Blog do Juca Kfouri

Dérbi empatado com justiça
Comentários Comente

Juca Kfouri

anderson-martins-do-corinthians-e-henrique-do-palmeiras-brigam-por-bola-pelo-alto-1414263056394_956x500

Mano Menezes morrerá abraçado com Fagner, que se limitou a ver Henrique, aos 25 minutos do primeiro tempo no Pacaembu (24.245 pagantes) palmeirense, abrir o placar no primeiro chute alviverde ao gol do Corinthians, que jogava melhor.

O artilheiro do Brasileirão agradeceu a facilidade,

Daí em diante os anfitriões foram melhores até o intervalo, sem serem incomodados pelo inofensivo ataque alvinegro.

Valdivia , baleado desde o começo da partida, participou pouco dos 45 minutos iniciais, mas deu o ar da graça no gol palmeirense.

O segundo tempo foi disputado em clima de dérbi, no mau sentido, mais pau que bola.

Bruno Henrique acertou a trave de Fernando Prass logo de cara, mas o Palmeiras revelava maturidade surpreendente, até com seus jovens encarando os corintianos mais rodados.

Inútil, Jadson saiu aos 14 e Malcon entrou.

Aos 20, foi a vez de Petros ir embora e Romero entrar.

Tudo ou nada.

“Favela, favela, silêncio na favela”, cantavam os palmeirenses.

Mazinho saiu e Digo entrou aos 27.

Aos 30, Prass fez grande defesa em chute de Luciano.

Aos 36, foi a vez de Wesley carimbar a trave de Cássio.

Aos 41, Wesley saiu para Washington entrar e Felipe Menezes entrou no lugar de Valdivia caras e bocas.

Danilo entrou no lugar de Fábio Santos e empatou o jogo, aos 45.

“Corintiano, maloqueiro e sofredor”, respondiam os corintianos.

Henrque, aos 47, quase fez mais um de cabeça.

Desde 1995, 13 jogos, o Corintians não perde o dérbi no Pacaembu, com sete vitórias.

O 1 a 1 foi justo.

destaques2_750203_251014_182533

Em Floripa, com 8.234 pagantes, o Cruzeiro saiu na frente, no primeiro tempo, com Marquinh0s e seguia líder como sempre.

Mas permitiu o empate no fim, gol de Pablo para o Figueira e os mineiros já não estão com a bola toda.

Dramático mesmo foi no Maracanã, com 18.234 pagantes.

Wagner fez 1 a 0 para o Flu no começo do segundo tempo, Cléberson empatou para o Furacão no fim, aos 45, mas, na saída, Fred fez 2 a 1 e pôs o Tricolor no G4.


Show do Real em Madrid
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_2538.JPG

O menino Neymar, com 4 minutos no Santiago Bernabeu, calou o estádio e fez 1 a 0 no grande clássico espanhol.

Fez um gol de gente grande, enorme, livrando-se de Carvajal e PepeRamos, da esquerda para o centro, para arrematar da entrada da área.

Mas, depois, o Real Madrid reduziu o Barcelona a um time de crianças.

Cristiano Ronaldo empatou de pênalti que Piqué não quis fazer — no chão, bola na mão que hoje em dia é mão na bola, ainda no primeiro tempo.

Daí em diante os donos da casa tomaram conta e chegaram facilmente aos 3 a 1, com Pepe e Benzema, no segundo tempo.

Quatro gols no embate espanhol, nenhum de nativos, dois de portugueses, um de francês, mais um de brasileiro.

O argentino Lionel Messi passou em branco, para alegria do italiano Carlo Ancelotti, o técnico madridista.

É a golbalização.

Na nona rodada, o Real está a um ponto do líder o não mais invicto Barça que, amanhã, pode ter a companhia do Sevilha com 22 pontos.


Agnelo quer moleza
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_2534.JPG

A acachapante derrota do ex-ministro (péssimo, por sinal) do Esporte Agnelo Queiroz, em busca de sua reeleição para governador do Distrito Federal, alimenta nele uma sórdida intenção:

renunciar ao cargo a tempo de ser indicado pelo substituto, seu vice, Tadeu Filipelli, para o cargo vitalício de conselheiro do Tribunal de Contas do DF.


Palpites para o Brasileirão e eleição
Comentários Comente

Juca Kfouri

Para diversão ampla, geral e irrestrita, eis os palpites do blog para a 31a. rodada do Brasileirão, no sábado e na segunda-feira, já que no domingo tem o jogo da eleição, o mais importante no país desde que a Alemanha fez 7 a 1 na Seleção Brasileira — e também com efeitos para os próximos quatro anos.

O Cruzeiro sofrerá em Floripa contra o Figueirense, mas deve vencer.

O Fluminense ganhará do Furacão.

O Palmeiras não pode perder do Corinthians, o Verdão animado pela presença de Valdivia, o Timão sem Guerreiro. Tem cara de empate.

A Chapecoense triunfará sobre o Santos que vai se poupar para a Copa do Brasil, no que faz muito bem.

Coritiba e Grêmio e mais um jogo com cara de empate.

Galo e Sport é jogo para os mineiros, mesmo sem Tardelli.

O Vitória fará os três pontos de que precisa contra o Criciúma, assim como o Inter diante do Bahia.

O Botafogo não suportará o Flamengo e, na segunda-feira, o São Paulo atropelará o Goiás.

No domingo?

Bem, no domingo alguém de Minas se elegerá para governar o Brasil até 2018.


Positivo, operante
Comentários Comente

Juca Kfouri

POR LUIZ GUILHERME PIVA

Aquela ali nem olha pro jogo. Só no celular. Que absurdo, tá dando mole pro espertinho de boné. E o maridão do lado, nada. Tá cego. Não tira o olho do campo.

O velhinho ali vem todo domingo. Xinga mais do que todo mundo. E ainda ensina pros netos. Cada palavrão que eu nem conheço. Vai acabar morrendo assim, espero que longe daqui. Podia ao menos dar um picolé pro garoto. Mão de vaca.

“Uh!”

É ridículo. Todo mundo de pé. Deve ter sido um chute perigoso. Adianta levantar?

Só de olhar pra cara deles eu sei onde está a jogada. Sei que time está atacando mais. Sei se o jogo é rápido ou lento. Se é bom ou ruim.

Aqueles ali ficam acompanhando o bandeirinha em vez de olhar o jogo. Ele corre bem aqui atrás de mim. Eles ficam em cima dele, pra frente e pra trás na arquibancada. Um levantou a mão com uma laranja pra jogar nele. Quando me viu, disfarçou. Pus a mão no cassetete de leve, sem ameaçar. Tá quietinho agora.

Tomara que os bebuns lá em cima não criem confusão. Já teve empurra-empurra. Daqui a pouco dou um rádio pra pedir reforço.

“Uh!”

Caramba, não sai gol e esse pessoal não desiste. Que graça? Melhor em casa, pela TV. Cerveja, pipoca, chinelo. Aqui esse barulheira, essa confusão. Ainda arrisca a tomar porrada.

O de amarelo. Acho que foi nele que desci o porrete no mês passado. Deixa eu ver. É sim. A marca roxa no braço.

Caramba. É a segunda bolada que levo na nuca. Esses caras não sabem jogar?

Mais uma e é neles que eu vou descer a mão.

Olha o cara de boné. Chegou perto dela. Fazendo sinalzinho. A safada ainda sorri. Dá vontade de avisar o chifrudo. Se bem que merece. Pronto. Passou o número do celular. Cansei de ver isso. É tudo vagabunda.

“Uh!”

Coitado. O da laranja não tira o olho de mim, morrendo de medo. Finjo que não vejo. Bem-feito. É pra aprender a respeitar. Ver quem manda.

Intervalo é ruim. O rádio fica essa mistura de chamadas e informações.

Não entendo nada. Hein? Prenderam? Segura. Depois do jogo eu vejo. Lá na saleta. Deixa o cabo com ele. Hein? De leve, sem machucar.

Nem um guaraná eles dão. Nem mexer, nem olhar pra trás. Nem sentar. Xixi é na farda mesmo. Fede tudo. Ainda bem que ponho proteção. Ninguém vê o molhado.

“Uh!”

Acho que vai ser zero a zero essa droga. Pelo menos estão atacando mais. Vai acabar saindo gol desse jeito. Podia. O pessoal ficava mais relaxado.

Cacete. De nova essa bola. O gandula ainda vem empurrando pra pegar. Vou dar nele, vai ver. Hein? Repete. Sim. Na saleta, já falei. Tá chiando.

Essa o bandeirinha errou, tenho certeza. Os caras estão furiosos. Querem matá-lo. O velhinho vai ter um troço de tanto xingar.

Na escuta? É, o de boné. A menina de bermuda fingiu que está indo ao banheiro. Isso. Ali perto da grade. Olha ele indo atrás. Pode reter. Não quero confusão aqui. Bobear, dá morte.

Ainda bem que vi. Mais um pouquinho esses dois acabavam se agarrando atrás da pilastra.

“Uh!”
___________________________________
Luiz Guilherme Piva publicou Eram todos camisa dez (Editora Iluminuras)


6, 7 ou 8 pontos à frente?
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_3055.JPG

O dito popular ensina que 7 é conta de mentiroso.

Daí, talvez, alguns, como os pesquisadores do Datafolha, dizerem que a mineira Dilma Roussef está seis pontos à frente na corrida presidencial que termina domingo.

E outros, como os do Ibope, que ela está oito.

Mas, veja só, uma coisa é certa: o mineiro Cruzeiro está sete pontos adiante do segundo colocado, o São Paulo.

A diferença pode diminuir, ou aumentar, ou ficar na mesma, nesta 31a. rodada do Campeonato Brasileiro, que ainda terá, depois, mais sete rodadas.

Mas só saberemos a quantas estará a diferença na segunda-feira, quando o Brasil já saberá se Dilma foi reeleita ou se Aécio Neves surpreendeu nos acréscimos.

Porque se o Cruzeiro joga neste sábado, em Floripa, contra o Figueirense, o São Paulo só entrará em campo na segunda-feira, para receber o Goiás.

Ainda no sábado, além de outros seis jogos, dois clássicos estaduais saborosos: no Pacaembu, com mando do Palmeiras, o dérbi paulistano, Palmeiras x Corinthians, às 16h20.

E, às 21h, em Manaus, Botafogo x Flamengo, com mando do Glorioso em situação desesperadora.

Então, ficamos assim: nove jogos no sábado, eleição no domingo e mais um jogo na segunda, quando já saberemos quem presidirá o Brasil nos próximos quatro anos e vamos saber se o Cruzeiro ampliou, manteve ou permitiu que diminuísse sua vantagem de sete pontos.

Comentário para o Jornal da CBN desta sexta-feira, 24 de outubro de 2014, que você ouve aqui.


A língua é minha pátria
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_2530.JPG

O português Fernando Pessoa escreveu que pátria e língua se confundem e o baiano Caetano Veloso deve olhar divertido para quem segue à risca sua intenção de “criar confusões de prosódia”.

Porque quando um paulista fala “sacanagem” não imagina como pega mal no Rio de Janeiro, pois remete (epa!) à fornicação.

Ou quando um mineiro fala “leviana” ignora que no nordeste soa como prostituta.

Ou, ainda, quando um gaúcho fala “goleira”‘se refere à meta e não ao feminino de goleiro.

O mineiro Guimarães Rosa escreveu que “viver é muito perigoso”.

Falar também é.


Combina com os russos, Marin!
Comentários Comente

Juca Kfouri

russ-MMAP-md

Dunga convocou e convocou bem, principalmente por não chamar ninguém que jogue no Brasil.

Além de dar chances a jovens e bons goleiros e a jogadores que fazem sucesso na Europa embora pouco conhecidos no Brasil, como Luiz Adriano e Roberto Firmino.

Mas dói ver a ignorância secular de José Maria Marin que justifica a não paralisação do futebol no Brasil em datas Fifa por causa de nossas “dimensões continentais”.

Não sabe Marin que a Rússia tem o dobro do tamanho e pára.

Ou, vai ver, ele acha que a Rússia ainda faz parte da comunista União Soviética e a repele.

Sim, porque há quem ache que a União Soviética ainda existe e até diz que o Brasil manda dinheiro para “Cuba e para URSS”, como está gravado e disseminado desde ontem nas redes sociais.

“Ah”, dirá alguém, “mas o futebol russo não tem a menor importância.”

“Pois é”, responderá outro alguém, “mas vem aqui e compra quem quiser comprar”.

Melhor seria Marin ouvir o velho conselho de Mané Garrincha e combinar com os russos.


Cruzeiro sofre, mas segue sete pontos à frente
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_2527.JPG

Por pouco o Cruzeiro não foi 100% surpreendido pelo Palmeiras no Mineirão, com mais de 27 mil torcedores, melhor público da 30a. rodada do Brasileirão.

Tomou um gol, o de 1 a 0 para o Alviverde, aos 43 minutos do segundo tempo, mas conseguiu empatar já nos acréscimos, aos 47.

A surpresa ficou reduzida a 50% e o Cruzeiro sete pontos à frente do São Paulo, que não saiu do 0 a 0 contra a Chapecoense e mais uma vez desperdiçou a chance de se aproximar do líder.

A rodada foi boa para o Corinthians, que venceu o Vitória por 2 a 1, viu o Galo só empatar com o Bahia, 1 a 1, o Inter perder para o Flamengo por 2 a 0 e, assim, assumiu o terceiro lugar na tábua de classificação.

Foi boa também para o Coritiba que saiu da ZR ao ganhar por 2 a 0 do Botafogo, que caiu do antepenúltimo para o penúltimo lugar, e péssima para o Criciúma, agora de lanterna na mão, assim como para os dois baianos, Vitória e Bahia, que seguem na zona da degola.

A 30a. rodada não foi generosa nem em gols, apenas 15 em 10 jogos, nem na presença de torcedores, só 12 mil em média por partida.

Comentário para o Jornal da CBN desta quinta-feira, 23 de outubro de 2014, que você ouve aqui.


Não há o que faça o São Paulo se aproximar do Cruzeiro
Comentários Comente

Juca Kfouri

IMG_3048.JPG

O São Paulo foi a Chapecó, diante de 15.225 torcedores, com a possibilidade de reduzir para cinco pontos a diferença que o Cruzeiro leva sobre ele.

Mas permitiu que a Chapecoense desse as cartas no primeiro tempo, embora sem conseguir converter em gol as chances criadas.

No segundo tempo o Tricolor inverteu a situação e dominou até por volta dos 30 minutos quando Paulo Miranda foi exageradamente expulso.

Com 11 contra 10 o time da casa foi para o abafa,inutilmente: 0 a 0 e o Cruzeiro se manteve sete pontos à frente.

Em Santos, o Fluminense ganhou do Santos no fim, aos 45, com gol de Edson, por 1 a 0, e assumiu o sétimo lugar, diante de 6.173 torcedores.

No Recife, o Goiás complicou a vida do Sport ao vencê-lo por 1 a 0, gol de Esquerdinha, aos 45, diante de 8.444 torcedores.