Blog do Juca Kfouri

Muito além da Lei da Copa: derrame de dinheiro público

Juca Kfouri

POR CHICO ALENCAR*

1. O alerta sul-africano

A África do Sul – que ainda tem o “apartheid” da desigualdade social – gastou US$ 4,9 bilhões (R$ 8,8 bilhões) em estádios e infraestruturas para realizar a Copa do Mundo de 2010.

Ao todo, US$ 2 bilhões (R$ 3,6 bilhões) foram consumidos na construção ou reforma das dez arenas do torneio.

Hoje, o Soccer City, de Johannesburgo, é usado para rúgbi e shows.

O Green Point, da cidade do Cabo, tem manutenção de US$ 4,5 milhões (R$ 8,1 milhões) por ano e só foi usado 12 vezes desde então. Vários outros são, na terra dos safáris, desinteressantes e dispendiosos “elefantes brancos”.

Alegava-se à época que todo esse investimento geraria rendas imediatas de US$ 930 milhões (R$ 1,69 bilhões), derivadas do afluxo de 450 mil turistas.

Valores superestimados: o país só arrecadou US$ 527 milhões (R$ 961 milhões) dos 309 mil turistas que de fato lá entraram.

Já as rendas de radiofusão e marketing da FIFA ultrapassaram os US$ 4 bilhões (R$ 7,2 bilhões), no ciclo quadrienal encerrado com a Copa da África do Sul.

Seus dirigentes sabem fazer negócios.

Há, no país, um local chamado Blikkiesdorp, que quer dizer Cidade de Lata.

Lá, em 1.600 containers, colocaram os removidos da Cidade do Cabo, a 30 quilômetros de onde foi construído um dos estádios mais bonitos do mundo, vendido internacionalmente como um “estádio ecológico”.

No país, cerca de 100 mil ambulantes perderam sua renda durante a Copa.

Após o evento, o emprego anual diminuiu 4,7% no país, com perda de 627 mil postos formais de trabalho.

Nem seria preciso pegar o exemplo sul-africano.

Bastaria o nosso Panamericano de 2007, no Rio de Janeiro, cujos protagonistas continuam sendo os mesmos hoje (até o antigo Secretário de Esportes é, agora, o prefeito).

O orçamento do evento foi multiplicado por dez.

Houve remoções até mesmo depois dos jogos, no Canal do Anil.

Os monumentos ociosos estão lá, para todo mundo ver. Só em serviços sem execução comprovada teriam sido gastos R$ 6,8 milhões.

Em pagamentos com duplicidade, outros R$ 4,1 milhões.

É recorrente o argumento de que uma Copa estimula a realização de obras de mobilidade urbana, que ficariam como utilíssimo ‘legado social’.

Um mínimo de inteligência e sensibilidade social questionará esse ‘êmulo’.

Quem vive em sociedade tem o direito irrenunciável de, com ou sem megaevento, receber transporte coletivo (aí incluídos seus terminais) e moradia dignas!

Só incompetência ou interesses escusos vinculam políticas públicas necessárias e urgentes com a viabilização de investimentos que um acontecimento episódico possa criar. Mas, pelo andar da carruagem no Brasil, nem com o atrativo da Copa haverá melhoria efetiva e duradoura na vida cotidiana das populações das cidades-sede.

2. Remoções arbitrárias

Segundo levantamento da Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa (ANCOP) há, em todo o Brasil, 170 mil pessoas ameaçadas de remoção forçada por causa das obras ligadas à Copa de 2014 e às Olimpíadas de 2016: megaviolação de direitos.

O cálculo tomou por base os projetos divulgados pelos próprios governos, nem sempre claros.

O Poder Público garante que os reassentamentos estão sendo feitos dentro dos limites da lei.

Mas não divulga relação completa de todas as comunidades ameaçadas de remoção.

Nem os nomes, os valores de avaliação de cada imóvel e os locais de reassentamento de todas as famílias que já foram removidas, desde 2009.

Isso devia estar disponibilizado para a Defensoria Pública e para a sociedade, nos portais de transparência.

Há sonegação de informações e esbulho do direito à moradia.

No Rio, o padrão tem sido “derrubar primeiro, definir o reassentamento depois”.

O “aluguel social” de R$ 400 não é suficiente para a manutenção das famílias até que outra opção seja encontrada.

Por sinal, é intolerável esse interregno.

A relatora da ONU para o Direito à Habitação, Raquel Rolnik, relembra o princípio universal do reassentamento “chave por chave”: nenhuma família pode ser despejada de sua casa antes de ter participado (e concordado) com a realocação e receber seu novo imóvel.

As remoções também causam problemas indiretos, como o agravamento do gargalo no transporte público – uma vez que muitos estão sendo reassentados em regiões distantes dos bairros centrais – e limitações ao acesso precário a serviços, como hospitais e escolas.

As remoções são realizadas em total dissonância com a legislação nacional e com os acordos internacionais assinados pelo Brasil.

A Constituição estabelece a moradia como direito fundamental, e cria a função social da propriedade. O Estatuto das Cidades de 2001 torna obrigatórios os Planos Diretores que, entre outras atribuições, regulamenta a questão habitacional.

A Lei 11.124 e a Constituição do Estado do Rio determinam a utilização prioritária de terrenos públicos para a implantação de projetos habitacionais de interesse social.

Remoções forçadas fazem parte desse novo modelo de gestão das cidades pelo mercado via megaeventos. Têm ocorrido em todos os países ditos “emergentes”.

Na China, onde foram realizadas as Olimpíadas de Pequim (2008), teriam sido transferidas 1,2 milhão de pessoas.

Embora, por enquanto, sejam pouco abordadas pela imprensa nacional, as remoções no Brasil já foram motivo de denúncias em veículos de diversos países (New York Times, The Guardian, The Huffington Post, Al-Jazeera e El País, entre outros).

3. Desperdício de dinheiro público

O valor inicial previsto para a reforma ou construção dos 12 estádios que serão usados para a Copa do Mundo de 2014, de R$ 5,3 bilhões, subiu 47%, desde janeiro de 2010.

As mudanças de estádios e o aumento dos preços finais contratados fizeram com que o valor subisse para 7,8 bilhões, dos quais R$ 4,8 bilhões são de responsabilidade do BNDES e dos governos estaduais.

Segundo relatório do Tribunal de Contas a União (TCU), algumas cidades-sedes como Natal, Manaus, Cuiabá e Brasília correm o risco de ficarem com “elefantes brancos” após a competição.

A média de público nas competições esportivas nessas cidades é dezenas de vezes menor que a capacidade das ‘modernas’ arenas que ali estão sendo erguidas.

A falta de pessoal qualificado do BNDES para análise técnica dos projetos de engenharia das obras foi outro problema apontado pelo TCU, o que pode fazer com que sejam aprovados aditamentos que não condizem com a realidade da empreitada.

Segundo o TCU, em cinco meses, entre setembro de 2011 e fevereiro de 2012, o custo do conjunto de obras para a Copa – não só de arenas esportivas – subiu de R$ 23,3 bilhões para R$ 25 bilhões.

Calcula-se que chegue a R$ 33 bilhões, com 2/3 bancados pelo Estado: megaindividamento público.

No Rio de Janeiro, o orçamento total está R$ 683 milhões mais caro que o verificado no levantamento anterior do TCU.

Agora, alcança R$ 3,89 bilhões em obras no Maracanã, aeroportos, portos e mobilidade urbana.

Os custos estimados para o governo do estado e para a prefeitura do Rio praticamente dobraram, na comparação com setembro de 2011.

O governo estadual deve bancar R$ 483,5 milhões, contra uma previsão anterior de R$ 200 milhões. Já o custo para a Prefeitura da capital subiu de R$ 420 milhões para R$ 704 milhões.

A princípio, os maiores investidores na Copa do Mundo do Brasil seriam, na ordem, Caixa Econômica Federal (28,43%, ou R$ 6,65 bilhões), a Infraero (22%, ou R$ 5,15 bilhões) e BNDES (20,8%, ou R$ 4,8 bilhões).

Logo, financiamento público.

Na prática, o dispêndio do BNDES é bem maior.

Inclui a participação do banco no financiamento à expansão dos portos, aos preparativos dos governos estaduais e municipais, e até na recente privatização de três aeroportos brasileiros.

A Copa da FIFA 2014 está produzindo no Brasil um derrame de dinheiro público inédito em nossa história.

E sem transparência: os propalados compromissos assinados pelo governo com a FIFA em 2007 têm sido mantidos sob sigilo, gerando constante controvérsia.

Um ofício que fiz à Casa Civil solicitando cópia desses supostos acordos, em 18 de janeiro de 2012, não mereceu qualquer resposta!

4. Legado Social

José Roberto Bernasconi, coordenador para assuntos da Copa do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco), é objetivo: “não houve planejamento consistente para a Copa.

Hoje o País sai correndo, faz contratações sem licitação, tem obras com gente trabalhando 24 horas por dia, contra o relógio.

Fizeram vários discursos, mas não uma lista imediata de prioridades (…) o legado de infraestrutura será muito pequeno perto do que poderia ter sido”, diz, o insuspeito técnico (Carta Capital, 29/2/2012).

Dos R$ 27 bilhões totais previstos em investimentos e financiamento pela Matriz de Responsabilidade do governo federal com estados e municípios, até aqui somente 9,8 bilhões foram contratados e 1,4 bilhão foi executado, segundo o Portal Transparência da Presidência.

A pouco mais de dois anos para o início dos jogos, apenas 2,14% dos investimentos em mobilidade urbana saíram do papel. Dos 50 projetos listados na Matriz, somente 18 tiveram avanço até o fim de janeiro.

Estão previstos investimentos de R$ 12,36 bilhões de reais em sistemas de transporte como BRT e monotrilhos.

Mas só R$ 265 milhões se transformaram em obras.

O programa Mobilidade Urbana, do governo federal, ficou praticamente parado em 2011.

Cogita-se, inclusive, que esse atraso seja, em parte, proposital.

O discurso da emergência, da pressa, faz com que projetos tomem corpo sem passar pelos processos tradicionais de licitação.

Não é acaso que tenha sido aprovado no Congresso Nacional, em 2011, o Regime Diferenciado (ou desesperado?) de Contratações (RDC), na contramão da Lei 8666.

Esse tipo de “legislação de exceção” dá margem a aditivos contratuais que certamente vão gerar superfaturamento.

Segundo o Ministro do TCU Valmir Campelo, em audiência pública na Câmara dos Deputados, em 21/3/2012, “o atraso pode resultar numa Copa mais cara, porque enseja aditamentos”.

Há pouco mais de 2 anos do evento, apenas 3 dos 12 estádios em reformas ou construção têm metade das obras realizadas (Fortaleza, Salvador e Belo Horizonte).

Para legitimar esse processo escandaloso, os governantes utilizam o chamado “patriotismo de cidade”, ou seja, a ideia de que “o Brasil não pode fazer feio.”

É a utilização do natural orgulho nacional das pessoas para justificar a cobiça e a irresponsabilidade com o Erário.

5. Um gasto socialmente útil

Apenas com os R$ 2,5 bilhões do ‘reajuste’ dos preços das obras em estádios – valor que corresponde a 37% de todo o gasto na Copa da Alemanha, em 2006! – seria possível:

- garantir 806,5 mil bolsas atleta para esportistas olímpicos ou paraolímpicos (R$ 3.100 por mês) ou…
- construir 3.125 quadras poliesportivas cobertas (R$ 800 mil a unidade) ou…
- construir 46,3 mil casas ou apartamentos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ (média de R$ 54 mil a unidade) ou…
- construir 2,9 mil creches ou pré-escolas (R$ 854 mil a unidade) ou…
- construir 16,7 mil escolas rurais (R$ 150 mil a unidade) ou…
- 3,6 mil escolas de educação infantil (R$ 691 mil a unidade) ou ainda…
- 700 escolas de grande porte (R$ 3,57 milhões a unidade)

É uma questão de visão de desenvolvimento integral, com legado de educação e justiça social, para o país. O afã capitalista do ganho rápido, que orienta a Copa e os Jogos Olímpicos, choca-se com isso.

O gerenciamento de negócios vai na contramão do interesse público e mesmo da massificação dos esportes.
Copa de futebol e Jogos Olímpicos já produzem no Rio não um legado social, mas a primazia de um ‘torneio de especulação imobiliária’ que o está transformando em um dos lugares mais caros do mundo para se morar.

Nas outras sedes a especulação e o vale-tudo do oportunismo mercantil também oprimem o direito à cidade e a qualidade de vida de amplos setores.

6. Legislação de exceção

Além do já aprovado RDC – contra o nosso voto –, facilitando a contratação de obras e serviços, flexibilizando licitações, agora temos a LEI GERAL DA COPA, como se já não tivéssemos arcabouço legal para abrigar eventos desse tipo. Nossa legislação ordinária vai para o banco de reservas…

O Projeto de Lei assegura megaprivilégios à FIFA.

O reconhecimento dos produtos FIFA no art.3º como “marca de alto renome” é mais uma garantia de boa-fé do governo brasileiro (desnecessária, aliás, de acordo com a própria lei 9279/96, que regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial).

O INPI é transformado em “cartório particular” para adotar regime especial relativo a pedidos de registro de marcas – estima-se em mais de mil! – apresentadas pela FIFA, que fica dispensada do pagamento de retribuições a todos os procedimentos no âmbito das patentes até 31/12/2014 (art.4 a 7). O Projeto de Lei libera uma Associação Suíça de Direito Privado do pagamento de custos e emolumentos imposto a todos que requerem registro de marca no Brasil. Renúncia fiscal longa e onerosa!

O art.11 deste Projeto de Lei é uma afronta a um dos fundamentos da República Federativa do Brasil, tão defendida pelos ditos liberais de todos os matizes: a livre iniciativa (art.1º IV da Constituição Federal). Isto é evidenciado ao se “assegurar à FIFA e às pessoas por ela indicadas a autorização para, com exclusividade, divulgar suas marcas, distribuir, vender, dar publicidade ou realizar propaganda de produtos e serviços, bem como outras atividades promocionais ou de comércio de rua, nos Locais Oficiais de Competição, nas suas imediações e principais vias de acesso”.
De acordo com essa norma, ambulantes serão proibidos de vender suvenires, mesmo que nada tenham a ver com os símbolos da Copa do Mundo. Outdoors deverão ser retirados das vias de acesso e mesmo placas de lojas ou faixas deverão ser removidas.

O art.16 prevê que será ilícita e objeto de sanções (inclusive prisão de 3 meses a 1 ano!), a “oferta de provas de comida ou bebida, distribuição de panfletos ou outros materiais promocionais ou ainda atividades similares de cunho publicitário (inclusive em automóveis), nos Locais Oficiais de Competição, em suas principais vias de acesso ou em lugares que sejam claramente visíveis a partir daqueles”. E até a “exibição pública das partidas, por qualquer meio de comunicação, em local público ou privado de acesso público, associada à promoção comercial de produto, marca ou serviço ou em que seja cobrado ingresso”.

A União fica obrigada a disponibilizar, sem quaisquer custos para a FIFA, “a segurança, serviços de saúde, vigilância sanitária e alfândega e imigração”. Além de disponibilizar gratuitamente todos esses serviços para um evento privado, o Brasil também se responsabiliza por quaisquer acidentes (art. 22, 23 e 24).

A garantia de meia entrada existe apenas para a categoria 4 (a pior e mais barata), num total de 300 mil ingressos (art. 26). As outras três categorias não poderão ser compradas com a meia entrada, o que ofende todas as leis que dispõem sobre esse direito de estudantes e idosos.

Pode ser autorizada a venda e consumo de bebidas alcoólicas nos bares e restaurantes nos locais dos eventos (art. 29).

O art.13-A da Lei 10671/2003 (Estatuto do Torcedor), dispõe como “condições de acesso e permanência do torcedor no recinto esportivo (…) não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”. Há muitas leis estaduais que prevêem expressamente a proibição de bebida alcoólica em estádios.

Nenhuma de inspiração religiosa, por óbvio, mas vinculada à redução da violência entre torcedores.

Projeto de Lei cria novos tipos penais como o Marketing de emboscada (associar uma marca à de outrem sem autorização) e o Marketing de emboscada por intrusão (expor marca em evento ou espetáculo sem autorização).

E também a utilização indevida de símbolos oficiais de titularidade da FIFA. Nossa legislação penal já contempla proteção às marcas (art.189 e 190 da Lei 9279/96). E a indenização por dano material ou moral já seria suficiente para coibir as referidas práticas.

A previsão de pagamento de um “bicho” retardatário de R$ 100 mil reais aos jogadores da seleção brasileira de futebol, vitoriosos nas Copas de 1958, 1962 e 1970, é questionável: há diversas outras modalidades esportivas que não gozam de quaisquer benefícios do Estado.

Além disso, vários desses ex-futebolistas têm boa ou ótima situação financeira.

O dispêndio não será incluído na L.R.F., diz o Projeto, pois é ‘inclusão social’! Inclusão seria cuidar efetivamente das famílias afetadas pelas obras. Ou ampliar o desprestigiado bolsa-esporte.
Q

uanto às férias escolares durante todo o período da Copa (art. 63), de 12 junho a 13 de julho, perde-se oportunidade pedagógica de grande motivação para conhecimento do mundo, que o ambiente das salas de aula e do cotidiano nas escolas possibilita.

Os jogos, comentados em sala de aula, a partir da história e cultura dos países que os disputam, teriam imenso valor informativo e educativo.

E continuaremos com cerca de 80% das escolas brasileiras sem quadra esportiva, porque o Poder Público considera prioritária a construção de grandes estádios…

Em ‘Nota de Repúdio’ à aprovação deste Projeto, lançada em 7/3/2012, a Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa lembra que “em cada cidade já foram emitidas ‘leis de segurança’, ‘leis de isenção fiscal’, ‘leis de restrição territorial’, ‘leis de transferência de potencial construtivo’, etc.

No Senado, ainda, para onde seguirá, caso os deputados aceitem a submissão à FIFA, a Lei Geral se associará a pelo menos outros dois PLs (394/09 e 728/11) que, entre outras propostas, restringem o direito à greve a partir de três meses antes da Copa, abrem a possibilidade de proibição administrativa de ingresso de torcedores em estádios por até 120 dias, inventam o tipo penal de ‘terrorismo’ – hoje inexistente no Brasil – e estabelecem justiças e procedimentos de urgência para julgá-lo. Criam, ainda, as chamadas ‘Zonas Limpas’, de exclusividade da FIFA nas cidades e privatizam o hino, símbolos, expressões e nomes para a Confederação Brasileira de Futebol – a tão ‘idônea’ CBF”.

Por fim, um aspecto revelador da dinâmica pouco democrática que preside o empreendimento da FIFA no Brasil: a escolha do símbolo da Copa, o simpático tatu-bola, não derivou de ampla consulta ao povo brasileiro, que conhece e curte seus bens naturais. A aferição foi restrita e a decisão vertical. A onça pintada, a arara, o jacaré e o Saci Pererê, derrotados, não sabem nem a quem recorrer…

*Chico Alencar é professor de História e deputado federal (PSOL-RJ)

  1. dinheiro

    15/05/2012 14:41:51

    claro com o dinheiro que não é deles, é fácil gastar. Mas para os trabalhadores como nós, é dificil fazer essa faucatrua. Temos que aprender na mara a ganhar dinheiro!

  2. TATUAPE

    03/04/2012 13:04:33

    .Glaucio eu não tenho nada contra o monotrilho, mas, há quem tenha..E são os mais intressados, que são os moradores dessas regiões..Eu sou contra o péssimo uso do nosso dinheiro para benefício do Morumbi mais uma vez..Invertamos o seu comentário e pensemos na parte que beneficiará somente o SPFC..E vamos tentar responder a seguinte pergunta:.Com quais objetivos nobres serão utilizados o dinheiro público no entorno do Morumbi?.

  3. TATUAPE

    02/04/2012 23:18:32

    .Bergamo..Você mentiu em relação aos 177 milhões. Mentiu..E o pior, por uma causa aviltante, para minimizar o crasso erro do seu clube..Eu ainda o verei defender a CBF Bergamo. Escreva..Sua credibilidade fede e se compara ao que cavalos soltam nas ruas..O Sabbaratha gosta..

  4. Glaucio

    02/04/2012 01:13:29

    Quem fala mal sobre o monotrilho deve ser corintiano tentando justificar o péssimo uso do dinheiro público em relação ao Itaquerão.Tentem ler a notícia excluindo "Estádio do Morumbi".A notícia ficaria assim: Serão aplicados 3,2 bilhões de reais em uma obra que ligará três linhas do metrô e que também interligará o aeroporto de Congonhas ao sistema férreo da capital, serão adicionados mais 17km de trilho, que deverão tirar carros da rua, poluir menos...etc.O projeto dessa obra é antiga, foi tirada da gaveta por motivos errados, mas não deve ser negada a sua importância.Quem anda de transporte público não deveria falar mal dessa obra.O monotrilho é uma das poucas obras que servirão ao cidadão, todos os dias, com ou sem copa, com ou sem jogos no morumbi.É obra para o povo.

  5. TATUAPE

    01/04/2012 17:11:38

    .Bergamo..Saiu uma informação no UOL eu inseri o link no meu comentário e postei uma opinião..Logo em seguida você postou a sua. Uma depois outra. Por que quis..Respondi e te pedi para não levarmos a questão para o lado pessoal..Não tem uma linha, uma sequer, que eu me dirija à sua pessoa com ofensas..Quando escrevi "os ratos mudaram..." me referi aos dirigentes e não a você..Agora no meu último comentário, aí sim porque ninguém é de ferro..Mas, nada disso tem tanta importância quanto a sua credibilidade..Assim sendo, qual é a sua fonte de pesquisa? .De onde você tirou que serão tirados dos cofres públicos da cidade de São Paulo "apenas" 177 milhões em benefício exclusivo do morumbi?.Vejamos o valor da sua credibilidade!!!.

  6. paulo fialho

    01/04/2012 16:43:20

    O torcedor pensa assim: "Meu time é beneficiado? Dane-se quanto custa", "Minha cidade recebe obras? Dane-se quanto custa". Falam mal do Lula, mas ele reúne as duas caras do Brasil, a do povo ignorante e a da classe média mesquinha.

  7. André Bergamo

    01/04/2012 14:03:18

    Tatuapé, a hora que você tratar as coisas com os mesmos pesos e mediadas a gente volta a conversar.Já disse que prefiro que fosse gasto esta grana em outra região para transporte público, disse que o puxadinho é um descalabro em benefício particular direto do SPFC, chamo JJ de ditador, detesto e critico suas arrogâncias quando ele faz, digo que é parceiro do Marín e agora lava as mãos pra querer união dos clubes, critico as organizadas do tricolor,, vixi..., digo até que o Morumbi tem recurso público, etc..., ou seja, digo os fatos.Tatuapé, quem precisa começar a tratar as coisas extra campo sem clubismos desesperados aqui não sou eu.Olhe como começou a discussão, veja o que disse, e leia as coisas que eu disse, logo perceberá quem trata as coisas aqui de uma forma apenas para desmerecer outro clube aqui, sem compromisso em apurar os fatos.Tem um monte de anti corinthiano aqui Tatuapé, acho que deveria discutir com eles, faz mais sentido.Ofensa é uma pessoa que diz que o Itaquerão não tem dinheiro público, é uma ofensa tão grande como eu dizer que o puxadinho e essa obra do Monotrilho não beneficiam diretamente o SPFC por causa do Morumbi.Isso é uma ofensa ao bom censo para aqueles que estão pagando tudo isso.Não é preciso cálculo matemático, nem opinião de "especialistas", nem "fonte" de jornalista para saber disso, é só ter bom censo das coisas.Abraço

  8. SABBATH-Tri-mundial

    01/04/2012 13:36:32

    Não perca seu tempo Bergamo, o cara é demagogo e quem espana é ele quando é contrariado, não consegue ser coerente em suas criticas usa de dois pesos e duas medidas de acordo com sua conveniência, se diz vitima de ofensas, mas é o que mais ofende, se faz de coitado, de vitima, mas é pura demagogia.

  9. TATUAPE

    01/04/2012 12:25:46

    .Sabe qual é o seu problema Bergamo?.É que quando o SPFC comete os mesmos erros que os outros, e sofre críticas (as mesmas que você faz aos outros) você espana..Nessa hora começa o seu show de ofensas..Os argumentos minguam..Ao invés de contra-argumentar, você ataca a honra das pessoas..Isso é sinal de fraqueza, inclusive, moral..E moral assim eu dispenso..Agora, para mostrar um pouco como são as coisas..Mostre a fonte de sua pesquisa, de onde você tirou que a sociedade dará ao SPFC só 177 milhões pra nada de útil para sociedade. Mostre..Mostre de onde você tirou esse valor, cálculo matemático não serve..Se você não mostrar sua credibilidade e aquilo que um cavalo solta nas ruas terão o mesmo valor..

  10. André Bergamo

    31/03/2012 18:41:41

    Os "especialistas" foi ótimo Tatuapé, kkkkkkkkk!!

  11. André Bergamo

    31/03/2012 17:12:00

    Tatuapé se você criticasse a maneira com o estádio corinthiano está sendo erguido até te dava moral nessa sua cruzada contra o monotrilho.Mas você não passa de um anti sãopaulino que sempre defendeu demagogicamente a maneira como o Itaquerão está sendo erguido.Só rindo Tatuapé.Mas eu realmente acho uma obra que não se faz necessária com dinheiro público, acho que tem outras regiões onde a necessidade de transporte público é maior.Por mim levava toda essa grana para regiões onde isso é AINDA mais necessário.E não tô aqui pra passar o pano em nada, mas também não vou engolir antisãopaulinos como você quererm jogar 3,2 bilhões direto nas costas do SPFC.Tatauapé, você é hipócrita e antisãopaulino.Só rindo mesmo dessa sua "indignação de cidadão".E Tatuapé, acada dia que passa seu antsãopaulismo cresce.Tataupaé, sem dúvida que os ratos mudaram de lugar, espero que você continue no seu lugar, que é contra a liga, implosão do C13, a favor da dinheirama pública ao Itaquerão.Eu sempre fui a favor da união dos clubes, contra dinheiro público pra clube de futebol, a favor da transparência.Não vou mudar, se os ratos cartolas tricolores, alvinegros, alviverdes, etc... mudam, problema deles, não sigo eles.

  12. SABBATH-Tri-mundial

    31/03/2012 14:35:40

    É a dupla batman e robin, kkkk

  13. TATUAPE

    31/03/2012 13:57:49

    .Caríssimo José Henrique..Excelente!.Você perceberá a incoerência dos torcedores de 3 maneiras: .1. os que não concordam com sua informação..2. os que tentarão minimizar..3. a principal, os que NÃO manifestarem sua indignação com a farra do erário..Fica claro que o problema não é a corrupção, má gestão do dinheiro público e o tapa na cara que os poderosos dão na sociedade. Eles aprovam..Assim fica claro o que não aprovam..

  14. José Henrique

    31/03/2012 13:07:37

    Aproveitando os numeros do articulista, 3,2 bilhões em uma única obra, poderiam garantir:- garantir 806,5 mil bolsas atleta para esportistas olímpicos ou paraolímpicos (R$ 3.100 por mês) ou…- construir 3.125 quadras poliesportivas cobertas (R$ 800 mil a unidade) ou…- construir 46,3 mil casas ou apartamentos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ (média de R$ 54 mil a unidade) ou…- construir 2,9 mil creches ou pré-escolas (R$ 854 mil a unidade) ou…- construir 16,7 mil escolas rurais (R$ 150 mil a unidade) ou…- 3,6 mil escolas de educação infantil (R$ 691 mil a unidade) ou ainda…- 700 escolas de grande porte (R$ 3,57 milhões a unidade)

  15. José Henrique

    31/03/2012 13:02:18

    3,2 bi (tres virgula dois bi) é mole Juca?:Da redação - São Paulo-Portal 2014postado em 20/03/2012 14:59 h:A construção da primeira fase do monotrilho do Morumbi, projeto que terá recursos da Copa, deve ter a licença de instalação aprovada na próxima quarta-feira (21), anunciou hoje o governador paulista Geraldo Alckmin. A informação é do site “R7”.O trajeto da linha 17-Ouro do metrô (que será feita por monotrilho) vai ligar o bairro do Morumbi ao Aeroporto de Congonhas, ambos na zona sul de São Paulo.O projeto foi incluído na Matriz de Responsabilidades da Copa em 2010, quando o estádio do São Paulo FC fazia parte da competição.O Morumbi foi substituído pela arena do Corinthians em Itaquera, na zona leste da cidade. Mas o governo manteve a construção do monotrilho no PAC da Mobilidade Urbana, exclusivo para o Mundial.Segundo o governo, a linha atenderá aos turistas do evento por ligar o aeroporto à zona hoteleira da zona sul. Alckmin garantiu a inauguração do primeiro trecho antes da Copa.A obra deveria ter começado em julho de 2010, mas moradores do Morumbi entraram com uma liminar para impedir o licenciamento ambiental.LinhaOrçada em R$ 1,9 bilhão, a primeira etapa da linha Ouro terá 7,7 km de extensão, ligando a estação Morumbi da Linha 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) ao aeroporto. O monotrilho também será interligado com as linhas 1-Azul, 5-Lilás e 4-Amarela do metrô.A construção da linha completa, com 17,7 km, está orçada em R$ 3,2 bilhões. A obra deve ocorrer em três fases, sendo que a última deve ser entregue em 2016.

  16. TATUAPE

    31/03/2012 11:50:11

    .Ufa que alívio!.Não são os 3 bi que serão destinados ao meu SPFC!.Será apenas 1 bi. Não 500 milhões. Peraí deixa eu baixar um pouquinho, 180 milhões..Dirão alguns..Que fosse 10 mil..A postura está errada, tanto dos Governos como a dos torcedores, sãopaulinos ou não, em apoiar os anseios do SPFC até por questão de coerência..Afinal, se há tanta verberação contra o estádio do Corinthians, cuja questão dos recursos gera dúvidas até nos especialistas se é de fato dinheiro público, imagine neste caso que não deixa dúvida alguma de ser dinheiro público. Este sim tirado dos cofres do Estado.Dinheiro este que deveria ser usado na saúde, segurança, transporte e toda infraestrutura da cidade..Portanto, o dinheiro para o puxadinho é público e direto do orçamento para benefício exclusivo do privadíssimo SPFC..E não se justifica..É sem objetivo comum para benefício da população, aliás os moradores vizinhos do SPFC são frontalmente contra..Agora os ratos encontram-se em outro endereço e não querem a liga..Só rindo Bergamo.

  17. André Bergamo

    30/03/2012 23:53:16

    Que bom que hoje temos o PSOL.Abraço Márcio.

  18. Daniel

    30/03/2012 19:38:26

    Panis et Circensis

  19. André Bergamo

    30/03/2012 18:58:03

    Mas a gente mora no Brasil e as coisas para as classes mais altas sempre chegam mais rápido e em maior quantidade do que pras classes mais baixas, e aí tô falando de povo, não tô falando de clube de futebol, muito menos dos grandes clubes privados, todos estes tão enquadrados na chamada classe alta de benefícios, são instituições privadas de muito poder e muuuuiiiita grana, cada vez mais elitizados nas suas propriedades particulares.Abraço.

  20. André Bergamo

    30/03/2012 18:45:55

    Blz Tataupé, é que colocou essa obra de um jeito que me pareceu apelativa e de uma forma querendo jogar toda ela nas costas do SPFC, o que ao meu ver não cabe este tipo de conotação.Vejo um monte de gente sempre dizendo: "O acesso ao Morumbi é péssimo", e coisas do tipo, só pra querer diminuir o Morumbi e o SPFC.Agora, colocam a obra de toda uma linha da região inteira nas costas do SPFC como sendo o único beneficiado da mesma, sendo uma obra que interligará com outras três linhas a região, com 18 km e 18 estações, com diversos pontos (inclusive, aeroporto, Paraisópolis, até o Jabaquara-linha azul).Se a grana da obra é muito maior (tá super faturada) do que deveria ser, isso é um problema dos governos à responder, não do SPFC.Se a obra é feia, se tem gente reclamando por pura especulação imobiliária (diminuir o valor dos imóveis) isso não é culpa do SPFC, pois o Morumbi tá na região muito antes destes bairros populosos ( e de classe média e alta) que cresceram ao seu redor.Acho que as coisas precisam ficar melhor colocadas e debatidas, porque do jeito que tão colocando as coisas, me desculpe, parecem querer é jogar pedras a qualquer custo no SPFC.Espero que tenha uma linha de transporte (metrô) até o Itaquerão boa (se já não tem?, pois isso ajuda na região também, e não vai ser por causa de linha de metrô (transporte público) que vou vir aqui jogar pedra no SCCP por causa dessa obra, pelo contrário, torço muito para que a região da zona Leste inteirinha tenha muitas linhas de transporte de qualidade, pois isso sim ajuda muito a população - transporte de qualidade.Abraço.

  21. TATUAPE

    30/03/2012 18:16:19

    .Fernando.Obrigado por seu importante comentário..Outro fato relevante é que os donos do estádio Morumbi não são bons vizinhos..Abraços.

  22. Márcio - Uberlândia

    30/03/2012 17:48:50

    Caro Eduardo,Obrigado por responder.Me referi exclusivamente a politica econômica Mundial estalecida.Se vc acredita que existe uma forma de qualquer país se isolar o resto do mundo, e e gerar produção para atender as necessidades de sua população, aí não adianta argumentar sobre economia contigo, pois este é o sonho de qualquer país no mundo, mas é impossível.Eu conheço muito bem os problemas sociais brasileiros. Saber disso é fácil pois vende jornal.Mas é aí? como resolvê-los. É a copa que vai atrapalhar? Os 33 bilhões, que boa parte será investido onde o Brasil investe menos de 2% de seu PIB, seriam aplicados em demandas que a população consideram prioritárias, ou destinados para pagamento de juros da divída pública ou aumento das reservar internacionais.Não estou opnando ou considerando onde seja melhor aplicar os recursos, mas acompanho com atenção a política econômica e as ferramentas utilizadas para manter a estabilidade econônica, pelo governo brasileiro, e garanto que nem o Deputado Chico Alencar desafiaria as regras economicas mundias estabelecidas, e correria o risco de entrar para história como o homem ue fez o Brasil a voltar a cortar zeros" da moedaAbraço.

  23. TATUAPE

    30/03/2012 16:58:09

    .Bergamo, tudo certo?.Desculpe pela demora em te responder, voltei ás atividades profissionais..Vamos lá..Para sua apreciação mais um link;.http://www.lancenet.com.br/sao-paulo/Juvenal-consegue-bilhoes-entornos-Morumbi_0_465553620.html.Bergamo, vamos tentar deixar essa conversa no campo impessoal..Penso que o válido, é discutirmos as informações, os argumentos, as idéias e até opiniões sem ofensas mínimas que sejam..Agente quebra o pau, mas acredite, te considero um amigo aqui no Blog..Assim como alguns caríssimos..Abraços.

  24. SABBATH-Tri-mundial

    30/03/2012 16:36:13

    Mas qual o problema de comparar o Brasil com Africa? Nos somos iguaizinhos aos africanos, até na cultura, na música, somos muito parecidos sim com a Africa, isso se aqui não for pior.

  25. Márcio - Uberlândia

    30/03/2012 16:28:48

    Caro Souza Pinto, Esse é o ponto. Honestidade no Brasil se tornou virtude. Corrupção existe em todos os setores e organizações públicos e privados. Mas só na administração pública que que não é necessário ter competência e capacidade para assumir um cargo, principalmente de gestão/liderança. Até ficou cômodo para os políticos. Mas e o funcionalismo público? Politico leva de montão. Um montão de funcionário público, também leva um quinhão. E nós, a população? A pobre velhinha do restaurante é que não tem como pegar nada como sendo a "sua parte", e depende da competência dos políticos para administrar o que "sobra", e tem sobrado mais a cada ano.. Só para vc ter uma ideia do que não chama atenção da opinião pública. A prefeitura de BH tinha verba destinada para obras preventivas para reduzir os efeitos das enchentes provocadas pelas chuvas na cidade. Pois bem, além de não conseguir investir toda verba disponível (por pura incompetência administrativa), os milho~es que investiu foram na base de 85% para correção e 15% para prevenção. Todo ano são milhões para reconstruir localidades devastadas, que não seriam gastos se o investimento fosse em obras preventivas. Veja o exemplo do Chile com o terremoto. O país investiu para estar preparado nestas situações, e o estrago é bem menor devido a isso. Calcula-se que só o que se economizaria em BH do que é gasto em obras corretivas, que seriam evitados se verbas fossem investidas em prevencão, nos últimos 2 anos, seria algo em torno de R$ 400 milhões. E o que se vai gastar no Mineirão. Só que aqui foi pro ralo. Copa do mundo virá, irá, e continuaremos a jogar vários estádios pelo ralo todo ano. Mas isso não vende jornal.....Abraço.

  26. andrew N.

    30/03/2012 14:31:50

    Com o que São Paulo vai gastar para fazer um monotrilho, o Real Madri vai construir uma ILHA com estádio, hotel, parque de diversões e marina. http://www.youtube.com/watch?v=4flpfb388QkAh, o Brasil está muito preparado mesmo para sediar esses eventos.

  27. Vantuilson

    30/03/2012 13:19:05

    Afirmo e reafirmo: o Brasilsilsil não tem condições morais e honestidade suficientes para organizar nem quermesse de bairro. Este país e seus governates que tanto estufam o peito para dizer que a crise é uma "marolinha" deviam se preocupar em aplicar a renda gerada pelos contribuintes (e haja contribuição!!!) na infraestrutura independente de ter copa ou olimpíada por aqui´que, aliás, só haverá, não para proporcionar desenvolvimento mas sim, mais roubalheiras.

  28. Alberto

    30/03/2012 12:58:24

    O Monotrilho do Morumbi é um escândalo bilionário que está além de rivalidades partidárias.Trata-se da obra mais cara a ser produzida sob pretexto da realização da Copa de 2014 no Brasil.Uma obra de custo superior a R$ 3 bilhões, que terá uso limitado.Uma obra de custo superior a R$ 3 bilhões, que terá como finalidade principal servir ao estádio do Morumbi.Uma obra de custo superior a R$ 3 bilhões, feita em função de um estádio que teve o seu uso descartado na Copa de 2014!

  29. Alberto

    30/03/2012 12:49:59

    Complexo de vira-lata:http://pt.wikipedia.org/wiki/Complexo_de_vira-lata

  30. Alberto

    30/03/2012 12:46:51

    Dizer que esses países que você citou estão com problemas econômicos causados pela realização de Copas do Mundo/Olimpíadas é uma piada...O mundo passa por uma crise econômica que atinge quase a totalidade dos países (o Brasil sendo uma das poucas exceções).A realização de grandes eventos como os citados, com massivos investimentos públicos e privados é remédio poderoso para o fortalecimento do ambiente econômico, principalmente do local-sede..ps: Ah, sim: percebi que em sua lista não constam Coréia do Sul (Olimpíadas 1988 e Copa do Mundo 2002), Alemanha (Copa do Mundo - 2006) e, principalmente, China (Olimpíadas 2008)...

  31. Eduardo d´Albergaria

    30/03/2012 10:53:26

    "sonha em contrariar a lógica do que está estabelecido, que seria de uma inguniadade absurda"Brasil: campeão em desigualdade socialBrasil: lanterninha nos indicadores educacionaisBrasil: campeão em corrupçãoBrasil: subindo nas tabelas da degradação ambiental...Sonhar em contrariar a lógica do que está estabelecido, mais do que "ingenuidade" é uma necessidade...

  32. André Bergamo

    30/03/2012 09:45:51

    Ah, só pra deixar claro que prefiro muito mais (mesmo não sendo morador da cidade) que fosse investido essa grana nas linhas da CPTM que tão um caos.Mas esse governo tucano e Kassab são um desastre público em termos de benefícios aos bens e órgãos públicos e de transparência também, o Rouboanel foi piada em termos de falta de transparência.

  33. Robert silva

    30/03/2012 09:17:38

    se copa/olimpiadas fossem bons p/ os paises nao teriamos esta situação: Italia (copa 90): semi quebrada; Espanha (jogos 92): semi quebrada; França (copa 98): a beira da recessão; Japao (copa 2002): a beira da recessão; Grécia (jogos 2004): quebrada; Africa do Sul (copa 2010): pais com graves problemas sociais e imerso em dividas dos elefantes brancos herdados em 2010; Portanto pq as pessoas tem ideia de que sediar copa e jogos é uma coisa boa? fatos provam o contrario!!!!!!!!

  34. SABBATH-Tri-mundial

    30/03/2012 09:15:18

    Pode desistir caro Andre, ai terá dois pesos e duas medidas, muito boa sua perquisa e esclarecedora, parabens.

  35. Nelson

    30/03/2012 09:03:15

    É muita bandidagem envolvida nessa Copa e Olimpíadas, a começar por quem a trouxe para cá, com aquele show megalomaníaco. Só me resta torcer para que a Argentina de Messi seja campeã para dar muita risada dessa palhaçada toda.

  36. Marcio

    30/03/2012 09:02:30

    Nem PT, nem PSDB, já cansei das mentiras e ataques mútuos, a corja do PSDB faria igualzinho a corja do PT, ou qualquer corja partidaria.

  37. J. Andrade

    30/03/2012 05:01:49

    Engraçado os defensores do PT enrustidos: falam do escandâlo de Alckmin no monotrilho. Está errado também. Não comparem, pois são todos "farinha do mesmo saco". A estrutura do país é preparada para corrupção. O que incomoda é o PT antes de assumir vindo como arautos da verdades e símbolo de combate a corrupção, e no poder mantiveram e aumentaram a corrupção. Lula e seus pares, apenas citam o fator econômico, como se isso fosse suficiente para crescimento social do país, ao contrário: nada de investimento no setor mais importante de um país: educação de base, pois os analfabetos funcionais aumentaram, e muito, nos governos FHC e Lula. Dados da ONU, não meus. O censo de 2010, feito pelo Ibge, o item educação foi feito por amostragem! Porque? Para manipular dados da educação de base, os piores da A. Latina. É isso. Não vamos falar do que todos sabiam: o Pan serviu para superfaturamento em tudo, com dinheiro, sem legado algum. Taí a copa e as consequências serão piores. Mas o oba oba,repito, fará à época todos esquecerem isso tudo e torcerão como sempre, mostrando a tv, gente que nunca viu bola na vida, chorando nas vitórias e derrotas da dita seleção. A conta disso tudo, virá em algum tempo, com um custo social ao país sem precedentes. Verão, infelizmente isso acontecer.

  38. souza pinto

    30/03/2012 04:19:02

    Marcio,Um abraço.O grande problema,meu amigo,voce resume praticamente em 3 palavras: "Basta ser Honesto".Aí é que reside o perigo.O resto a história julgará,com sua infalibilidade.

  39. Carlos Otsubo

    30/03/2012 02:26:03

    1- A comparação eh valida, já que o esporte numero 1 da Africa do Sul eh o futebol;;;rugby eh mais tradicional....mas o gosto dos sul africanos eh futebol (pesquise antes de falar qualuqer coisa).....Green Point Stadium eh um baita elefante branco....assisti dois jogos q lotaram o estadio EUAx Bafanas e o ultimo jogo da temporada passada. Ajax Cape Town estava em otima campanha e somente 2 a 5 mil iam pro estadio...a sem falar q o estadio, assim como Itaquerao, foi dado para um clube local....mas as despesas são tão altas que quem paga eh o governo2- Antes de falar do Maracana vc deveria ver o tamanho do investimento q ja foi feito nele. Soma Pan Americano + Copa do Mundo + Olimpiadas (sim....maracana vai ser obrigado a se adequar as exigências do COI) = incalculvael do meu dinheiro...mesmo morando na Africa!! Certeza q o Juca não eh contra a reforma da Fonte Nova......mas a Fonte Nova não precisa da reforma pelo pretexto da Copa....e tão pouco a custos tao fora do padrão....a proporsito...me pergunto se os preços dos jogos o Bahia vão continuar populares?!? Imagino q não...esvaziaremos os jogos do Bahia....a proposito....sabe o custo da reforma do estadio da Juventus de Turim?!? Bom pesquise e chore....eles reformaram sem o pretexto da copa...e o preço não chega a 1/3 de muitas reformas que aconteceram no brasil3- Prefiro nem comentar......imagino que vc realmente acha que o Brasil eh um pais de primeiro mundo;;;;também imagino que vc não esta sendo desalojado pelas obras....também acho q não se incomoda de mudarmos a regras;;;afinal o gringo pode beber nos estadios....eles sao civilizados.....mas nos se bebermos sozinho....vamos nos transformar.....entao que libere a bebida so pra copa....somos um pais grande...porem menor do que a fifa

  40. André Bergamo

    30/03/2012 02:24:22

    Agora fui me informar ainda melhor sobre esta obra Tatuapé, além dos seus vídeos e do seu texto.Esta linha do metrô tem uma extensão total de 18 km com 18 estações ao custo de 3,2 bilhões (isso se não aumentar até seu fim, coisa bem provável já que falamos de Brasil).Ou seja, o custo de 1km com uma estação desta linha = 177 milhões de dinheiro público.O descalabro em favor direto ao SPFC é o "puxadinho" (este apelido é perfeito, rsrs) que tem 1 km com uma estação fazendo com que a linha chegue quase a porta do estádio do Morumbi, claramente desnecessário e um benefício direto ao clube privado SPFC no valor de 177 milhões com dinheiro público, pois estádio é bem particular do clube privado, não é bem público.Tatuapé, essa linha liga Jabaquara, aeroporto, e região do Morumbi, e a outras linhas com 18 estações.Querer imputar TODA esta linha como um benefício direto ao SPFC é piada de mau gosto.Faço coro contigo contra o descalabro do puxadinho de 1 km que não serve ao interesse público e sim ao interesse particular do SPFC, assim como Aurélio Miguel também faz.Agora, se vier com bravata de que o benefício ao SPFC é da linha toda e de 3,2 bilhões e imputar os 18 km e 18 estações desta linha de metrô diretamente ao SPFC, daí meu caro, está agindo de má fé total.Espero que essa sua indignação ao puxadinho (esse apelido é ótimo, rsrs), seja a mesma aos 420 milhões de isenção fiscal (SCCP não vai pagar imposto) ao Itaquerão, mais os 70 milhões do governo do estado (arquibancadas provisórias), mais transposição dos dutos (30 milhões), mais o terreno público, e exigir o pagamento dos 400 milhões do BNDES (isso se não aumentar até seu fim, já que estamos no Brasil).Espero poder contar com um cidadão como você, que fica indignado com o desperdício dos recursos públicos para clubes privados de futebol, como você ficou agora aqui com o puxadinho do SPFC no valor de 177 milhões de recurso público.O puxadinho é um descalabro.Abraço.

  41. André Bergamo

    30/03/2012 01:01:58

    Tatuapé, veja de novo o vídeo.(que você postou)O problema é o "puxadinho" de 1 km, que vai ficar em 1 bilhão segundo o palestrante do vídeo.3 bilhões é o custo da linha total do metrô Tatuapé.Para de aumentar o benefício ao SPFC, seja justo.E esse grito de SPFC o time mais beneficiado pela classe política do Brasil foi meio desesperado pra quem teve presidente da República.Olha pra outros aí e vai ver que isso não é bem assim, sim é bem beneficiado, agora o MAIS beneficiado? Sei não..., tem outros pelo Brasil e até vizinho que são bastante beneficiados também como ele.Aurélio Miguel merece aplausos como servidor público, um dos raros que tem ligação direta com um clube de futebol e que coloca os interesses da população acima disso, diferente de Marco Aurélio Cunha por exemplo, e tantos outros de todos os times que já existiram e existem.Eu acho um descalabro esse puxadinho e o Itaquerão, assim como Aurélio Miguel acha, duas obras que o dinheiro público vai pro lixo.Mas é isso, duas obras medonhas para o poder público pagar.Quer puxadinho? Quer estádio?Que paguem!!!! Que não sejam isentos de nada!!! São clubes PRIVADOS!Mas não vão pagar, todos nós já estamos pagando, um ABSURDO!!!!!Agora é que eu quero ver quem de fato é anti e hipócrita aqui.Estes só irão criticar a obra do rival e se calar com a sua (até defender a sua estes irão), vão dizer que geram empregos, melhoram a região, e essas demagogias todas.

  42. Fernando

    30/03/2012 00:17:10

    Esse Monotrilho do Morumbi foi projetado em 25/05/2007 pelo Ruy Ohtake (aquele mesmo do ridículo projeto de reforma do estádio do Morumbi que foi considerado amador e reprovado pela FIFA), por encomenda do clube SPFC:http://www.3vv.com.br/index.php?option=com_k2&view=item&id=5196:arenas-monotrilho-a-cronologia-dos-fatos&Itemid=22&tmpl=component&print=1O alto preço da obra, para atender a uma demanda relativamente baixa, era um impedimento fatal para a sua aprovação.Ficou vinculada então a construção do Monotrilho à escolha do estádio são-paulino como a arena paulistana da Copa do Mundo, inclusive com a importância aumentada por ser o local previsto para a abertura do evento.A desistência da candidatura do estádio do Morumbi, e sua substituição pela nova Arena do Corinthians, deveria resultar no sepultamento do faraônico, controverso e pouco útil Monotrilho do Morumbi.Surpreendentemente, não foi o que aconteceu, e os trâmites legais para a viabilização de sua construção continuam avançando.Inexplicável. Um mistério. Um escândalo.

  43. TATUAPE

    30/03/2012 00:06:06

    .3 Billhões!!! .É o orçado..Será que já não está super faturado?.Mas, vai passar, e tudo dinheiro público mais uma vez para o SPFC..E apenas divulgar como notícia corriqueira não serve..Onde estão as conotações?.SPFC O CLUBE MAIS BENEFICIADO PELA CLASSE POLÍTICA DESTE PAÍS..E se é deste país já viu...

  44. Heitor

    30/03/2012 00:05:44

    1) Comparar a Copa do Brasil com a Africa do Sul tem que levar em consideração que o Brasil gosta de futebol e a Afica do Sul gosta de rugbi. Quanto ao Turismo é uma chance enorme do Brasil se beneficiar tanto da Copa e depois da Olimpiadas. 2) Dizer que a disperdicio de dinheiro público porque o Brasil vai investir em estádio é um pouco de radicalismo. Veja os 4 estádio citados são em cidades sem tradição em futebol mas os outros são os principais centros do futebol. Só o que o Maracanã vai dar de retorno ao futebol é incalculavel. Mesmo que não tivesse a Copa esses estádios teriam que ser reformados, seriam custos menores mas teriam custos. Veja a Fonte Nova quantos anos parada, é justo uma torcida como a do Bahia sem um estádio a sua altura, ou Vasco e Flamengo no engenhão para 10 mil pessoas porque o carioca gosta de ir no Maracanã. Imagina o público desses estádios novos, bem acomodados só vai beneficiar o futebol brasileiro e o torcedor. E sem a Copa esses investimentos não viriam. 3) Outra coisa quanto ao ritmo das obras é importante notar que antes de 2010 com as eleições para presidente e governador era claro que as coisas só seriam definida apartir de 2011. Assim como muita coisa que depende das prefeituras só vão engrenar apartir de 2013. E tem obras de infra-estrutura e até mesmo estádios que o tempo para projetos, licenças ambientais e a engenharia financeira demora mais que a prórpia obra em sí. Quem já cosntruiu casa sabe disso, a obra normalmente é mais rápida do que a compra do terreno, o projeto, aprovações, financiamento. Criticar é fácil o difícil é ver que se somar todos os pontos negativos da copa (que são vários) e somar os pontos positivos vai ver que os pontos positivos são bem maiores.Porque temos que ter conciência que em qualquer lugar do mundo em qualquer tempo um evento da grandeza da copa do mundo vai gerar pontos negativo. E felizmente o Brasil vai gerar pontos positivos: pelo menos 7 ou 8 estádios para torcidas apaixonados pelos seus clubes, melhoria em aeroportos, portos, rede hoteleira (qualquer cidade hoje precisa de mais hotel sem ter copa), turismo, infra-estrutura.

  45. miguel costa

    29/03/2012 23:58:28

    Fábio, infelizmente os que defendem tem razões e provavelmente as futuras "consequências positivas". Já os palhaços é que vão pagar mais algum imposto 'pos-copa'.

  46. Márcio - Uberlândia

    29/03/2012 23:46:12

    O PSOL de hoje é o PT da década de 80.Todo país tem PSOL. O da Alemanha era contra a copa lá também.O PT tinha as mesmas idéias. Mas não esperavam chegar ao poder. Era só oposição radical ao que tivesse estabelecido.Mas a partir da eleição para governador de SP que Lula perdeu, descobriram que podia dar certo.Muita gente lá sabia que esse discurso não tem chance de ser praticado quando se está no poder. Mas mesmo assim, fizeram oposição o tempo todo, contra tudo que estão executando agora.Porque política ecônomica, não é o país que escolhe. Ela já existe. É a mesma para o mundo todo. As estratégias até é o que vai diferenciar. Mas existem pecados que nenhum país pode se dar ao luxo de cometer. E praticamente todos estes pecados estão descritos neste texto.Ou o ´Deputado Chico Alencar não conhece ou se conhece, sonha em contrariar a lógica do que está estabelecido, que seria de uma inguniadade absurda. Ou está cometendo desonestidade intelectual. Quase estupro.Lula tb devia ter implantado seus ideais. Mas devem ter dito a ele.- Cuide da economia. Mantenha a estabilidade a qualquer custo. Devemos combater toda e qualquer pressão inflacionária, atrair investidores privados para colocar dinheiro na nossa economia. E outras coisas mais, que não quero ficar entrando no economês.Mas quem poderia ser o homem da economia?Pensaram até em continuar com Malan. mais era muito pedido de penico. Deram um geio com Meireles. Mas tinha gente boa no PT. Tinham que afstr os radicais.Lula deve ter se preocupado em queimar o filme. Falava uma coisa e agora faz outra. Mas sabiam que Lula era intocável. Quase Religião. -É só dar assunto para imprensa.Foi acima da medida. Banalisaram os escandâlos. Mas o Lula não se abalaria. A saída de um presidente seria um câncer n economia. Nem a oposição queria. Mas o PSOL é a herança. Lula em 88 faria igual. Agora era vidraça. E é provavel que não sabia mesmo de nada.E chegressivo perane o mundo. Correr riscos. Atitudes delicadas para marcar posição diante do mundo. Ações polêmicas. Desviar atenção.E Futebol é o ópio do povo, ou não?.O Legado da Copa para um País é econômico. Nenhum governante, com situação economica do Brasil, sequer titubearia organizar esses eventos em seu território. Mesmo se não estiver ECONOMICAMENTE bem, qualquer ministro de economia no mundo, não deixaria uma oportunidade desta escapar.Se fizer com competência, vai aproveitar para investir num setor precário e carente de investimentos, utilizando dinheiro do orçamento destinado pra isso, e não saúde, educação, estes atentados a inteligencia pública, que só cola, porque é mais complicado que explicar a fundamental importância de investimento em INFRAESTRUTURA para o desemvolvimento de um país.Agora, competência administra para reverter o sucesso econômico em avanço social, esse governo nunca teve. Mas no Brasil não precisa ser competente. Basta ser honesto. Mas mesmo assim, os R$ 33 bilhões é dinheiro de pinga perto de ações de mercado que o governo adotou durante a crise, que sequer cria um único emprego.Em outro post, vou apresentar alguns números, que demonstram porque eu acho que ao invés de ficar com estes "Textos Reclamação Padrão", a opinião pública deveria dar uma olhada na Lei Geral da Copa e se cobrar a parte social do projeto, que este, a FIFA fará vista grossa.Abraços

  47. Daniel

    29/03/2012 23:40:21

    Muito triste.. Sou paulista e desde o principio sou contra esta heranca do senhor Lula.. Sera uma heranca maldita para nosso desenvolvimento nos proximos anos.. Torci para SP ficar fora da copa.. Quanto dinheiro sendo jogado fora.. E sendo roubado.. Poderia estar sendo realmente investido em escolas, pesquisas, saude.. Em FUTURO! Agora que o elefante branco ja eh nosso so peço uma coisa: Papai do ceu, de muita saude pro Lula.. Quero ver ele vivo sendo responsabilizado pelos roubos e pela dificuldade financeira que que o pais passara futuramente apos tanto desperdicio.. PORCO SAFADO! Ele e sua quadrilha! PT, PMDB, e outros menores! Ate a primeira dama de Carapicuiba..

  48. gp

    29/03/2012 23:31:36

    pablitoNossos sonhos estão custando muito caro (não só financeiramente falando, como na vida das pessoas que foram jogadas para fora de onde moravam) e vc, como analfabeto e cego não vê e nem entende o que está acontecendo.Mas não se preocupe, depois da copa vc vai chorar nas arquibancadas abandonadas de, pelo menos 5 estádios superfaturados, junto com aqueles que foram arrancados de suas casas.

  49. André Bergamo

    29/03/2012 23:31:26

    Tatuapé eu vi os vídeos.Agora entendo melhor essa obra.E realmente é uma obra que não é necessidade no trecho de 1 km que faz a linha do metrô ir até o Morumbi, e de acordo com um dos vídeos este é o chamado "puxadinho" da linha que contestam com total razão, segundo este vídeo este puxadinho sai ao custo de 1 bilhão, ou seja, o resto da linha pelo jeito é uma obra de utilidade pública, já o puxadinho de 1 km até o estádio é que me parece ser o descalabro, pois beneficia só ao SPFC, pois é uma obra de pouco interesse importância da população.Aurélio Miguel mostra que tem total crédito para criticar aquilo que está criticando nesta Copa, e merce todo meu aplauso, e continuará merecendo.É bom as pessoas aqui saberem que Aurélio Miguel critica este puxadinho de 1 km da nova linha, ele, o mesmo que sempre criticou o Itaquerão e suas maracutaias inclusive no processo licitatório.Mais uma obra com grana pública que não é do interesse da população.Espero que as críticas sejam para ambos, pois tanto o puxadinho do Morumbi, quanto o Itaquerão são dinheiros do povo jogados no lixo.Abraço.

  50. Roberto Vieira da Costa

    29/03/2012 23:25:49

    Mais uma vez o amigo Juca se deixa levar pela emoção e por afinidade ideológica com um articulista em período de eleição: onde estão os monumentos ociosos do Pan-2007? Sobre o Estádio Olímpico, que insistem em chamar de Engenhão, nem preciso comentar sua utilidade; a Arena Olímpica foi privatizada para o HSBC e virou casa de shows e esporte. O Riocentro foi ampliado e tem agenda lotada de eventos; talvez o caro parlamentar-articulista queria se referir ao velódromo e ao Maria Lenk... Esses foram entregues a entidades olímpicas nacionais que não os utilizam por descaso e/ou incompetência. Donde se conclui que acusar de ociosidade os equipamentos construidos para o pan-americano reflete mais a propaganda eleitoral do deputado e também a má vontade do jornalista para com o evento...

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso