um único Deus?

Quantas tragédias foram desencadeadas pela intolerância dos que não admitem princípios religiosos diferentes dos seus? Quantos acusados de hereges ou infiéis perderam a vida?

O ateu desperta a ira dos fanáticos, porque aceitá-lo como ser pensante obriga-os a questionar suas próprias convicções. Não é outra a razão que os fez apropriar-se indevidamente das melhores qualidades humanas e atribuir as demais às tentações do Diabo. Generosidade, solidariedade, compaixão e amor ao próximo constituem reserva de mercado dos tementes a Deus, embora em nome Dele sejam cometidas as piores atrocidades.

Os pastores milagreiros da TV que tomam dinheiro dos pobres são tolerados porque o fazem em nome de Cristo. O menino que explode com a bomba no supermercado desperta admiração entre seus pares porque obedeceria aos desígnios do Profeta. Fossem ateus, seriam considerados mensageiros de Satanás.

Ajudamos um estranho caído na rua, damos gorjetas em restaurantes aos quais nunca voltaremos e fazemos doações para crianças desconhecidas, não para agradar a Deus, mas porque cooperação mútua e altruísmo recíproco fazem parte do repertório comportamental não apenas do homem, mas de gorilas, hienas, leoas, formigas e muitos outros, como demonstraram os etologistas.

O fervor religioso é uma arma assustadora, sempre disposta a disparar contra os que pensam de modo diverso. Em vez de unir, ele divide a sociedade -quando não semeia o ódio que leva às perseguições e aos massacres.

Para o crente, os ateus são desprezíveis, desprovidos de princípios morais, materialistas, incapazes de um gesto de compaixão, preconceito que explica por que tantos fingem crer no que julgam absurdo.

Fui educado para respeitar as crenças de todos, por mais bizarras que a mim pareçam. Se a religião ajuda uma pessoa a enfrentar suas contradições existenciais, seja bem-vinda, desde que não a torne intolerante, autoritária ou violenta.

Quanto aos religiosos, leitor, não os considero iluminados nem crédulos, superiores ou inferiores, os anos me ensinaram a julgar os homens por suas ações, não pelas convicções que apregoam.

*Publicado hoje na “Folha de S.Pauo” e excepcionalmente aqui reproduzido.

  1. diêgo

    12/11/2012 14:24:21

    Todo mundo que conhece Einstein, sabe que ele foi contraditório em boa fase da sua vida, em tal fase ele acreditava em algo, no deus de espinoza, a crença do panteísmo, acreditava em um "deus" que seria mais uma energia sem consciência e razão alguma, apenas uma força bruta do universo. E para concluir, o que se deve levar em conta, é a sua crença já nos seus últimos anos de vida, no qual existe a famosa carta em que einstein apregoa sua descrença em deus e religiões, carta inclusive que foi a leilão, e mudaria toda sua biografia, trazendo a tona e a midia, seu lado ateísta ou agnóstico. Não adianta pegar uma frase de einstein de quando ele era mais jovem e dizer que ele morreu com o mesmo pensamento

  2. Timóteo

    22/08/2012 10:23:16

    Bom dia. Saibam, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes. Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões, que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade. E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés, também estes resistem à verdade. São homens de todo corrompidos na mente, réprobos quanto à fé; eles, todavia, não irão avante; porque a sua insensatez será a todos evidente, como também aconteceu com a daqueles.Obrigado.

  3. Oriana

    23/05/2012 11:34:56

    Jamille, sexo drogas, prostituição e o que você chama de bandidagem surgiram antes mesmo de qualquer religião, errar é algo intrínsecos ao nosso ser. Mas nosso mundo não está "piorando". olhe em volta. Cada vez mais os direitos humanos são comum a todos. Cada vez mais condenamos comportamentos e práticas ditas "más". Cada vez mais a reciprocidade é um valor necessário na nossa sociedade, e isso acontece pois o homem foi capaz de abster-se de dogmas e verdades incontestáveis e passar a questionar a própria noção do certo e errado. Não podemos ser preconceituosos nem crer que nossa verdade é a única, pois cada indivíduo é um universo completamente diferente. O respeito mútuo deve ser a qualidade mais respeitada, pois sem ela não chegaríamos a lugar algum. E uma pequena curiosidade... porque "Deus" destruiria algo tão belo e incrível como o amor apenas porque juntamente a ele existe a raiva? Se ELE nos dotou de livre arbítrio, por que não fazermos uso dele? O que importa é que nos tentemos dar o nosso máximo para que nossa sociedade prospere.

  4. Alec Loving

    15/05/2012 18:47:15

    um grande agradecimento pelo texto. Ja partilhei.

  5. Cris

    08/05/2012 11:54:52

    Bom, se você me perguntasse, garanto que não haveria engasgo nenhum, assim como a muitos outros ateus que conheço. Eu não acredito em Deus pelo mesmo motivo que não acredito em aliens, em fada do dente, duendes, etc... Pelo simples motivo de que não há nenhuma forte evidência, não há fatos e nem provas dignas dessa credibilidade até agora. E digo até agora, pois não me coloco nessa condição fanática tão característica de muitos religiosos de refutar por refutar... Afinal, o intelecto é para ser usado.

  6. Jamille

    07/05/2012 16:52:10

    Compartilho da idéia de que cada um faz sua escolha de crença, o tal do livre arbítrio. O que nós, cristãos, temos de fazer é orar pro Espírito Santo de Deus tocar na vida destas pessoas... porque quem convence não somos nós, ou simples palavras postadas pela internet. Quem convence é o Espírito Santo de Deus, É UMA EXPERIÊNCIA PESSOAL e instransferível.O mundo sem Jesus está esse caso que está hoje: sexo, drogas, prostituição, bandidagem... coisas que tem que acontecer para que se achegue o fim dos tempos, e a volta do Filho do Homem! Aleluia!

  7. Rafael

    05/05/2012 17:22:11

    Hugo...Nasci em uma tribo indigena no meio da Amazônia, e nunca tive contato com a igreja católica, apenas e tão somente com os costumes e creenças locais. Também não fui instruido a deixar a minha tribo, não é algo comum aos meus semelhantes. Portanto não conheço Deus, Jesus Cristo ou a igreja católica... então me responda, não sou digno da miseriórdia do seu Deus quando morrer?

  8. Rafael

    05/05/2012 13:22:42

    André...Tenha uma ótima noite de sono (na qual vc não lembra dos seus sonhos)... vc já pensou que o sono eterno pode ser isso e não ir a lugar algum... just finish.Carpe diem my friend

  9. Rafael

    05/05/2012 13:18:45

    concordo++Mas é exatamente disso que o texto trata, do direito que cada um tem de creer ou não, e ainda assim não ser tratado como um monstro ou filho do Demo

  10. Garcia

    01/05/2012 23:05:09

    Luiz.Argumentar a ideia de um criador (deus) pela complexidade do homem/natureza/universo é tão simplório e antigo quanto o tentar encontrá-lo nos fenômenos ainda não explicados, o famoso deus das lacunas.Será que deus, o criador de tudo, não deveria ser muito mais complexo do que sua(s) criação(ões)? Para ser "onisciênte, onipotente e onipresente" deve realmente ser de uma complexidade além de nossa compreensão. Mesmo sendo assim você o considera "surgido do nada"?Seguindo então seu raciocínio, (a complexidade não deriva do acaso, do nada) algo deve ter criado este deus, possivelmente um deus mais complexo ainda e, assim sucessivamente, um deus criando o outro.Ps. Acaso em ciencias significa falta de controle sofre efeitos causais, ou seja, são tantos efeitos causais para que algo ocorra que não temos como prever ou rever a todos.

  11. Daniel

    01/05/2012 22:00:08

    Não exatamente. É como tentar convencer que eu posso torcer pra outro time, sem que você decida me bater por causa disso.

  12. Renato Zupo

    01/05/2012 16:14:44

    Amigo.O texto não diz que não existe Deus. Leia corretamente. Ele defende o direito das pessoas não acreditarem Nele.

  13. Mateus Carneiro

    30/04/2012 12:17:48

    E me responda, que diferença faz a existencia desse seu Deus? Ok, esse algo foi o fundamento de tudo... e pra que ele se importaria com oque eu faço? com a culpa que eu guardo? pra que ele se alimentaria da minha adoração? A questão é essa... esse Deus não serve pra nada... se ele existe apenas para justificar a existencia, agora que a existencia em si existe, que diferença Deus faz?

  14. Mateus Carneiro

    30/04/2012 12:10:27

    Ok, então se tudo é tão obvio, e se é TÃO verdade eu acreditando ou não continuo minha vida sem acreditar, ta bom? Afinal se é só um sonho de nano segundo na eternidade pra que raios passarei essa vida sob o calvario da culpa? sob o medo do karma? se é tudo tão enorme e gigantesco, porque raios esse universo se importa com o que eu faço? Posso acordar desse pequeno sonho sabendo que foi um sonho feliz... que trabalhei como quis trabalhar, que amei as pessoas com quem vivi, que mandei a merda quem quis me ferrar, que ganhei reconhecimento no que fiz e tive o prazer que quis ter...e se por um momento esse sonho quizer acabar, se eu estiver com a saude comprometida entregarei sim minha vida na mao de pessoas competentes, acreditem ela em Deus, no capeta, no Vishna ou no buda que quizerem (ou inclusive nao acreditem em nada), peço delas apenas o profissionalismo, e não suas crenças e supertições.

  15. Mateus Carneiro

    30/04/2012 11:59:17

    luiz, o embate entre ciencia e religião é coisa da cabeça das pessoas, enem é oque o texto discute, mas o fato de Gauss ser ou não religioso não muda nada o fato de ele ter feito um perfeito esquema de calculo do campo elétrico, assim como Einstein concebeu a teoria da relatividade sendo teísta Newton passou mais tempo de sua vida discutindo deus que discutindo o calculo que ele criou.Eu sou um cientista e sou ateu, a minha não crença não afeta em nada a minha pesquisa, assim como tenho companheiro de grupo que são evangelicos ou apenas cristãos ou simplesmente teistas, e isso não afeta em nada a pesquisa deles... Porque sou ateu? simplesmente porque Deus não existe, não tenho motivo algum pra acreditar nisso, não preciso desse conforto, sei que o mundo é como é e não preciso me sentir especial para poder enfrenta-lo, não é facil ser ateu. Não acho que eu tenha motivo pra existir, assim como voce, assim como aquela pedra ali no canto ou a arvore la fora, como disse não preciso me sentir especial pra viver.

  16. flaviomp

    29/04/2012 10:40:20

    O motivo da existencia ninguem sabe, embora alguns pensem saber... mas eu sou ateu e tenho certeza de uma coisa> o motivo da minha existencia nao está na biblia e nem em nenhum outro livro idiota q alguns homens criaram para manipular as massas... acreditar em deus pq a biblia dizz ou qualquer outra divindade pq qualquer outro livro diz é o mesmo q acreditar em Harry Potter ou em Frodo e Terra Media pq estao numlivro, ou acreditar em Dart Vader pw esta num filme

  17. luiz

    28/04/2012 20:45:49

    ALBERT EINSTEIN- A opinião comum de que sou ateu repousa sobre grave erro. Quem a pretende deduzir de minhas teorias científicas não as entendeu. Creio em um Deus pessoal e posso dizer que, nunca, em minha vida, cedi a uma ideologia atéia. Não há oposição entre a ciência e a religião. Apenas há cientistas atrasados, que professam idéias que datam de 1880. ALESSANDRO VOLTA- Submeti a um estudo profundo as verdades fundamentais da fé, e […] desse modo encontrei eloqüentes testemunhos que tornam a religião acreditável a quem use apenas a sua razão". ANDRÉ MARIE AMPERE- A mais persuasiva demonstração da existência de Deus depreende-se da evidente harmonia daqueles meios que asseguram a ordem do universo e pelos quais os seres vivos encontram no seu organismo tudo aquilo de que precisam para a sua subsistência, a sua reprodução e o desenvolvimento das suas virtualidades físicas e espirituais". CARL FRIEDRICH GAUSS"Quando tocar a nossa última hora, teremos a indizível alegria de ver Aquele que em nosso trabalho apenas pudemos pressentir". ERNEST WERNER VON SIEMENS- Quanto mais fundo penetramos na harmoniosa dinâmica da natureza, tanto mais nos sentimos inspirados a uma atitude de modéstia e humildade […] e tanto mais se eleva a nossa admiração pela infinita Sabedoria, que penetra todas as criaturas". GUGLIELMO MARCONI- Declaro com ufania que sou homem de fé. Creio no poder da oração. Creio nisto não só como fiel cristão, mas também como Cientista". ISAAC NEWTON- A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isso fica sendo a minha última e mais elevada descoberta". James Prescott Joule - "Nós topamos com uma grande variedade de fenômenos que […] em linguagem inequívoca falam da sabedoria e da bendita mão do Grande Mestre das obras". JHONN FLEMING- A grande quantidade de descobertas modernas destruiu por completo o antigo materialismo. O universo apresenta-se hoje ao nosso olhar como um pensamento. Ora, o pensamento supõe a existência de um Pensador". THOMAS EDISON- Tenho […] enorme respeito e a mais elevada admiração por todos os engenheiros, especialmente pelo maior deles : Deus". São esses os maiores cientirtas da história da humanidade, se fosse pra acreditar em ciência ou em homens com certeza estaria compartinhando a teoria destes e não a de um ateu que não sabe nem pq é ateu, pergunte a um ateu o pq de ele ser ateu e ele vai responder que é pq não acredita em Deus, então pergunte pq ele não acredita em Deus aí ele vai engasgar todo pq não sabe nem o motivo da existência dele próprio o que dirá questionar a existência de Deus então.

  18. luiz

    28/04/2012 20:43:09

    o ser humano é um organismo muito, mas muito mais complexo que o universo em sí, são bilhões de células, milhares e milhares de quilômetros de vasos sanguíneos de dimensões capilares agindo em perfeição e sincronismo para fornecer fôlego e vida a um i/m/b/e/c/i/l que não acredita em deus. só uma anta pra achar que somos frutos do acaso e mesmo assim deus nos diz em sua palavra que somos os seres mais miseráveis deste mundo se esperarmos somente nessa vida. que coisa terrível para um ateu depois de deixar essa vida e acordar em outra dimensão e comprovar que deus é real e muito mais real do que era sua vida aqui na terra, que na verdade o que vivemos aqui é um inexplicável sonho pelo fato de nossas vida ser o equivalente a um nano/segundo em relação a existência de tudo o que nos cerca e que a realidade verdadeira está na eternidade? já parou pra pensar? não é uma questão de se crer ou não crer mas sim uma questão de nexo e bom senso.

  19. Vallim

    28/04/2012 20:08:20

    Assim como há ateus chatos, há religiosos chatos. Quem quer crer em Deus, que creia. Quem quer acreditar que deus não passa de um Papai Noel mais poderoso, um simples mito, que acredite nisso, cada um na sua... Eu não acredito em deus. Ponto, paragrafo, vida que segue.

  20. VALDEMIRO

    28/04/2012 17:33:04

    ´Drauzio morrer agora, não.Basta termos perdido o Sócrates. O Drauzio ainda tem muita coisa a dizer e a fazer. Já vc, não sei se poderei dizer o mesmo.

  21. Devanir Fernandes Júnior

    28/04/2012 11:37:20

    José, estou contigo e não abro. Certa vez presenciei uma colega do curso de Odontologia sendo ridicularizada por um professor nos corredores das clínicas por professar sua fé. Ele, ateu convicto (sei lá), dizia que o nível cultural dela era incompatível com sua crença. Incompatível, ao meu ver, é não crer.

  22. Ernesto Velloso

    28/04/2012 03:08:31

    Primeiro dona Ana Maria, não existe sequer uma única prova científica da existência de Cristo. Os dogmas Católicos inventados pelos Concílios Ecumênicos, para dominar a humanidade, criaram o mito. A vida na Terra surgiu "expontaneamente" há 3,5 bilhões de anos, de uma forma unicelular chamada "procariontes"; e pelas condições materiais proporcionadas pelo planeta evolui até nós. O Deus Bíblico das chamadas três grandes religiões Abrahamicas surgiu, por sujestão de Zoroastro, há aproximadamente 5 mil anos, (ou seja: 3.499.995 de anos depois do início da vida) como o criador do Universo (que já existia há 14,75 bilhões de anos) e tendo a Terra como o seu centro. De um absurdo chamado Bíblia, nasceu o Critianismo, (os dogmas da Santíssima Trindade e da Ressurreição de Cristo, foram estabelecidos apenas no ano de 325 d.C., pelo Concílio de Nicéia. Quem crê em vida após após a morte, devia se interessar por História, biologia, astrônomia, a matéria em seu entendimento filosófico e científico, e principalmente pelas leis dialéticas, para poder libertar-se desse atavismo religioso, inerente a um criacionismo ilógico, transmitido de geração em geração, pelo medo do pecado. Bruce Calvert disse: "Acreditar é mais fácil do que pensar, por isso existem muito mais crentes do que pensadores".

  23. Roberto

    28/04/2012 01:07:17

    Ué, a gente não vai pra lugar nenhum, colega... KKKKK...

  24. Roberto

    28/04/2012 01:04:37

    Essa foi muito boa!! KKKKK...

  25. Karina

    28/04/2012 00:35:56

    Muito coerente e inteligente este comentário, realmente o nada não seria capaz de gerar o Universo. Deus está no comando sempre!!!

  26. Lucas

    27/04/2012 14:16:42

    Muito engraçado esses versos! kkk

  27. Diego Oliveira

    27/04/2012 12:58:37

    Como budista que se condói diante do fetiche externalista com que, na nossa cultura brasileira, ateus imanentistas e cristãos dualistas se digladiam em orgias que de metafísica só têm a casca externa (que é o que basta a nós, sensuais brasileiros), eu me pergunto: é necessário que a matéria tenha sido “causada” por uma Intervenção externa num dado momento? É necessário que tenha “surgido” de algum outro Lugar?.Será que não é possível que a matéria-energia seja a Essência da realidade, a partir da qual se manifestam todas as infinitas possibilidades do ser? É possível negar, com uma consciência depurada, que o Eterno Infinito “Criador” seja na verdade o Eterno Auto-Transformador, o Ser que contém em si e transcende a infinita linha sucessória das causas e efeitos?.Minha resposta à primeira pergunta é “não é necessário no sentido estritamente causal; mas, sim, é Necessário um princípio sutil metacausal, que permita a renovação, a re-Criação do nosso mundo dos fenômenos, com suas propriedades renovadas (“atualizadas”, no sentido de Aristóteles), a cada instante”..Às duas últimas perguntas, eu respondo “não é possível”. Porém, devo lastimar o fato de que a maioria dos cristãos (incluindo muitos dos que postaram aqui) substituem a autoconsciência pelo fetichismo dogmático como ponto de partida para seus “raciocínios”, desviam o foco das questões realmente fundamentais (por exemplo, pressupondo ridiculamente que a matéria “tem” que ser causalmente oriunda de algum lugar externo a ela – para malandramente abrir espaço para um deus pressuposto. Frequentemente – e com origem numa fedorenta metafísica de botequim em que a fé de tantos bebe todas – essa pressuposição consiste no insustentável dualismo entre Matéria e Espírito entendidos como Substâncias distintas, e não a primeira como mera manifestação do segundo, que existe como princípio sutil Absoluto – como mandaria a boa mística, inclusive a grande mística cristã - que não limita o Absoluto à sua representação personificada, causalmente agente, chamada "Deus"). Assim, tais cristãos denigrem sua própria crença mais do que os ateus poderiam fazer. Podem apostar: com fiéis assim, com “deus” demais e Absoluto de menos, daqui a poucas décadas teremos uma maioria agnóstica também no nosso tão devoto país. Em breve Dilmão não vai ter mais que dar nó nos seus braços tentando simular o sinal-da-cruz..P.S: Desculpem-me a postagem dupla. Tive um pequeno problema com o Wordpress... :)

  28. Diego Oliveira

    27/04/2012 12:47:40

    Como budista que lastima o fetiche externalista com que, na nossa cultura brasileira, ateus imanentistas e cristãos dualistas se digladiam em orgias que de metafísica só têm a casca externa (que é o que basta a nós, sensuais brasileiros), eu me pergunto: é necessário que a matéria tenha sido "causada" por uma Intervenção externa num dado momento? É necessário que tenha "surgido" de algum outro Lugar? Será que não é possível que a matéria-energia seja a Essência da realidade, a partir da qual se manifestam todas as infinitas possibilidades do ser? Não é possível que o Eterno Infinito "Criador" não seja na verdade o Eterno Auto-Transformador, o Ser que contém em si e transcende a infinita linha sucessória das causas e efeitos?Minha resposta à primeira pergunta é "não é necessário no sentido estritamente causal; mas, sim, é Necessário um princípio sutil metacausal, que permita a renovação, a re-Criação do nosso mundo dos fenômenos, com suas propriedades renovadas ("atualizadas", no sentido de Aristóteles), a cada instante". Às duas últimas perguntas, eu respondo "não é possível". Porém, devo lastimar o fato de que a maioria dos cristãos (incluindo muitos dos que postaram aqui) substituem a autoconsciência pelo fetichismo dogmático como ponto de partida para seus "raciocínios", desviam o foco das questões realmente fundamentais (por exemplo, pressupondo ridiculamente que a matéria "tem" que ser causalmente oriunda de algum lugar externo a ela - para malandramente abrir espaço para um deus pressuposto. Frequentemente - e com origem numa fedorenta metafísica de botequim em que a fé de tantos bebe todas - essa pressuposição consiste no insustentável dualismo entre matéria e espírito entendidos como Substâncias distintas, e não a primeira como mera manifestação do segundo, que existe como princípio sutil Absoluto - como mandaria a boa mística). Assim, denigrem sua própria crença mais do que os ateus poderiam fazer. Podem apostar: com fiéis assim, com "deus" demais e Absoluto de menos, daqui a poucas décadas teremos uma maioria agnóstica também no nosso tão devoto país. Em breve Dilmão não vai ter mais que dar nó nos seus braços tentando simular o sinal-da-cruz.

  29. João Paulo

    27/04/2012 11:13:29

    Excelente comentário. Não tiraria uma linha sequer. Sou formado pela Unicamp, doutor pela Usp e quanto mais estudo, mas tenho a certeza de uma cusa inteligente que criou todas as coisas. Dizer que tudo o que existe é obra do acaso, é assinar um atestado de cegueira. Se o Big Bang foi a explosão inicial, convenhamos que para essa explosão inicial, existiu uma causa uma vez que o 'nada' não é capaz de gerar coisa alguma. Considero muito fácil ter esse entendimento. Ele é simples. Se você estudar o universo não terás dúvidas que sua origem só pode ter sido de algo inteligente, nunca, do acaso.

  30. Luiz Gustavo

    27/04/2012 08:30:04

    Muito coerente o texto.

  31. Luiz Gustavo

    27/04/2012 08:24:49

    Concordo [2x]

  32. julio sp

    27/04/2012 07:12:45

    Discutir isso é como tentar convencer que meu time é melhor que o seu.

  33. juliano

    27/04/2012 00:11:05

    ah, se eu tivesse tempo...

  34. ana maria freire antonio

    26/04/2012 21:17:49

    nao acredito que o ser humano é imortal. Ele se torna imortal quando aceita a vidaa eterna que Cristo veio trazer. Os que nao aceitam, nao acreditam, continuarao a ser mortais. Só existe salvacao para o ser humano atravéz do sacrifício de Cristo, Ele pagou o preco do pecado com seu sangue. Fora disso é balela. É simples assím. É questao de crer e aceitar. Ele disse, aquele que vem a mim, de modo nenhum o lancarei fora. Que Jesus Cristo seja senhor da sua vida.

  35. Hugo

    26/04/2012 16:33:06

    Ronaldo, você está certo quando diz que as religiões não garantem o espaço no céu pra pessoas boas. Mas erra ao dizer que de alguma maneira, com esforço próprio, conseguimos lugar no céu. Apenas crê de todo coração e serás salvo.Abraço

  36. Hugo

    26/04/2012 16:25:21

    Marco, crer em Deus criador dos céus e da Terra. Crer em Jesus Cristo, o próprio Deus encarnado para morrer pelos seus e ressuscitar dos mortos, cumprindo assim o sacrifício perfeito exigido pelas nossas transgressões.

  37. Hugo

    26/04/2012 16:18:26

    Leandro, com todo o respeito, você apenas acha que é cristão, pois um pensamento conformado como este não demonstra o amor cristão para com as almas perdidas.

  38. Rafael Wuthrich

    26/04/2012 13:09:15

    Concordo.

  39. Devanir Fernandes Júnior

    26/04/2012 11:44:39

    Então, Eduardo, usando o mesmo raciocínio, porém na contramão. Não seria o ateísmo uma ilusão humana criada pelo medo da morte e do juízo de Deus?

  40. Devanir Fernandes Júnior

    26/04/2012 11:29:48

    Sem mais delongas, não consigo ver a fotossíntese como obra do acaso. A fábrica de energia contida na célula de uma simples folha de grama evidencia um projeto. Certa vez o prof. Adauto Lourenço disse que aprendera o evolucionismo na igreja e o criacionismo no laboratório. Crer em Deus não é ser idiota, é ter coerência. Muito embora mutos o façam por tradições culturais sem muitos questionamentos. Me causa espanto que esteja acontecendo um estrondoso movimento, principalmente nas nações mais desenvolvidas, com o intuito de apagar Deus da história e da memória das pessoas. Curiosamente os ineptos acertam ao dizerem que Deus não existe, não pelas razões que advogam, mas porque Aquele que criou a existência não pode ser sujeito à ela. Deus não pode ser definido pelo tempo e espaço, Ele transcende. Ele não existe, Ele é.

  41. Sandro Alves

    25/04/2012 10:01:55

    ‎"O maior mistério que existe sobre a terra é o homem. Parece tão simples, tão tratável, e na realidade ... é tão complexo! Diz uma coisa, e no instante seguinte, sem o menor pudor, diz o contrário e, se o chamamos de inconstante ou instável, sente-se mortalmente ofendido. [...]"Lajos Egni. 'The art of Creative Writing. The Citadel Press, Secaucus, N.J. (EUA), 1965, p. 29-30 'apud' COMPARATO, Doc. ´Da criação ao roteiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1995, p. 93.E assim segui comentando o texto do Juca no facebook de uma amiga:É, a retórica dele é simples. O 'pathos' a comove logo de saída quando ele expõe a sua teoria sobre a "última batida do coração" despertar o medo aterrador da morte. Depois ele se ajeita e se enche de coerência e respeito. Respeito? Mas ele já pisou na bola. Fui ateu por muitos anos. Entre os 12 e os 14 minha fé de aluno do Colégio dos irmãos Maristas se abalou baseada justamente nesse argumento do Juca:" A possibilidade de que a última batida do coração decrete o fim do espetáculo é aterradora. Do medo e do inconformismo gerado por ela, nasce a tendência a acreditar que somos eternos, caso único entre os seres vivos."O fato de que "Todos os povos que deixaram registros manifestaram a crença de que sobreviveriam à decomposição de seus corpos. Para atender esse desejo, o imaginário humano criou uma infinidade de deuses e paraísos celestiais." foi justamente o que abalou minha fé quase definitivamente (30 anos depois eu a retomei). Nesse transcurso, passei por várias fazes de ateísmo e ceticismo. Eu vejo o Juca na primeira ainda: a religião do não acredito em Deus. Só posso lembrar a elegância do poeta Carlos Drummond de Andrade em entrevista à rede globo -- que deve ter sido o último registro audiovisual dele em vida. Ele disse algo como: Estive muito ocupado com os problemas da poesia, da política, do homem e não tive tempo ainda para pensar com o devido vagar, com a devida atenção nessas questões da existência de Deus, religião e tal. Na época passei a imitar o Drummond. A forma como um ateu convicto -- e sofrido, pois era muito doloroso, é claro, não crer em Deus nem na possibilidade de vida depois da morte -- se posiciona diante do problema é um caminho de aprendizado para quem elege a reflexão como uma experiência dentro do maior laboratório que existe: a mente humana em sociedade. O Juca parece um adolescente, não processa, não elabora socialmente sua condição. Vejam! Estou já sendo intolerante com a inépcia desse beócio. Deixem-me recolher-me a minha insignificância. Deixem para o homem de mídia, que se consola e se alimenta da compreensão (amor) que a indústria cultural e a cultura do pós-mídia (internet, grosso modo falando) conferem a ele o mando do debate. A felicidade que ele vende se vale do mágico. Eu sugiro não só a canção dos Beatles como também a leitura do capítulo "A felicidade" do livro 'Cultura de Massas no Século XX: Neurose', escrito no início dos anos sessenta por Edgar Morin. Ah! Também seira interessante ver o "Les Stars", no qual Morin se aprofunda mais na questão dos "Olimpianos" (hoje, nossas "celebridades", como o Juca). Jesus! Me ajude! Estou sendo intolerante com o homem! Deus lhe guie Juquinha! "Happiness is a warm gun (bang bang shoot shoot)Happiness is a warm gun (bang bang shoot shoot)"Juízo e felicidades, Sandro Alves.P.S.: Sem conflito não existiria sequer vida, quem dirá troca de pensamentos, diálogo.

  42. jose antonio

    25/04/2012 02:08:43

    Acredito em Deus mas não acredito nas religiões. Uma vez escrevi na Internet que acreditava em Deus, e percebi que os ateus tentavam de todas as formas me convencer que Deus não existia. Cheguei a conclusão que os ateus são tão chatos quanto os fanáticos religiosos.

  43. Jesus

    24/04/2012 18:02:06

    "Ajudamos um estranho caído na rua, damos gorjetas em restaurantes aos quais nunca voltaremos e fazemos doações para crianças desconhecidas, não para agradar a Deus, mas porque cooperação mútua e altruísmo recíproco fazem parte do repertório comportamental não apenas do homem, mas de gorilas, hienas, leoas, formigas e muitos outros, como demonstraram os etologistas. O fervor religioso é uma arma assustadora, sempre disposta a disparar contra os que pensam de modo diverso. Em vez de unir, ele divide a sociedade -quando não semeia o ódio que leva às perseguições e aos massacres."

  44. Cassio Giannini

    24/04/2012 15:51:10

    Achei brilante sua intervenção. Todos temos nossas trajetórias de vida e quando chegamos a concepção madura e ampla esposta percebemos quão acanhada é uma postura de ateismo militante ou mesmo de crente passivo que acha mais importante discutir a posição oposta do que assumir uma postura mais que uma posição virtuosa seja ela qual for.

  45. Ladak

    24/04/2012 15:40:10

    Cheque mate, Sten!!!

  46. Marco Delmondes

    24/04/2012 15:08:54

    Penso que qualquer discussão acerca deste ou qualquer outro tema que envolva religião é tão apaixonante quanto inócuo. Depois que morrermos, retornamos ao tema, ou não.Àqueles que acreditam em vida após a morte, caso exista, ser-lhes-á dado a oportunidade de dizer aos ateus: "- Eu não disse!", que por sua vez haverão de se render às evidências, e verão que qualquer discussão prévia teria sido tola.Caso a vida não persista, mais tola ainda é a discussão.Todavia, considero de profunda sabedoria o ataque à intolerância religiosa feita por Dráuzio Varella, e estendo o tema dizendo que considero a intolerância a última grande barreira à evolução humana.

  47. Germano

    24/04/2012 14:25:41

    Se fosse facil ter fé , não haveria necessidade nascer , pois , a duvida do que vem depois e para que viemos é a certeza que achar a resposta não é o objetivo e sim a questão que movimenta as batidas do coração . Ter fé não é fazer parte de uma religião nem tão pouco de um "Igreja" , e sim confrontar a existência da vida . Estar vivo é ter sempre perguntas para fazer o seu corpo ter motivos a seguir em frente . Por isto não acredito em ateus , religiosos , agnosticos . Acredito que todos conftrontam o mesmo tema : "Sobreviver" . A maneira pela qual vai ser , voce decide , mas saiba que Deus sempre esta presente , não como entidade fisica e sim como materia ao qual voce também é feito . Estar vivo e viver Deus .

  48. Marduk

    24/04/2012 12:54:40

    Um ótimo texto, concordo com tudo que está escrito neste texto. Engraçado é ver alguns comentários típicos de analfabetos funcionais que leem mas não consegue intender uma frase do que está escrito no texto.OBS: Sou ateu, mas gosto muito de mitologias, por isso o Marduk.

  49. Eduardo

    24/04/2012 12:51:15

    Engraçado ver algumas pessoas atacando umas as outras, por esse motivo que nem sempre revelo minhas opiniões, geralmente ouço e analiso o que é dito, contudo ainda não achei nada que me torne uma pessoa crédula.Só não consigo ficar calado ao ouvir comentários como:MARIA23/04/2012 às 12:43 PMAcho interessante alguns seres humanos se sentirem ateus. Tão autosuficientes! Quanta arrogancia diante da vida! Como são grandes!! De onde será que essas pessoas vieram? Vocês foram criados por si mesmos?? Tudo apareceu aqui na TERRA poe encanto? Ora… tenham a santa paciencia….Primeiramente, procurem conhecer o Criador, para depois poder falar se Ele existe ou não!!Eu arrogante? Sequer possuo um relaciomento pessoal com o grande criador do universo...Não afirmo a impossibilidade de existência de um criador ou criadores, até mesmo unicórnios estão dentro da possibilidade de existência, contudo não encontramos nada que suporte a ideia de tais existências.

  50. Eduardo Heering

    24/04/2012 11:44:12

    Ai que tá André Figueiredo, não tem nenhum lugar pra ir depois da morte... É exatamente isso que o Drauzio explica. O paraíso é só uma criação humana diante do medo da morte, nada mais que isso... Nós não vamos para lugar algum.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso